Por Francisco Cândido
Em 18/10/2017


Praticamente restou muito pouco dos tempos da Freguesia de Nossa Senhora do Carmo da Boa Vista do Rio Branco e do estilo arquitetônico das construções erguidas pelos primeiros moradores em torno da fazenda em que originou a cidade de Boa Vista.

A cidade sofreu uma grande transformação, tanto no seu traçado original como na sua arquitetura. Os limites do desenho idealizado pelo Engenheiro/Urbanista Darcy Aleixo Derenussonem 1944,ficaram restritos apenas à região central.

Com o perímetro urbano contando atualmente com 59 bairros, muitos deles fruto de invasões no passado e do crescimento desordenado, Boa Vista cresceu para todos os lados e continua se expandindo. A arquitetura das construções mescla vários estilos, com predominância para o moderno e design de vários tipos e formas.

O prédio da Intendência foi reconstruído, obedecendo às suas linhas arquitetônicas originais de estilo neoclássico. O local abriga hoje a Centro de Informações Turísticas do Município. A Igreja Matriz Nossa Senhora do Carmo também foi restaurada, seguindo os seus traços originais, com a participação da Ordem dos Beneditinos na execução da obra, concluída em julho de 2007.

Uma cidade cada vez mais linda de se ver, a modernização de Boa Vista acelerou nos últimos sete anos. As mudanças podem ser vistas na Orla Taumanan, os terminais de ônibus do Centro e do Caimbé, o Complexo Ayrton Senna e a Vila Olímpica.

O Parque Germano Sampaio,no Bairro Pintolândia, e a Praça das Águas com o Portal do Milênio, o Centro Velia Coutinho, a Praça Fábio Paracat(na Avenida Ene Garcez) e a Orla Taumanan à beira do rio Branco, são obras que embelezam Boa Vista.

Há, por parte da Prefeitura, um projeto urbanístico que irá mudar toda a Orla do rio Branco, inclusive a área onde, por enquanto, está o Beiral. Será a Boa Vista do amanhã.

Francisco Cândido
franciscocandido992@gmail.com
Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!