Por Fabiano de Cristo
Em 26/02/2018

Editorial

Aceitar a diversidade não é apenas conseguir lidar com gêneros, cores ou orientações sexuais distintas, mas principalmente respeitar ideias, culturas e histórias de vida diferentes da sua. Se você ainda não teve essa experiência, como se comportaria em um ambiente de trabalho com pessoas com cultura, raças ou opiniões totalmente diferentes da sua? Como você trataria portadores de deficiência ou ex-presidiários, por exemplo?

Você sabia que a diversidade nas organizações melhora a competitividade e até a lucratividade das empresas, além de reforçar o respeito entre as diferenças? Sabia que organizações que investem em diversidade são mais inovadoras e crescem mais rapidamente? O tema diversidade no ambiente de trabalho vem sendo debatido cada vez mais no ambiente de trabalho.

Por isso, a exemplo do artigo sobre o “FACEBOOK” queremos propor no artigo desta semana, uma reflexão sobre: como a diversidade afeta o ambiente de trabalho e porquê devemos transformá-la em um componente integrante da cultura empresarial como diferencial competitivo.

Fabiano de Cristo
Consultor Empresarial
atuallisconsultoriarr@gmail.com


VAMOS FALAR DE DIVERSIDADE?

Dificilmente existe uma cultura tão diversificada quanto a do Brasil. Além dos nativos, nossa população foi formada por distintas fontes migratórias, como os portugueses, africanos, europeus e imigrantes da Ásia e do Oriente Médio. Além disso, o desenvolvimento trouxe a liberdade de expressão e as gerações estão cada vez mais à vontade ao se posicionar frente a suas opções sexuais, gostos e estilos. Ser diferente é mais normal do que nunca e expressar tudo isso é um dos fatores mais importantes.

Apesar de toda essa liberdade de expressão, o preconceito ainda toma proporções gigantescas e mesmo que grande parte das pessoas reprova este comportamento, algumas infelizmente se identificam com ele. Se viemos de uma cultura tão heterogênea, por que ainda é necessário lutar contra a discriminação e a intolerância? É essa mesma cultura que trapaceia e promove o preconceito. Ainda não há compreensão de que a educação é o ponto inicial para a mudança, que precisamos ensinar que somos diferentes e devemos respeitar e não apenas lidar com isso.

Passamos a maior parte dos nossos dias no trabalho. Às vezes convivemos com nossos colegas mais do que com a família. Estamos sempre em contato com pessoas diferentes e sabemos que o respeito é o pilar dos relacionamentos. Mas infelizmente, percebemos que a diversidade não faz parte da cultura das empresas.

De acordo com um estudo realizado pelo Instituto Ethos com 500 empresas brasileiras:

Apenas 2% dos funcionários das maiores empresas brasileiras são pessoas com deficiência (o mínimo exigido pela lei); As mulheres representam 58,9% dos estagiários e apenas 13,6% das vagas executivas; Não existe um executivo de origem indígena nas empresas estudadas; 94,2% dos cargos executivos pertencem a brancos, enquanto apenas 4,7% dos negros ocupam cargos nesse nível.

Além do preconceito com mulheres, negros, LGBTs e pessoas com deficiência (PCDs), fatores como idade, escolaridade, religião, peso e aparência também são motivos que dificultam o relacionamento entre colegas em uma empresa.

Além da relevância do respeito e da ética para as empresas, ao investir na diversidade, os resultados e os lucros também são influenciados e melhoram constantemente. Conforme um estudo da Organização McKinsey & Company: Empresas com diversidade étnica e racial possuem 35% mais chances de ter rendimentos acima da média do seu setor; As empresas com diversidade de gênero possuem 15% a mais de chances de ter rendimentos acima da média. Uma pesquisa da Harvard Business Review11 revelou que nas empresas onde o ambiente de diversidade é reconhecido, os funcionários estão 17% mais engajados e dispostos a irem além das suas responsabilidades.

O que os gestores precisam fazer, é se basear na gestão de diversidade de empresas bem sucedidas e, assim como eles, crescer financeira e culturalmente. Ter distintos pontos de vista, opiniões e referências, pode ser um diferencial para a inovação nas organizações. Algumas pessoas são determinadas, criativas e ousadas, precisamos delas para inovar e acompanhar as tendências. Outras possuem know-how e não nos deixam esquecer dos valores que tanto lutamos para conquistar.

Portanto, diversidade nas organizações significa ter um ambiente favorável para os colaboradores, que promova a boa convivência entre todos e uma maior troca de experiências. Quando uma empresa abre as portas para as diferenças, também receberá a inovação, a criatividade, o engajamento e uma maior dedicação de seus colaboradores. A imagem corporativa é valorizada, a produtividade aumenta e a rotatividade diminui. A diversidade promove benefícios em qualquer lugar, o mais difícil para alguns é aceitar essa verdade. Pense nisso e até a próxima semana.

RESENHANDO

A gestão da diversidade ainda é um conceito pouco utilizado entre as empresas brasileiras. Existe a grande necessidade da implementação de políticas, alteração no modo como a empresa se comunica, mudanças internas, investimento em iniciativas de apoio e o olhar atento dos demais colaboradores. A realidade da gestão da diversidade nas empresas ainda não é algo altamente presente no meio empresarial. A empresa que se preocupa apenas com o produto/serviço que oferece, precisa urgentemente rever seus conceitos. O cliente atual valoriza as empresas que, mais do que lucro, também buscam por ações capazes de mudar cenários, gerar soluções e melhorar o mundo em que vivemos.

Fabiano de Cristo
jornalista@teste.com.br
Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!
Últimas de
Visão de negócios
"Conquistas reconhecidas......"
10/09/2018 às 10:21
+ Ler mais artigos de Visão de negócios