Por Parabólica
Em 30/11/2017

Bom dia,

Ufa! A alegria é geral, mesmo que ainda não se saiba o número real das pessoas que poderão ser beneficiadas. De qualquer forma, todos querem ser o pai, a mãe, a avó, o avô, a madrasta e o padrasto da medida. No fundo a aprovação, em segundo turno na Câmara dos Deputados, da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 199/16, é obra coletiva de toda a bancada de senadores/senadoras e deputados/deputadas federais de Roraima e do Amapá. É claro, alguns desses parlamentares terão a decência de reconhecer isso, mas alguns por certo dirão aos desinformados eleitores que a vitória é fruto de seu prestígio, tudo de olho nas eleições de 2018.

Na verdade, essa alegria sincera de alguns parlamentares tem uma razão de ser. Eles sabem que como representantes do povo de Roraima – e estamos falando da maioria dos mais de 500 mil habitantes do estado – estão no vermelho. Nossos problemas reais, que poderiam trazer desenvolvimento para os habitantes de Roraima como um todo, sequer foram abordados, com o necessário vigor, por esses parlamentares. Estão aí para provar o que dizemos a questão energética, fundiária, ambiental, das terras indígenas e tantas outras que estão à espera de políticos, com perfil de estadista, para exigir mais respeito e autonomia para com nossa população.

ALERTA
Levantamento feito pelo Ministério da Saúde aponta que 10 cidades encontram-se em situação de alerta para surto de dengue, zika e chikungunya no estado de Roraima. Deste total, três estão em risco e sete em alerta para surto. Outros três municípios estão em situação satisfatória. Os dados foram apresentados pelo ministro da Saúde, Ricardo Barros, nesta terça-feira (28). Na ocasião também foi lançada a campanha publicitária de combate ao mosquito Aedes aegypti, que chama a atenção da população para os riscos das doenças transmitidas pelo vetor e convoca a todos ao seu enfrentamento. Boa Vista está igualmente entre as capitais brasileiras com risco dessas doenças.

COBRANÇA
Isto é inusitado. O vice-governador do estado, Paulo César Justo Quartiero, fez publicar no Diário Oficial do Estado (DOE) ofício endereçado ao secretário estadual da Fazenda, Ronaldo Marcílio Santos, pedindo autorização de pagamento, como a urgência que o caso requer, de um Recibo no valor total de R$ 4.300,00 (quatro mil e trezentos reais), referente ao mês de outubro/2017, do aluguel do imóvel, onde funciona a estrutura da Vice Governadoria do estado. Quartiero lembra ao secretário a exigência de que se cumpra a ordem cronológica de pagamento das faturas pendentes na pagadoria estadual.

CONCORRÊNCIA
Como ocorreu na Universidade Federal de Roraima (UFRR), o curso de Medicina foi o mais concorrido pelos vestibulandos da Universidade Estadual de Roraima (UERR). Com apenas 30 vagas ofertadas, 2.672 vestibulandos se inscreveram para àquele curso, o que dá uma média de 89,07 por vaga em disputa. Também como na UFRR, o segundo vestibular mais concorrido é para o curso de Direito que teve 884 candidatos inscritos para 35 vagas em disputa, com média de 25,26 candidatos por vaga ofertada. Na sequência, o curso de Enfermagem aparece como o terceiro mais concorrido, com 453 inscritos, disputando 35 vagas. São 15,1 candidatos por vaga.

TEMPO
O vestibular da Universidade Estadual de Roraima vai ser realizado no próximo domingo, 3/12. Os candidatos terão cinco horas para responder as questões, o que é uma novidade, pois, quase sempre, este prazo é de quatro horas. O certame começa às 8h e termina às 13h, com portões fechando às 7h da matina. Está equivocado quem ainda considera que as universidades estaduais representam um papel secundário no ensino superior do Brasil. Estatísticas mais atuais estimam que somadas às universidades municipais, elas representam hoje 42% das vagas universitárias ofertadas no país.

IMPUBLICÁVEIS
Pelo que se percebe não se deve convidar para o mesmo jantar o notório senador Romero Jucá (PMDB), que é presidido por Jucá, e a senadora Kátia Abreu (sem partido – TO). Expulsa do PMDB por se posicionar contra Michel Temer (PMDB) e sua turma, Kátia Abreu usou ontem a Tribuna do Senado Federal para se defender e teve apoiamento de vários senadores e senadoras. Sobre Jucá, a senadora do Tocantins desceu o verbo, chamando-o de tudo, menos de santo. Falou tão duro, que suas palavras chegam a ser impublicáveis.

BATERIAS
Pois é, por incrível que pareça saiu na imprensa internacional que o Ministério das Minas e Energia (MME) do Brasil e sua Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) estão preocupados com a questão da precariedade no fornecimento da energia elétrica para o estado de Roraima. Por conta dos constantes cortes desse fornecimento, que as autoridades brasileiras culpam o governo de Nicolás Maduro, tanto MME quanto a ANEEL estudam utilizar baterias que segurariam a demanda quando houvesse os cortes. Devem ser baterias muito potentes e muito caras, que irá onerar mais ainda o custo da tarifa que será bancada pelo consumidor. E quem vai ganhar com a utilização dessas baterias? Tem angu nesse mingau!

EQUIVOCADO
Dirigentes da Universidade Federal de Roraima dizem que é equivocada a avaliação feita pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (INEP) que coloca o curso de Medicina da instituição entre os oito piores do país. Segundo esses dirigentes, o que foi publicado pela revista Exame foi o Conceito Preliminar de Curso (CPC), que leva em conta inclusive a forma de acesso dos estudantes ao curso. Aqui, 80% dos egressos que chegam ao curso de Medicina da UFRR têm acesso via concurso do vestibular. “Existe muita pressão para que a UFRR adote o ingresso ao curso de Medicina através dos concursos nacionais. Se fizermos isso, estaríamos excluindo quase todos os jovens roraimenses”, disse um dirigente.

ERRATA
Em atenção à nota denominada “BASTIDORES”, publica¬da no dia 16 de agosto de 2017, a Folha ERROU ao divulgar que o Sr. Renato Amorim teria sido exonerado da presidência da CERR por conduta antiética. Segundo as informações re¬passadas à editoria, o ex-presidente teria levado para “cortar” a faixa de inauguração de uma subestação no Município do Bonfim o senador Romero Jucá, e não a governadora Suely Campos, uma vez que a obra teria sido realizada pela Seinf. Como esclarecido com documentação repassada ao jornal, ficou claro o erro na informação, pois a obra foi realizada pe¬la Eletrobras, e não pela Seinf. O Sr. Renato Amorim já tinha sua exoneração acordada com o Governo do Estado, em data anterior à inauguração, e o mesmo nem esteve presente na ocasião supracitada, portanto, não cometeu nenhum tipo de conduta antiética. Em conformidade ao acordo no proces¬so judicial de número 0823793-93.2017.8.23.0010 e, no desejo de a Folha sempre trazer a informação correta para o seu lei¬tor, está feita a correção.

Parabólica
parabolica@folhabv.com.br
Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!
Últimas de
Parabólica
+ Ler mais artigos de Parabólica