Por Fabiano de Cristo
Em 20/11/2017

Editorial

O atual momento que passa a economia do nosso país, e Roraima não é diferente, as empresas estão fazendo o máximo para não demitir colaboradores. Porém, essa medida extrema se faz necessário, em alguns casos, para manter ou equilibrar a saúde financeira da empresa. A hora da demissão é um dos momentos mais tensos durante o relacionamento entre donos de empresas e os colaboradores. Ninguém gosta de ser demitido e, por mais que não seja muito falado, nenhum empresário gosta de dispensar um funcionário.

O processo de demissão é frustrante para ambas as partes, pois o colaborador sente que não correspondeu às expectativas, que não se adaptou à cultura e à equipe. Do outro lado, o gestor pode pensar que não fez tudo o que estava a seu alcance para auxiliar aquele colaborador ou falhou como líder, além de pensar que pode estar demitindo alguém que realmente precisa do emprego.

Reconhecemos que demitir não é tarefa fácil, e na maioria das vezes, não estamos preparados. Por isso, esta semana organizamos alguns insight para que você possa se preparar melhor e sinta-se seguro realizando essa árdua missão.

Fabiano de Cristo
atuallisconsultoriarr@gmail.com
Consultor Empresarial


A DIFÍCIL MISSÃO DE DEMITIR?

O momento de despedir um funcionário é um dos mais difíceis na carreira de um gestor. É um momento negativo, com uma forte dose de emoção (de quem está sendo despedido) e dependendo da situação requer muita frieza e jogo de cintura por parte do empresário. Por isso, a primeira coisa que você deve fazer é reconhecer que esse é um processo desagradável e desconfortável qualquer que seja a condição da demissão. Aceite isso e entenda que a preparação é o melhor caminho para reduzir o stress do processo.

O processo da demissão se divide em duas etapas, ou seja, antes da reunião da demissão cuidados que você deve ter, e durante a reunião de demissão. Desta forma, preparamos algumas propostas de como você deve proceder, não deixando de lado o seu feeling e experiência como gestor/empresário.

Antes da demissão - Tenha certeza de sua decisão. Após a comunicação ao funcionário, não se deve mais voltar atrás. Avalie se a decisão está baseada em fatos concretos, não se deve dar mais uma oportunidade ao funcionário ou que existem outras alternativas.

O funcionário não pode ter uma enorme surpresa ao ser comunicado da decisão. Nas últimas semanas ou meses, o seu chefe o deve ter alertado sobre seu fraco desempenho e necessidade de melhoria. Se os processos de avaliação de funcionários da empresa são eficientes, o funcionário já sabe que está deixando a desejar e a demissão não será totalmente inesperada. Se o funcionário ficou muito surpreendido, a gerência deve revisar seus métodos de gestão.

Evite o excesso de confiança. Você pode achar que conhece o funcionário bem e que não precisa tomar todos os cuidados no processo de demissão, mas na realidade nunca passou por um momento tão forte com este funcionário, e não sabe realmente como será sua reação. Lembre-se da pressão e stress que ele terá quando receber a notícia, e isso pode alterar o comportamento de qualquer um.

Não deixe a informação vazar. Somente devem saber da demissão as pessoas estritamente necessárias. A empresa deve ter processos que garantam a confidencialidade desse tipo de informação e a punição dos que a quebrarem.

Durante a reunião de demissão – Se possível, faça-a você mesmo. Não delegue essa tarefa ao gerente ou qualquer outra pessoa. A demissão deve ser feita diretamente pelo chefe do funcionário naquele momento, mesmo que tenha mudado de área há pouco tempo.

Dê preferência ao começo da semana. Desta forma, o resto da equipe absorverá a notícia nos próximos dias e você estará disponível para qualquer dúvida ou questionamento que surgir. Também é bom para o demitido, que poderá tomar atitudes profissionais imediatas ao invés de ficar “sofrendo” durante o fim de semana.

Escolha o local e ambiente corretos
A reunião deve ser realizada em uma sala fechada, para evitar a humilhação pública do demitido. Se a sala tiver paredes de vidro, as cortinas devem ser fechadas. Evite qualquer tipo de exposição da pessoa.

Chame o funcionário da forma correta. Ligue para ele ou passe pela sua mesa e peça que vá até sua sala, em um tom natural. Não diga que tem más notícias ou seja brincalhão. Seja somente sério e breve.

Seja educado e cordial. Isto ajudará a manter um clima tranquilo na reunião. Além disso, você não quer criar um inimigo, quem sabe ele não seja contratado pelo departamento de compras de seu cliente.

Nunca peça desculpas ou elogie em excesso. Frases como “Desculpe ter que fazer isto…”, “sei que é injusto, mas…” e “não queria tomar esta decisão…” somente alimentarão os questionamentos e a raiva do demitido. Se você quer destacar os pontos positivos da pessoa para levantar seu ânimo, faça isso de forma discreta, ou também acabará tendo que explicar novamente porque o mandou embora. Pense nisso, e até aproxima semana.

RESENHANDO

Outros cuidados também devem ser tomados depois da reunião. Documente a reunião. Normalmente, de uma forma ou outra a informação discutida na reunião deve ser registrada oficialmente na empresa.

Comunique a equipe. Antes que os rumores se espalhem, junte sua equipe e explique breve e objetivamente a causa da demissão, sem entrar em detalhes que exponham o demitido. Garanta que não fique uma impressão de injustiça. Aproveite o momento para deixar claro que quem trabalha bem é premiado (se isso realmente acontece) e quem não tem bom desempenho não pode fazer parte da organização. Reforce a cultura de execução e a meritocracia. Reflita. O erro não foi somente do demitido. Foi também seu e da empresa, que não souberam escolher a pessoa certa para a função, ou não a souberam treinar e controlar. Avalie o que poderia mudar na organização para reduzir os casos futuros de demissão.

Fabiano de Cristo
jornalista@teste.com.br
Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!