FALANDO DE NEGÓCIOS

Evite seguir as pegadas de um grande homem

Evite seguir as pegadas de um grande homem
Publicidade
Publicidade

Muita gente acha que o passado deve ser banido completamente, mas ele é a referência para todos os desdobramentos que acontecem todos os dias. Quem ignora a história, ignora o passado. Quem ignora ou menospreza as experiências do mundo, estará fadado a voltar a estaca zero dos seus projetos, por não ter referências. Quem não tem inspirações, modelos, referências ou ídolos terá muito mais trabalho para executar as suas tarefas. Essa disputa incansável pelo poder da vida, tem feito com que enterremos as belas histórias, os bons legados, os bons exemplos e deixando o mundo funcionar como se tivesse “reset” ao invés de buscar soluções em função das experiências para não perder tanto tempo querendo reinventar a roda.

Mais uma discussão interessante sobre as Leis do Poder, mas a Lei 41 merece uma análise bem criteriosa, pois nos traz uma reflexão sobre preferir voltar ao estágio inicial e refazer tudo, seguindo um novo modelo ao invés de avançar rápido aproveitando as experiências de quem já viveu.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE



Esse comportamento cada vez mais presente em nossa sociedade é a materialização de que foi criada uma competição DESNECESSÁRIA entre as gerações atuais e as mais antigas (jovens a mais tempo). Onde passou-se a ignorar a importância da experiência de quem já viveu, para que se criasse uma provocação sobre quem tem um desempenho melhor atualmente, matando a EXPERIÊNCIA de quem já fez e passou por todas as dificuldades possíveis. Acredito ser um momento, que infelizmente demorará a passar, já que a juventude está cada vez mais autossuficiente se baseando em soluções lógicas, tecnologias frias e a total ignorância em relação a importância do capital humano, seja ele do hoje ou do ontem.

Essa lei, ao ser avaliada no mundo da política explica facilmente uma das grandes características da política brasileira. A cada novo ciclo de um presidente, governador ou prefeito, projetos que estavam dando certo em outras gestões, ou mudam de nome ou são descontinuados, pois não tem o DNA de quem está na cadeira. Lamentável, porque o papel da política é observar em primeiro lugar as necessidades da população para, somente depois, avaliar ferramentas de marketing que colocaram sua marca de gestão no benefício. Esse exemplo ilustra com clareza o que é ignorar legados, ignorar testes e pré-testes de soluções que funcionaram, preferindo partir para voltar a linha de partida para competir em uma corrida de 100 metros livres, onde o pior é ver que ele quer concorrer sozinho, já que para esses PROFESSORES DE DEUS ninguém no mundo tem capacidade maior do que eles.  

Veja o que diz a lei 41, do livro “As 48 leis do poder” de Robert Greene:

Lei 41: Evite seguir as pegadas de um grande homem. O que acontece primeiro parece melhor e mais original do que vem depois. Se você substituir um grande homem ou tiver um pai famoso, terá que fazer o dobro do que eles fizeram para brilhar mais do que eles. Não fique perdido na sombra deles, ou preso a um passado que não foi obra sua: estabeleça o seu próprio nome e identidade mudando de curso. Mate o pai dominador, menospreze o seu legado e conquiste poder com a sua própria luz.

Uma das coisas que defendo por onde passo é que temos que juntar e equilibrar a VONTADE DE FAZER da juventude com a EXPERIÊNCIA de quem já fez. Parece algo tão óbvio, mas ainda tem muita gente achando que chegou ao mundo como a última bolacha do pacote. Pessoas que ignoram tudo e todos por conta de um projeto de poder. Muitas dessas pessoas herdaram grandes legados e colocaram tudo a perder. Alguns cresceram na facilidade e criaram a cultura de que a facilidade é eterna e quando postos a prova, descobriram que não sabiam ainda nem trocar as fraudas. Ao longo de anos de história se viu famílias todas sendo deterioradas pelo poder, mas insisto em defender que o PODER não tem culpa de nada, mas a ambição do poder desmedido, esse sim tem culpa de muitas desgraças.

Criar o seu espaço em busca do sucesso é absolutamente normal. As regras utilizadas é que devem se manter dentro das quatro linhas do campo.

A lei sugere que é melhor evitar simplesmente seguir os passos de pessoas notáveis ou famosas, especialmente se você estiver substituindo alguém ou sendo comparado a um pai famoso. A ideia é que o que acontece primeiro pode parecer mais interessante e original do que o que vem depois. O conselho é que, se você está na sombra de alguém ou preso ao legado de outra pessoa, é importante estabelecer sua própria identidade e fazer algo significativo por si mesmo. Essa sugestão, um tanto quanto confusa evidência mais a ainda a necessidade de reinventar o ser humano. A marca pessoal, como o termo mesmo anuncia, é PESSOAL, portanto, intransferível, mas isso não quer dizer que você não possa construir a sua marca aproveitando o legado ou exemplo deixado por alguém, corrigindo características ou medidas não tão bem avaliadas em seu antecessor ou exemplo.

Jamais substituiremos a famosa frase de que: ‘‘Quem chega primeiro, bebe água limpa”, mas podemos chegar depois e criarmos algo como: “Quem chega depois, pensando no futuro e respeitando as pessoas, sempre será servido com a melhor água mineral do mundo”.

E para fecharmos o nosso artigo é importante refletir por uma das afirmações mais contundentes dessa lei. A expressão “mate o pai dominador” é uma referência simbólica à ideia de romper com a influência dominante ou a sombra de uma figura poderosa do passado. “Menosprezar o legado” significa não se sentir obrigado a viver à altura das expectativas ou seguir o caminho estabelecido por outros. A mensagem geral é encorajar a busca da individualidade, identidade própria e o estabelecimento de um nome distinto através de ações originais e significativas. Toda frase é analisada nos mais diversos contextos, mas no caso específico de um projeto de buscar de poder, dentro da racionalidade, jamais mate ou menospreze o legado de quem trabalhou dia e noite para dar uma condição melhor a alguém. Você pode criar a sua marca, mas essa construção dependerá do seu exemplo, da sua humildade, da sua atitude, do seu respeito e acima de tudo do seu temor que acima de todos existem um ser maior e supremo, que não é você.

Siga os bons exemplos de um grande homem e jamais ignore legados. Tudo na vida pode ser reinventado, melhorado e posto à disposição da felicidade de todos, isso sempre será considerado como um gesto nobre e será percebido e aprovado. Ao reconhecer experiências e legados, todos os seus projetos receberão uma infinidade de atalhos que levarão você mais rápido aos seus objetivos. Você não precisa necessariamente substituir ninguém, usando estratégias que visem levar a esquecer seu antecessor. Busque sempre fazer mais, com qualidade, ética, respeito e mantendo a dignidade de todos, assim você brilhará mais do que qualquer outro, sem que as pessoas o coloquem sombra de quem veio primeiro, ou preso a um passado que contribuiu para que você chegasse aonde chegou: estabeleça o seu próprio nome e identidade alinhados e redirecionando cursos. Jamais permita que as pessoas matem ou ignorem a experiência, jamais menospreze o legado de alguém, ele será fundamental na construção de sua imagem e da sua própria luz.

Por: Weber Negreiros

CEO da WN Treinamento, Consultoria e Planejamento

Contatos via WhatsApp: WN Norte 95 99133 4737 | WN Sul 11 95 98123 9921

Publicidade