PERÍODO SECO

Boa Vista recomendará máscaras e prefeito pede que se evite atividades ao ar livre

Arthur Henrique revelou que conseguiu identificar que a maioria dos últimos incêndios ocorreu nas cidades vizinhas de Mucajaí e Cantá

O prefeito Arthur Henrique durante entrevista coletiva (Foto: Nilzete Franci/FolhaBV)
O prefeito Arthur Henrique durante entrevista coletiva (Foto: Nilzete Franci/FolhaBV)

Após Boa Vista registrar o ar mais poluído desde o início da estiagem, o prefeito Arthur Henrique (MDB) convocou reunião urgente na manhã desta segunda-feira (25) com o secretariado envolvido no enfrentamento à crise. Em entrevista coletiva no Palácio 9 de Julho, ele revelou que uma das medidas a serem anunciadas será a recomendação do uso de máscara – cujo modelo ainda é avaliado.

Segundo ele, uma das primeiras medidas extraoficiais tomadas hoje foi liberar idosos, um dos públicos mais sensíveis à poluição, de atividades nos Centros de Referência da Assistência Social (Cras). Além disso, o prefeito proibiu as escolas municipais de realizar atividades ao ar livre. “Nas escolas que têm espaço dentro da sala de aula, vamos permitir refeições dentro de sala”, pontuou ele, que deve anunciar recomendações gerais oficiais ainda nesta manhã.

À população, Arthur Henrique recomenda que pessoas ativas evitem fazer caminhadas e corridas ao ar livre pela cidade durante a propagação da fumaça. “Quero pedir para que essas pessoas não realizem essas atividades ao ar livre, neste momento, porque vão estar inalando grande quantidade de fumaça que vai prejudicar o sistema respiratório”, declarou.

Mapeamento do problema

Mapa da Qualidade do Ar em Tempo Real classificou o ar na cidade como “perigoso” (Foto: Reprodução/Roraima24h)

O prefeito revelou que conseguiu identificar, a partir de plataformas especializadas no monitoramento de queimadas, que a maioria dos incêndios ocorreu nas cidades vizinhas de Mucajaí e Cantá, nos últimos dois dias. Ele ainda alertou que os órgãos responsáveis pelo combate não têm suportado ao aumento de incêndios.

Consequências

Arthur Henrique ainda estabeleceu relação da propagação da fumaça com o aumento de atendimentos por síndromes respiratórias no Hospital da Criança Santo Antônio (HCSA), embora ainda não tenha dados precisos sobre o problema.

“O número de internações não sofreu alterações ainda, mas a gente sabe que é uma consequência que pode demorar horas e dias. Esse número pode, sim, aumentar e esse comitê está reunido agora pra gente tomar as recomendações necessárias”, declarou.