SAÚDE

Transtorno Narcisista Materno: Falta de empatia, excesso de cobrança e desvalorização dos filhos são sintomas

O nome desse transtorno, referenciando o mito grego de Narciso, destaca a obsessão pela própria imagem e a demanda constante por admiração dos filhos

Foto Divulgacao
Foto Divulgacao
Publicidade
Publicidade

Os filhos criados por mães narcisistas estão sujeitos a riscos emocionais e psicológicos, manifestando-se em problemas relacionados à autoimagem, ansiedade e depressão. Embora a maternidade seja frequentemente associada a um amor incondicional, a realidade de algumas mães pode se distanciar dessa idealização.

A falta de um vínculo saudável entre mãe e filhos pode ser atribuída ao Transtorno de Personalidade Narcisista, cujo impacto no desenvolvimento emocional e psicológico das crianças é significativo, de acordo com o psiquiatra e professor de Medicina do Centro Universitário de Brasília (CEUB), Lucas Benevides.

Narcisismo
O nome desse transtorno, referenciando o mito grego de Narciso, destaca a obsessão pela própria imagem e a demanda constante por admiração dos filhos, resultando em comportamentos abusivos prejudiciais à saúde mental dos herdeiros. Para Benevides, o Transtorno de Personalidade Narcisista, caracterizado por grandiosidade e falta de empatia, atinge proporções sérias quando presente em mães, gerando consequências adversas nas vidas e nos relacionamentos de seus filhos. Comportamentos manipuladores, críticas constantes e desvalorização dos filhos são sinais desse transtorno, causando impactos negativos como baixa autoestima, depressão, ansiedade e dificuldades de relacionamento.

Psiquiatra e professor de Medicina Lucas Benevides explica os sintomas (Foto Divulgacao)


O psiquiatra destaca que as causas possíveis do narcisismo em mães incluem experiências de infância, como negligência ou superproteção, traumas, influências genéticas e ambientais. Ele ressalta a importância de distinguir entre uma mãe com traços narcisistas e aquela com o transtorno completo, pois os traços podem ser mais pontuais, enquanto o transtorno se manifesta desde a infância em todos os relacionamentos.

Como lidar?
Benevides sugere estratégias para os filhos lidarem com mães narcisistas, como estabelecer limites claros, buscar apoio emocional externo, compreender melhor o narcisismo e praticar o autocuidado. Identificar o transtorno ou seus traços é crucial, sendo essencial buscar ajuda profissional por meio de terapia individual ou em grupo, tanto para a mãe quanto para a família, como parte integral do tratamento.
Quanto à pergunta “Sou mãe narcisista, e agora?”, Benevides destaca que, embora os filhos enfrentem riscos emocionais e psicológicos, existem tratamentos para ambas as partes. Esses riscos podem ser reduzidos por meio de terapia, apoio de outras figuras parentais ou mentores, e estabelecendo uma rede de suporte. O psiquiatra recomenda abordagens terapêuticas cognitivas, reflexivas e aconselhamento familiar, enfatizando que, após o reconhecimento do problema, a terapia pode auxiliar a mãe a compreender e modificar comportamentos prejudiciais, destacando que o autoconhecimento e a disposição para mudar são essenciais para a melhoria do comportamento e do relacionamento com os filhos.

Publicidade