EDUCAÇÃO E SUSTENTABILIDADE

Feira de ciências destaca projetos inovadores para desenvolvimento sustentável em Roraima

As temáticas dos trabalhos são  voltadas ao turismo sustentável, economia de energia, gerador eólico, impacto da indústria têxtil no meio ambiente e papel biodegradável

A Feira é aberta ao público (Foto: Wenderson Cabral/FolhaBV)
A Feira é aberta ao público (Foto: Wenderson Cabral/FolhaBV)
Publicidade
Publicidade

A 30ª Fecirr (Feira Estadual de Ciências de Roraima) que tem  como tema “Ciências Básicas para o Desenvolvimento Sustentável”, está sendo realizada entre esta quarta (6) e quinta-feira (7), das 8h às 17h na Quadra do Complexo Poliesportivo Rivaldo Neves, no Parque Anauá. 

A  Feira, que conta com mais de 210 trabalhos de escolas públicas e privadas, recebe alunos de todos os municípios de Roraima, e até mesmo de estados visitantes, como Minas Gerais e Rio Grande do Sul. 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE



As temáticas dos trabalhos são  voltadas ao turismo sustentável, economia de energia, gerador eólico, impacto da indústria têxtil no meio ambiente e papel biodegradável. 

Segundo a organização, o objetivo principal é trabalhar a iniciação científica e a autonomia com os alunos. 

Projetos sustentáveis

Aluna Kananda Morais, do projeto Sistema Econômico de Energia Solar na Piscicultura de Sustentabilidade Familiar. (Foto: Aysha Baydoun/FolhaBV)

Ao todo, mais de 1000 estudantes participam do evento. Dentre eles, os alunos do EJA (Educação de Jovens e Adultos), da Escola Estadual Professor Geraldo da Silva Pinto, do município de Alto Alegre. O projeto, que tem como tema “Sistema Econômico de Energia Solar na Piscicultura de Sustentabilidade Familiar”, tem como objetivo criar alternativas de energia com a criação e implantação de uma placa de energia solar.

Uma das líderes do projeto, Kananda Morais, explicou que em Alto Alegre, há uma grande área agrícola de cultivos de diversas culturas, e foi pensando em uma maneira de contribuir  com os pequenos produtores que a ideia do projeto surgiu. 

“A gente pensou em algo voltado à agricultura familiar e que não fosse muito caro para não pesar no bolso do pequeno agricultor”, afirmou.

“O sistema visa trazer uma renda para as pessoas que não têm nada,que sejam de baixa renda ou que queiram fazer do peixe o seu próprio sustento”, concluiu. 

Alunos do projeto Da natureza e do lixo: para melhorar, adequar e transformar. (Foto: Aysha Baydoun/ FolhaBV)

Agora já imaginou transformar todo o lixo orgânico das escolas em adubo? Essa é a ideia dos alunos da Escola Estadual Inspetor Luiz Pedro, de Nova Porteirinha, um município de Minas Gerais. 

Os estudantes do ensino médio, Mical Silva, Karen Santos e Joaquim Soares, vieram até Roraima para apresentar o projeto, que tem como tema “Da natureza e do lixo: para melhorar, adequar e transformar!”.

De acordo com Micael, o objetivo é identificar como o lixo produzido nas escolas pode ser gerado para beneficiar a comunidade escolar e promover ações voltadas para a criação de uma nova perspectiva de manutenção do meio ambiente. 

“Nesse projeto, a gente observou que as instituições de ensino produzem bastante lixo orgânico devido à produção diária da merenda escolar dos alunos, certo? Esses lixos orgânicos são descartados de forma inapropriada, gerando impacto ambiental na sociedade. Com isso, nós pensamos em amenizar esse problema e influenciar também gerações futuras a adotar o método sustentável”, explicou.

Os alunos contaram ainda que criaram também um “viveiro sustentável” com plantações típicas da região mineira. Todo o material é orgânico/ reciclável e se decompõe depois de plantado. 

Premiação

A Feira é aberta ao público, e durante os dois dias de eventos, os avaliadores estarão julgando o desempenho dos alunos durante as apresentações dos projetos. Os primeiros 5 colocados ganharão troféus e medalhas, enquanto o 1° e/ou o 2° lugar ganharão credenciais para participar de eventos em outros estados.

Publicidade