TENTATIVA DE HOMICÍDIO
Jovem é alvejado com dois tiros em frente a residência no Sílvio Botelho
Segundo a testemunha, o homem que efetuou os disparos era loiro e o condutor do veículo tinha traços indígenas e cabelo espetado
Por João Barros
Em 01/12/2017 às 00:54

Um jovem, de 22 anos, foi alvo de uma tentativa de homicídio no fim da noite de quarta-feira, 29, quando recebeu dois tiros enquanto conversava com uma amiga em frente a uma residência localizada na Rua Benjamim Pereira de Melo, antiga N-15, bairro Sílvio Botelho, na zona Oeste de Boa Vista. O fato ocorreu por volta das 23h. A motivação do crime, segundo a polícia, pode ser um acerto de contas de facções criminosas, uma vez que os autores do crime são apontados como integrantes de uma organização criminosa.

A PM informou que foi acionada para atender a ocorrência e, no local, constatou que a vítima foi alvejada com dois tiros. O jovem ferido contou aos policiais que estava em frente à residência onde o fato ocorreu, conversando com uma amiga, quando dois indivíduos, em veículo Fiat/Pálio, cor prata, passaram e efetuaram alguns disparos em sua direção.

Dos dois tiros que acertaram a vítima, um pegou na coxa direita, acima do joelho, e o outro atingiu o antebraço esquerdo e a região das costelas. A adolescente, de 17 anos, que estava junto com a vítima no momento da abordagem criminosa, não sofreu qualquer ferimento.

A garota que testemunhou o fato disse que o condutor do veículo era um homem com traços indígenas e cabelo espetado, enquanto o comparsa, que efetuou os disparos, era loiro. No local do crime, os policiais encontraram quatro cápsulas de munição deflagradas, todas de calibre 380. O bandido atirou usando uma pistola.

O jovem começou a passar mal e a perder sangue e ficou deitado, dentro de casa, até a chegada da equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) que, após os primeiros socorros, fez a remoção da vítima até o Trauma do Hospital Geral de Roraima (HGR) para receber atendimento médico especializado.

Apesar das diligências, as guarnições do 2o Batalhão da PM não conseguiram encontrar o veículo e os suspeitos com as características narradas pela testemunha. O Relatório de Ocorrência Policial (ROP) foi entregue no 4o DP para que a autoridade policial inicie as investigações e chegue aos suspeitos do crime. (J.B)

Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!