Por Francisco Cândido
Em 26/04/2016

PORTUGUESES NO VALE DO RIO BRANCO e outros fundadores de Fazendas:

Além dos portugueses, também os cearenses, norte-riograndenses, piauienses, pernambucanos, paraibanos e tantos outros, deixaram a terra natal e aportaram em terras do antigo Rio Branco, Território Federal e hoje o Estado de Roraima, e aqui constituíram Famílias e contribuíram para o desenvolvimento socioeconômico desta região do Brasil.

Começemos esta história por uma família de origem portuguesa: a Família Souza Cruz. No ano de 1787 nasceu na cidade de Setúbal, em Portugal, o senhor Horácio de Souza Cruz. Em 1818, Horácio casou-se com Ana Maria Venâncio, deixou Portugal e veio para o Brasil, fixando residência em Belém do Pará, onde comprou uma fazenda, passando a dedicar-se à pecuária, comércio e agricultura. Naquela fazenda nasceram os filhos: Jackson Jacó, Cacilda, Vicente e Alfredo (todos com o sobrenome: “Venâncio de Souza Cruz”).

Depois de 30 anos morando em Belém, os filhos resolveram se mudar para Manaus, no Amazonas. E, o filho Alfredo Venâncio de Souza Cruz  ingressou no Exército, chegando ao posto de Major e veio para Boa Vista, transferido para comandar o Forte São Joaquim.

Alfredo Cruz casou-se com com Francisca Magalhães (filha de Inácio Lopes de Magalhães, ex-comandante do Forte São Joaquim e fundador da Fazenda Boa Vista. O casal teve os filhos: 1- Alfredo (casado com Isaura Magalhães); 2.Homero Cruz (casada com Áurea Mota de Oliveira); 3 - Salomão Matroniano de Souza Cruz (pai do Jacir Cruz, que é pai do Getúlio Cruz, Salomão e Jacir Cruz); 4 - Moisés (casado com Djanira Brandão); 5 - Davi (casado com Maria Pereira-Doninha); 6 - Jesus Nazareno (casado com Dila Mota e, depois com a senhora Líris Mota-dona Lili); 7 - e as filhas: Iaiá,  Nila e Ruth de Souza Cruz Pinheiro (casada com Antonio Pinheiro).

O patriarca Alfredo Venâncio de Souza Cruz deixou para os filhos a Fazenda “Paraíso”, que passou a ser administrada pelo filho Salomão Matroniano de Souza Cruz e depois, para o filho deste, Jesus Nazareno de Souza Cruz que, por sua vez, deixou a Fazenda para os seus descendentes. Noutra oportunidade, publicarei sobre o irmão do Afredo Cruz o senhor Jackson Jacó se Souza Cruz (casado com Amélia de Souza Pau Brasil).

Outras Famílias de origem portuguesa:

FAMILIA DIAS DE SOUZA: o português Antonio Dias de Souza Cruz morava no Amajari, onde era dono das Fazendas: “Lombada”, “Monte Verde” e “Viçosa” (nesta Fazenda ele mantinha um armazém comercial) e, na margem esquerda do rio Cotingo, instalou as Fazendas: “Tatu”, “Reserva” e “Redenção”. Ele casou-se no dia 31/12/1926, com a roraimense Camila Maria Mesquita Dias de Souza. O casal teve 14 filhos. Dentre eles o Camilo Dias, dedicado professor e que hoje tem seu nome numa Escola: a “Escola Camilo Dias”, na Avenida Ataide Teive, no Bairro Liberdade. Outro filho de Antonio Dias é o Bernardino Dias de Souza Cruz,  conhecido como  “Gaúcho Dias” (1902 – 1974). Além das fazendas herdadas do pai, o Gaucho Dias, fundou a “Fazenda Salinas”, na região do rio Ereu.

O Gaúcho Dias era casado com a roraimense Alcinda Nascimento Dias. O casal teve oito filhos: Flávio Dias, Paulo Dias, Bento Dias, Benjamim Dias, Zenilda Abdalla, Marlene e Maria Lúcia Dias de Souza Cruz Casarin (casada com o professor Alamir Casarin).

FAMÍLIA TAVARES: O português Francisco Guilherme Tavares, casado com a cearense Izabel Rodrigues Tavares (Dona Bilica), pais do Albino Rodrigues Tavares,  estabeleceu as Fazendas: Santa Izabel, Nova Esperança, Nova Cruz, Nova Aliança, São Pedro, Predileta, e os “depósitos de bois”: “Enseada” e “Segredo”. Comprou as Fazendas “Santa Bárbara” (do Francisco Souza Vasconcelos) e “Aracati” (do Euclides Souza).

FAMÍLIA RIBAS: - O português Manoel Maria Ribas, casado com Marina Francisca da Silva, fundou a “Fazenda Amarela”, no Amajari.

FAMÍLIA SILVA: José Francisco da Silva, nasceu na cidade de Praga, ao sul de Portugal, em 04/09/1880, veio para o Brasil, instalando-se no interior do Ceará, na cidade de Itapipoca, a 300 Km da capital Fortaleza). Casou-se com a cearense Maria de Jesus da Silva. E, em 1908, a família veio para Boa Vista, e foi para o interior, onde situou a Fazenda “Canta Galo”, na enseada do rio Amajari, próxima da Serra do Guariba. A família era composta pelos filhos: Marina Francisca da Silva (casada com o português Manoel Maria Pereira Ribas,e  este casal teve os filhos: Branca da Silva Ribas, que foi casada com Modestino Galvão, filho do Manoel Pinheiro Galvão (que casou com Adelaide Sarmento, que são os pais de América Sarmento Ribeiro, casada com Antonio Ribeiro Campos, que são os pais do ex-governador de Roraima, Neudo Ribeiro Campos). 2 - Ana da Silva Ribas, casou-se com Nezinho Pereira de Matos); 3 - Domingos Francisco da Silva, casou-se com Maria Alves dos Reis

Outros filhos do casal José Francisco da Silva e Maria de Jesus da Silva: a Efigênia da Silva, casada com Aniceto (Nissa) Campanha Wanderley; José Francisco da Silva, casado com Delcídia da Silva Matos, irmã, do Lucas de Matos; e  Ernesto Francisco da Silva, casado com Clotilde (Cotinha), irmã do Manoel Joaquim - pai do Sulamba, do Antonino e de outros.

Na próxima edição, publicarei a história de outras Famílias, “Orgulho de Roraima.”

Francisco Cândido
franciscocandido992@gmail.com
Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!
Últimas de
Minha Rua Fala
+ Ler mais artigos de Minha Rua Fala