SAÚDE

Beber causa ansiedade? Entenda como o álcool impacta seu corpo e mente

O álcool afeta os níveis de serotonina e outras substâncias presentes no cérebro

Foto: Arquivo FolhaBV
Foto: Arquivo FolhaBV
Publicidade
Publicidade

A ressaca é um dos efeitos mais associados após o consumo de álcool, normalmente com consequências de mal-estar, enjoo e dor de cabeça. Mas segundo especialistas da área da saúde, sinais de ansiedade também podem estar ligados à ingestão de bebida alcoólica.

Segundo o Dr. Joseph Janesz, PHD e especialista em dependência química, há várias formas de conectar o álcool e a ansiedade, mas primeiro é preciso compreender o impacto da bebida no corpo e na mente.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE



O especialista afirma, em entrevista ao portal Cleveland Clinic, que uma noite regada ao consumo de álcool pode despertar sentimentos de ansiedade e nervosismo, mesmo se você não for diagnosticado com o transtorno. O motivo é que o álcool afeta os níveis de serotonina e outras substâncias presentes no cérebro. Veja outras formas que o álcool impacta o seu organismo, que podem levar a sintomas de ansiedade:

Desintoxicação leve

Mesmo no consumo de uma quantidade média de álcool (uma lata de cerveja de 350 ml ou 150 ml de vinho), você experimenta sinais leves de desintoxicação. O fígado leva cerca de oito horas para remover o álcool do sistema. Enquanto isso acontece, isso pode afetar o sistema nervoso central e causar nervosismo e ansiedade.

Insônia e perturbações no sono

Mesmo um drinque pode interromper o ciclo natural do sono, causando nervosismo e sentimento de irritabilidade na manhã seguinte. O álcool atua como uma leve anestesia e te leva ao sono, ao menos inicialmente. No entanto, nos últimos ciclos, a bebida interrompe o sono REM, que é responsável por rejuvenescer o corpo. É mais comum não estar tão descansado no dia seguinte.

Esgotamento mineral

O álcool esgota o ácido fólico, particularmente em mulheres. O risco é que quando mulheres estão com ácido fólico em baixa, há maior chance de câncer de mama. Há também um estudo preliminar de que níveis baixos de ácido fólico alteram o humor e causam sintomas de depressão e ansiedade.

Má alimentação e desidratação

A bebida alcoólica normalmente é acompanhada de comidas mais pesadas, tipo frituras, o que pode causar uma sensação desconfortável no estômago no dia seguinte. A falta de água também, que causa mal estar e boca-seca. Ambos podem ser gatilhos para despertar a ansiedade.

Constrangimento Social

É conhecido que o álcool é um desinibidor natural, ou seja, muitas pessoas acabam tomando atitudes que não teriam quando sóbrias. Essa sensação de vergonha no dia seguinte por ações ou falar demais com um colega de trabalho, sem intimidade, pode piorar fobias ou tendências de cobrança própria excessiva. 

Para quem já é diagnosticado com o transtorno, o cuidado precisa ser redobrado. Especialistas afirmam que muitos pacientes utilizam o álcool como uma válvula de escape para situações de stress, mas assim que o efeito da bebida passa, o sintoma de ansiedade permanece e muitas vezes retorna ainda mais forte com aumento na frequência cardíaca, náusea, mãos tremidas e até alucinações. 

O alerta também fica para a mistura de álcool e medicação para ansiedade, que pode impulsionar os sintomas. A recomendação médica é ter atenção com a saúde, anotar os efeitos causados no corpo após a bebida e até cortar o consumo de álcool durante o tratamento.

Publicidade