"Queremos que o país siga o exemplo de Boa Vista”, afirma o secretário nacional de saúde, Nesio Fernandes

Declaração foi dada durante uma coletiva de imprensa que tinha como objetivo anunciar o lançamento do programa "Boa Vista +Saúde"

Secretário nacional de saúde Nésio Fernandes ao lado do Prefeito Arthur Henrique e da secretária municipal de saúde Regiane Matos.

(Foto: Nilzete Franco/ FolhaBV)
Secretário nacional de saúde Nésio Fernandes ao lado do Prefeito Arthur Henrique e da secretária municipal de saúde Regiane Matos. (Foto: Nilzete Franco/ FolhaBV)
Publicidade
Publicidade

Na tarde desta segunda-feira (27), foi lançado o programa “Boa Vista +Saúde”, resultado de uma parceria entre a Prefeitura de Boa Vista/RR e o Ministério da Saúde. O objetivo é impulsionar a cidade para se tornar uma referência em excelência no cuidado à saúde em âmbito nacional.

O programa, que fortalece o SUS no município, tem a proposta de ampliar e qualificar os serviços de saúde ofertados em Boa Vista. De acordo com o secretário Nacional de Atenção Primária à Saúde, Nésio Fernandes, a prefeitura decidiu expandir estratégias nacionais reconfiguradas e reposicionadas para a capital.

A novidade foi dada durante uma coletiva de imprensa, no Teatro Municipal. Na ocasião, o prefeito Arthur Henrique compartilhou os progressos do programa e enfatizou o compromisso da cidade em oferecer serviços de qualidade à população.

O secretário nacional de Atenção Primária à Saúde do Ministério da Saúde, Nesio Fernandes, expressou o desejo de que o Brasil siga o exemplo da capital roraimense. “Queremos que o país siga o exemplo de Boa Vista, fortalecendo a atenção primária e proporcionando cuidados de qualidade. Estamos convidando todos os municípios brasileiros a adotarem práticas bem-sucedidas”, destacou.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE



Ele ressaltou também a necessidade de uma abordagem colaborativa para fortalecer o Sistema Único de Saúde (SUS) em âmbito nacional.

O foco principal da coletiva foi a abordagem integral do SUS, detacando a integração entre diferentes pontos da rede de saúde. Arthur Henrique salientou a importância de fortalecer não apenas a atenção primária, mas também a atenção especializada, vigilâncias, promoção e prevenção, visando uma prestação de cuidados completa e eficaz.

“Boa Vista, mesmo diante de desafios complexos, como a crise migratória e sanitária, não só superou adversidades, mas se tornou um modelo para outras localidades do Brasil. O nosso objetivo é servir de espelho para municípios e estados brasileiros”, afirmou o Prefeito.

Arthur também comentou sobre a implementação do Programa Mais Médicos, visando ampliar as equipes de estratégia de saúde da família e saúde bucal. Além disso, adotou um novo horário de funcionamento nas unidades básicas, uma medida que, de acordo com ele, visa fortalecer a atenção primária e reduzir a sobrecarga nos hospitais especializados. Os investimentos realizados têm como objetivo fortalecer a atenção primária e oferecer atendimento de qualidade à população.

“As unidades funcionavam de 8h às 18h, com intervalo entre 12h e 14h, e agora, além de duplicarmos o número de equipes dentro de cada Unidade Básica de Saúde (UBS), aumentamos também o horário de atendimento, já que agora passa a funcionar das 7h da manhã até às 19h sem intervalo”. 

Nesio Fernandes ressaltou que, em oito meses, os resultados dessas iniciativas são “impressionantes”, com a cobertura estratégica saltando de 41% para 85% da população. A prefeitura planeja aumentar o número de unidades básicas de saúde de 34 para 42, atingindo assim 110% de cobertura.

“A participação do governo federal nesse processo é notável, com credenciamento e financiamento para a expansão das equipes de atenção primária. Em novembro, a prefeitura recebeu R$ 2,4 milhões para custeio, evidenciando o suporte financeiro para a continuidade dessas melhorias.

Na coletiva, também foi destacado o programa “Consultório na Rua”, uma iniciativa que leva equipes multiprofissionais para atender a população em situação de rua, prevenindo doenças e garantindo um atendimento eficaz.

“O objetivo é levar assistência de forma mais abrangente, priorizando aqueles que muitas vezes não têm acesso a serviços de saúde”, complementou a secretaria de saúde municipal, Regiane Matos.

O fortalecimento da rede de saúde não se limita apenas à atenção primária, mas também inclui investimentos na atenção especializada, vigilâncias, promoção e prevenção. Destacou-se a importância do investimento no servidor para garantir a integralidade do Sistema Único de Saúde (SUS).

Segundo o secretário, a união da prefeitura com o Ministério da Saúde passa a financiar mais de 50% do custo estimado médio de uma equipe de saúde bucal em todo o país.

Publicidade