Defesa diz que justiça nega junta médica para ex-senador Telmário Mota

Telmário Mota está internado desde o dia 18 de janeiro

Telmário Mota está internado em um hospital particular (Foto: Arquivo pessoal)
Telmário Mota está internado em um hospital particular (Foto: Arquivo pessoal)

Preso desde o dia 31 de outubro de 2023, o ex-senador Telmário Mota está internado em um hospital particular de Boa Vista desde o dia 18 de janeiro. Segundo a defesa, a justiça vem negando os pedidos para que uma junta médica estadual seja realizada, para que ele receba o direito da prisão domiciliar.

Segundo o advogado, Diego Rodrigues, Telmário passou por uma cirurgia ortopédica no joelho, além de tratar problemas cardiológicos, e na próstata. “Ele está com a saúde muito debilitada devido a problemas de saúde que já apresentava e que se agravaram após a prisão, e por conta da idade avançada, requer cuidados constantes até mesmo para as necessidades fisiológicas”, disse.

Ainda segundo o advogado, a justiça determinou que Telmário retorne ao sistema prisional. “Precisamos que a junta médica seja realizada, pois se ele voltar para o presídio não terá os cuidados necessários, pois os agentes não são enfermeiros e não tem a obrigação de acompanhar preso durante suas necessidades, e nos hospitais estaduais a situação está crítica como é de conhecimento de todos”, acrescentou.

Um familiar do ex-senador afirmou que teme pela vida dele. “Se ele voltar para a cadeia do jeito que está hoje ele pode piorar. Condenaram Telmário antes mesmo de ele ser julgado, todos têm direito de se defender e de ter saúde também”, disse.

Processo de estupro

A defesa de Telmário Mota informou à FolhaBV que o ex-senador foi inocentado no processo que trata sobre o suposto estupro da filha. No entanto, segundo o Ministério Público Estadual o ex-senador foi condenado a mais de 8 anos pelos crimes de importunação sexual e fornecimento de bebida alcoólica para menor de idade.

“Obtivemos a absolvição dele nesse processo, o que reforça que ele não é o mandante da morte de Antônia”, pontuou Diego Rodrigues.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE



CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE



O Ministério Público recorreu da absolvição e o processo tramita em segredo de justiça.

A filha de Telmário registrou um boletim de ocorrência em agosto de 2022, alegando que o pai teria tentado agarrá-la dentro do carro, e que teria tomado o seu celular para que ela não pedisse ajuda.

“Nós conseguimos provar por meio de imagens de câmeras de segurança que ela estava com o celular no bolso e que em nenhum momento apresentava nervosismo”, disse o advogado em entrevista á Folha.

“Iremos provar a inocência dele no caso de homicídio”, afirma advogado

Diego Rodrigues é o advogado de defesa de Telmário Mota (Foto: Nilzete Franco/FolhaBV)

Sobre a acusação de que o ex-senador seria o mandante da morte de  Antônia Araújo Sousa, mãe da filha de Telmário, morta com um tiro na cabeça no dia 29 de setembro de 2023, a defesa alega que o ex-senador não tem qualquer envolvimento no caso.

“Não tem quaisquer indício que prove que Telmário é o mandante desse crime, nenhuma das provas da acusação foi materializada, como a motocicleta usada, e arma usada no crime. Nenhuma das capsulas encontradas na fazenda dele bate com o que foi encontrado no dia do crime. Temos convicção da inocência de Telmário”, destacou Diego Rodrigues.

Ainda segundo Rodrigues o caso visivelmente se trata de uma armação política para prejudicar Telmário, tendo início com a acusação de estupro que ocorreu em 2022 quando ele tentava a reeleição ao cargo de senador.