RECURSO FEDERAL

Roraima recebe R$ 402 mil para abastecer veículos do Corpo de Bombeiros na estiagem

Dinheiro será usado para adquirir 54 mil litros de diesel. Viaturas prestam suporte às ações da Operação Verão Seguro

Caminhão do Corpo de Bombeiros leva chama dos pioneiros à Praça do Centro Cívico em 5 de outubro de 2023 (Foto: Nilzete Franco/FolhaBV)
Caminhão do Corpo de Bombeiros leva chama dos pioneiros à Praça do Centro Cívico em 5 de outubro de 2023 (Foto: Nilzete Franco/FolhaBV)

O governo federal liberou R$ 401.760,00 para o Governo de Roraima reforçar as ações de enfrentamento aos impactos da severa estiagem desta temporada. A portaria da Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil foi publicada no Diário Oficial da União (DOU).

Segundo o Corpo de Bombeiros, o recurso será usado para adquirir 54 mil litros de diesel para abastecer o grande número de veículos empregados na Operação Verão Seguro, em “resposta adequada ao socorro à população atingida pela estiagem”.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE



CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE



A corporação esclareceu que o atual consumo exigido “extrapola a estimativa prevista e suportada pelo Estado de Roraima”. “Os veículos estão dando suporte às ações da operação, como escavação de cacimbas e bebedouros, perfuração de poços artesianos, combate a incêndios florestais e entrega de cestas básicas”, frisou.

Cestas básicas (Foto: Diane Sampaio)

A contar de terça-feira (2), o governo estadual tem 180 dias para implementar as ações. Após o término da vigência da portaria, o ente deverá prestar contas em até 30 dias do que foi feito com o dinheiro.

Além desse recurso, Roraima recebeu outros quase R$ 7 milhões, sendo R$ 6,6 milhões para a compra e distribuição de 30 mil cestas básicas em nove municípios por três meses, e R$ 350 mil milhão para alugar caminhões-pipa.

Para todas as ações, o Estado pediu R$ 29 milhões, mas ainda não recebeu recurso específico para o combate às queimadas, já que não tem dinheiro para contratar brigadistas. Neste caso, o Tribunal de Contas do Estado (TCE-RR) deu três dias para o Governo se pronunciar sobre a contratação dos profissionais, após ação do Ministério Público de Contas (MPC-RR).