Por Jessé Souza
Em 18/10/2017

Hora do politicamente incorreto

A desesperança na política e o descrédito nos políticos têm possibilitado uma forte mudança no comportamento das pessoas, que não estão mais conseguindo enxergar mudanças na forma convencional, pela lei, pela justiça e pelo entendimento. Assusta saber que os jovens, rebeldes por sua natureza, também estão contaminados por essa semente do ódio e da falta de esperança, optando pelo conservadorismo da ultradireita.

O momento é tão crítico que as pessoas não querem mais esperar pela polícia e partem para esfolar o ladrão no meio da rua. Porém, isso mais parece com um canibalismo social do que uma ânsia por fazer justiça a qualquer custo, no país da injustiça, pois o mesmo não ocorre com os ladrões dos cofres públicos que passeiam intactos nos palácios.

O politicamente correto está sendo substituído pelo rompante, arrogância e afirmações absurdas. Ou seja, o politicamente incorreto ganha força diante da falta de confiança no sistema político, que foi falido pela corrupção sistêmica no Brasil. É por isso que candidatos que se colocam como “salvadores da pátria” estão crescendo, principalmente porque eles estão sendo combatidos de forma errada nas redes sociais.

Quanto mais se ataca esse tipo de candidato, mais ele cresce, pois ele sabe que usar expressões provocativas, que contrariem o politicamente correto e os direitos humanos, faz bem aos ouvidos e aos olhos daqueles que não acreditam mais na forma convencional de se fazer política, diante do quadro da esculhambação geral da nação.

Se querem combater esse tipo de candidato “politicamente incorreto”, com suas bravatas e rompantes, então devem chamá-lo para o campo das ideias e dos debates, e não atacá-lo por seu extremismo. Mas quem quer discutir propostas e projetos neste país? Na verdade, as pessoas nem querem mesmo fazer parte de projeto algum; querem alguém que faça tudo por elas, de preferência na truculência.

O sistema político faliu não só lá em cima, com suas siglas partidárias e a forma de governar, mas também aqui em baixo, na organização social. Afinal, quem vai encarar uma nova mobilização nacional, com caras pintadas e dancinhas do impeachment, sabendo que todos foram usados por essa politicalha?

E o mais obscuro de tudo é que os jovens e adolescentes estão contaminados por essa desesperança e estão encantados pelo escracho e o esculacho, como ocorre nesses programas “humorísticos” de TV e pelos youtubers, admirados como se fossem a maior descoberta do Século. É isso o que mais preocupa, pois a sociedade está falhando por completo com eles. Isso, sim, é muito perigoso.

*Jornalista
jesseroraima@hotmail.com
Acesse: www.roraimadefato.com.br

Jessé Souza
jesse@folhabv.com.br
Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!
Últimas de
Jessé Souza
+ Ler mais artigos de Jessé Souza