CENSO AGRO
Pesquisa já identificou existência de 12 mil propriedades rurais em RR
Por Luan Guilherme Correia
Em 03/03/2018 às 01:28

Pouco mais de 12,1 mil estabelecimentos agropecuários em Roraima já foram identificados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que iniciou, em outubro do ano passado, a coleta de dados para o Censo Agropecuário de 2017. A pesquisa envolve 66 recenseadores selecionados e treinados pelo Instituto. 

O total de propriedades rurais registradas pelo IBGE já é 18% maior do que em relação ao último Censo, realizado em 2006. À época, verificou-se a existência de 10.310 estabelecimentos agropecuários no Estado, que ocupavam uma área de aproximadamente 1,7 milhão de hectares, ou 0,5% do total nacional destinado a esse tipo de atividade.

A estimativa inicial para Roraima era de que apenas 10.655 propriedades fizessem parte do novo Censo. Ao todo, os recenseadores visitaram 16.587 endereços em áreas rurais. Foram excluídos, no entanto, os locais que não se caracterizaram como estabelecimento agropecuário. Com a inclusão de outros que foram identificados e que não constavam na lista inicial, o total até o último balanço da pesquisa foi de 12.164 propriedades.

Segundo o gerente do Censo Agropecuário, Antonio Florido, o fato de Roraima possuir diversas áreas indígenas com atividade rural está sendo um fato complicador para a pesquisa. Nesses casos, as visitas ocorrem com a intermediação da Fundação Nacional do Índio (Funai). “Nosso planejamento já previa que teríamos que utilizar um tempo de coleta além do final de fevereiro, pois tínhamos as áreas que sabidamente são de maior dificuldade”, disse.

VISITAS – Os recenseadores estão visitando estabelecimentos que desenvolvam atividades agropecuárias, florestais e aquícolas para venda ou subsistência, independentemente do seu tamanho. Estão sendo considerados quaisquer estabelecimentos cuja sobrevivência econômica dependa totalmente ou em sua maior parte das atividades mencionadas. O questionário é respondido pelo produtor ou pelo administrador da unidade, seja ele o chefe de uma pequena unidade de agricultura familiar ou o proprietário de extensas terras do agronegócio.

A novidade do Censo Agropecuário 2017 foi o uso da tecnologia, com a integração da pesquisa por meio digital, mesmo em regiões remotas. Os dados são coletados por meio do Dispositivo Móvel de Coleta, que contém informações sobre os setores censitários e o Questionário Digital da Coleta, com período de referência que vai de 1º de outubro de 2016 a 30 de setembro de 2017.

RESULTADOS – Previstos para serem divulgados em julho de 2018, os primeiros resultados do Censo Agro vão mostrar o perfil do produtor rural por sexo, idade, cor ou raça, alfabetização e escolaridade, além de abordar a estrutura e a produção agrícola, da pecuária, da silvicultura e da aquicultura.

O resultado mostrará também as transformações nas atividades agropecuárias ocorridas nos últimos dez anos, como a ação de redistribuição de terras, a expansão das fronteiras agrícolas, as alterações no uso do solo, o uso das práticas agrícolas, de conservação do solo e de tecnologias que envolvem a agropecuária. (L.G.C)

Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!