BAIRRO SÃO BENTO
Casas construídas em área de preservação são demolidas
Gostei (43) Não gostei (0)
Por Folha Web
Em 29/12/2017 às 02:07
Invasores acompanharam com revolta a derrubada das casas (Foto: Erasmo Siqueira)

Três casas de alvenaria localizadas em uma área de preservação permanente, localizada no bairro São Bento, às margens da BR-174 sul, foram derrubadas na manhã de ontem, 28. Fiscais da Secretaria Municipal de Serviços Públicos e Meio Ambiente contaram com apoio da Guarda Civil Municipal (GCM) para a demolição, que durou cerca de três horas. As pessoas responsáveis pela construção das casas contestaram a derrubada.

Segundo o dono de uma das casas derrubadas, José Vasconcelos, conhecido como “Vasco”, de 78 anos, a ação dos fiscais é ilegal. Ele afirmou que mora na área há aproximadamente 28 anos, que tem direito da usucapião da área e que sequer foi notificado da demolição. “Não sei qual foi a intenção da prefeitura em derrubar minha casa, sendo que existe mais de 40 aqui na área. Eles [fiscais] ainda não trouxeram nenhum documento para comprovar que esta área é de preservação ambiental permanente. Moro aqui há quase 28 anos”, disse o idoso.

Ainda segundo outro morador da área, que não quis ser identificado, quando os fiscais chegaram para derrubar as casas, por volta das 10h30, não havia ninguém na residência. Somente quando a demolição começou, que os moradores foram avisados, o que classificou como um ato de covardia. “Os donos estavam trabalhando. Eles foram avisados por nós vizinhos. Quando chegaram aqui, por volta das 10h30, já tinham invadido a casa deles. Achei uma grande covardia”, comentou.

OUTRO LADO – Em nota, a Empresa Municipal de Desenvolvimento Urbano e Habitacional (Emhur) informou que não tem medido esforços para coibir as invasões em áreas particulares e públicas no perímetro urbano e de expansão urbana da cidade. “Essa atuação tem sido determinante para preservar a ordem urbanística e não permitir a instalação de núcleos de assentamentos em locais onde inexistam infraestrutura e condição digna de habitabilidade ou, ainda, em áreas de preservação ambiental, protegidas por lei”, frisou.

A Prefeitura de Boa Vista confirmou que a ação realizada com a Secretaria Municipal de Meio Ambiente resultou na retirada de três barracos que estavam dentro da área de preservação permanente e uma construção em via pública localizada próxima a usina de asfalto. A Emhur esclareceu que no local não havia moradores. (E.S)

S.A.A disse: Em 29/12/2017 às 19:48:09

"Tem outro que se apropriou de um terreno próximo da ponte do cauame já tem ate uma oficina la na beira da estrada. "

ana maria garcia de oliveira disse: Em 29/12/2017 às 05:14:39

"E as mansóes intactas na beira do rio branco, serao demolidas tambem?"