REFORÇO NO ABASTECIMENTO

Caer inicia perfuração de 50 novos poços durante período de estiagem em Roraima

Serão 20 poços perfurados para a capital e 30 para o interior, começando pelos pontos mais críticos

James Serrador fala sobre medidas adotadas pela Caer para o período de estiagem em Roraima (Foto: Fernanda Vasconcelos/FolhaBV)
James Serrador fala sobre medidas adotadas pela Caer para o período de estiagem em Roraima (Foto: Fernanda Vasconcelos/FolhaBV)

Na manhã desta quarta-feira, 7, a Companhia de Águas e Esgotos de Roraima (Caer) anunciou o início da perfuração de 50 novos poços artesianos na capital e interior do estado. A medida é um reforço no abastecimento de água durante o período de estiagem, que ocorre até abril.

Serão 20 poços perfurados para a capital e 30 para o interior, começando pelos pontos mais críticos. Em Boa Vista, inicialmente serão reforçados os bairros Jóquei Clube e o Jardim Floresta, ambos com um a mais. Nos Centros de Reservação e Distribuição (CRD) a divisão ficou com dois poços para o CRD Pintolândia, dois no CRD Tancredo Neves e três no CRD Cidade Satélite.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE



CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE



Já no interior, o município de Pacaraima receberá mais dois poços, a Vila Campos Novos, em Mucajaí, receberá mais dois e o município de Rorainópolis terá a perfuração de mais três.

Conforme o Presidente da Caer, James Serrador, os poços ja foram licitados com um investimento de R$12 milhões.

“Já estamos vivendo uma situação crítica por conta da forte estiagem que acontece no nosso estado, com a redução drástica do nível do Rio Branco, que está praticamente negativo, aliado à redução da produção dos poços e o aumento do consumo em função do calor”, declarou o presidente.

De acordo com Serrador, as obras devem iniciar esta semana e ao todo os poços duram em torno de 20 dias para estarem totalmente prontos e funcionando.

Redes dos bairros Aracelis e São Bento serão interligadas

Um ponto crítico de abastecimento na divisa entre os bairros Aracelis e São Bento foi identificado pela Caer. Para corrigir o problema, serão interligados 1.100 metros de rede de 250 mm a partir da Avenida Brasil. A obra, que teve investimento de R$1,5 milhão deve iniciar esta semana.

O monitoramento de todos os bairros da capital identificou baixa pressão em vários locais no sistema de abastecimento. São 4 a 5 metros por coluna de água (MCª) registrados quando o ideal deveria ser 10 MCª, o que gera a reclamação da população.

“A baixa pressão está afetando algumas áreas dos bairros Jóquei Clube, Senador Hélio Campos, Jardim Floresta, São Bento, Cinturão Verde e Operário, que é antiga região de chácaras, sofreu desmembramento e atualmente possui muitas ligações precárias que afetam o abastecimento, os chamados pés-de-galinha”, informou o presidente.