AUDIÊNCIA PÚBLICA

Comissões da Câmara debaterão fornecimento de energia da Venezuela para RR

Pedido para realizar o encontro é de deputado de Roraima, que cita a preocupação do Estado com o novo contrato de importação da energia

Reunião da Comissão da Amazônia e dos Povos Originários da Câmara (Foto: Renato Araújo/Câmara dos Deputados)
Reunião da Comissão da Amazônia e dos Povos Originários da Câmara (Foto: Renato Araújo/Câmara dos Deputados)

As comissões da Amazônia e dos Povos Originários e Tradicionais e de Minas e Energia da Câmara dos Deputados marcaram para terça-feira (5), às 15h (de Brasília), audiência pública para discutir o restabelecimento da importação da energia elétrica da Venezuela para o Estado de Roraima, e solicitar esclarecimentos do Governo Lula.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE



CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE



O pedido para realizar o encontro é do deputado federal Defensor Stélio Dener (Republicanos-RR), que cita preocupação de Roraima com o novo contrato de importação da energia do País vizinho, por meio do Linhão de Guri.

O deputado federal Stélio Dener durante reunião da Comissão da Amazônia e dos Povos Originários da Câmara (Foto: Renato Araújo/Câmara dos Deputados)

“Essa inquietação decorre justamente do histórico do contrato anterior, que foi interrompido por conta da ineficiência e baixa qualidade da energia fornecida. Foram mais de 200 apagões em um período de quatro anos. O contrato que era para ser finalizado em 2021, foi encerrado em 2019 por essa grande instabilidade”, destacou o parlamentar membro da comissão da Amazônia e dos Povos Originários e Tradicionais.

Dos convidados para a reunião, estão: o ministro de Minas e Energia, Alexandre Silveira, o diretor-geral do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), Luiz Carlos Ciocchi e o diretor-geral da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), Sandoval de Araújo Feitosa Neto.

“Queremos transparência e, sobretudo, segurança de que os consumidores terão uma energia de qualidade e eficiente. É inadmissível que o Estado ainda enfrente essa realidade para garantir seu desenvolvimento econômico e fortalecimento regional”, afirmou Stélio Dener.

Único Estado não ligado ao Sistema Interligado Nacional (SIN), Roraima é abastecido exclusivamente por usinas termelétricas desde 2019. Na época, o Governo Bolsonaro descontinuou o fornecimento elétrico da Venezuela após o País vizinho registrar grande sequência de apagões (83 em 2018 e 14 no início de 2019) e em meio ao choque diplomático com a ditadura de Nicolás Maduro.

O problema se atenuou nos anos seguintes com a chegada de novas usinas termelétricas a Roraima, enquanto não se concretizava a construção do Linhão de Tucuruí – autorizada desde outubro de 2022 -, que promete acabar com o isolamento elétrico do Estado até 2026.

O Governo Lula, que restabeleceu as relações entre Brasil e Venezuela, negocia retomar o fornecimento venezuelano, como forma do País pagar o calote que tem com o Brasil, pelo menos até que as obras das linhas de transmissão terminem.