SOLIDARIEDADE

Família de mulher morta a tiros no Ceará pede ajuda para trazer crianças órfãs para RR

Amanda Reinaldo tinha seis filhos e foi atingida com disparos de arma de fogo pelo companheiro no último dia 25 de fevereiro

Amanda Reinaldo com cinco dos seis filhos no ano de 2019. (Foto: reprodução/redes sociais)
Amanda Reinaldo com cinco dos seis filhos no ano de 2019. (Foto: reprodução/redes sociais)

Os pais de Amanda Reinaldo, morta a tiros em Fortaleza (CE), pedem ajuda para trazer os seis netos para Roraima. A ajuda deve custear as passagens da família.

Em relato à FolhaBV, Antônio Reinaldo e a esposa, Vanusa Sales, irão cuidar dos netos, que tem idade entre 1 e 16 anos. No entanto, ele é autônomo e não tem condições de pagar as oito passagens de Fortaleza até Boa Vista.

“Nós iremos cuidar deles. Eles estão com a gente, três estão na casa de outra pessoa [próxima à família]. A ajuda é só para pagar as passagens”, disse o pai da vítima.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE



CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE



Amanda era natural do Amazonas e estava em Fortaleza há cerca de um devido uma proposta de trabalho. Já os pais dela moram no estado roraimense, onde tem casa e Antônio consegue realizar alguns trabalhos manuais diversos.

As doações podem ser feitas via PIX, pelo número de telefone (95) 99132-6371, em nome de Antônio Reinaldo.

O caso

Amanda foi morta pelo próprio marido, com quem tinha uma relação há seis anos. De acordo com o Diário do Nordeste, o casal começou a discutir por volta de 18h40 do dia 25 de fevereiro, um domingo, quando a mulher saiu de casa correndo com a criança.

O homem, então, retirou a filha dos braços da mãe e atirou três vezes em direção à vítima. Uma bala a atingiu na cabeça, na frente de uma farmácia próxima à residência do casal.

Após o disparo, o homem entrou com a bebê no estabelecimento comercial e chegou a fazer outros reféns. Equipes policiais chegaram ao local e começaram a negociar a liberação da bebê. O homem saiu da farmácia e sentou em uma calçada.

Vídeos feitos por quem passava pelo local mostram o homem com a arma em punho, direcionada para a própria cabeça, enquanto segurava a filha. Um atirador de elite conseguiu atingir a mão do homem armado e a polícia conseguiu resgatar a bebê.

relata o jornal local.

O marido de Amanda foi conduzido para a Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) de Fortaleza, onde foi autuado em flagrante por tentativa de feminicídio e está à disposição da Justiça. Ela morreu três dias depois, na última quarta-feira (28), no Instituto Doutor José Frota (IJF).