CLUBE DE ASTRONOMIA
Eclipse solar vira atração na Capital e atrai observadores no Sesc Mecejana
Gostei (2) Não gostei (0)
Clube de Astronomia de Roraima promoveu observação do fenômeno no Sesc do Mecejana na tarde de ontem
Por Folha Web
Em 22/08/2017 às 01:11
Alunos, amantes de astronomia e curiosos se reuniram no pátio da Escola do Sesc (Foto: Wenderson de Jesus)

Um grupo de mais de 100 pessoas se reuniu no pátio da Escola do Sesc Mecejana, no bairro Mecejana, na zona oeste, para observar o eclipse solar que ocorreu durante a tarde desta segunda-feira, 21. O evento foi planejado pelo Clube de Astronomia de Roraima, que disponibilizou telescópios com filtros especiais para observar o céu, com o apoio do Sesc.

De acordo com um dos fundadores, Abreu Mubarac, o clube fez um investimento de R$300,00 para comprar os filtros utilizados durante a observação. “É necessário fazer uma observação com esse material especial para não danificar os olhos”, ressaltou. Os estudantes do Sesc também estavam presentes no evento.

O fenômeno começou às 14h55 e atingiu seu ápice às 16h01 em Boa Vista e pode ter passado despercebido para os mais desavisados. Não é o caso do psicólogo Weslen Lima, que acompanha a agenda do Clube de Astronomia. Ele disse que é a segunda vez que observou um eclipse solar. “Lembro que ocorreu um quando eu era criança. Tenho grande interesse nesses fenômenos”, comentou.

O FENÔMENO - Um eclipse solar ocorre quando a lua se posiciona de tal maneira entre o sol e a Terra que ela acaba por lançar uma sombra sobre o planeta, informa a Agência Espacial Americana (Nasa). A lua, então, bloqueia a entrada de luz solar que chega à Terra.

O eclipse desta segunda-feira foi um eclipse solar total. Nesse tipo de eclipse, o sol, a lua e a Terra estão bem alinhados, quase em linha reta. Há também o eclipse solar parcial – quando sol, Lua e Terra não estão totalmente alinhados. Outro tipo de eclipse solar é o anular, quando, pela distância em que se encontra, a lua parece “pequena” e acaba por não tapar completamente o Sol.

REPERCUSSÃO - As 16h01min se tornou um dos momentos mais esperados do dia para os boa-vistenses: momento em que o eclipse solar, fenômeno que ocorre somente uma vez a cada 18 meses e que ontem pôde ser visto da Capital roraimense.

Pelas redes sociais, os roraimenses repercutiram o fenômeno. Alguns reclamaram da pouca visibilidade do eclipse e da dificuldade em conseguir vê-lo, além da intensidade com que o sol continuava brilhando mesmo sendo parcialmente encoberto pela lua. Outros aproveitaram para contemplar a beleza do fenômeno e registraram o momento nas redes.

A previsão da Nasa é que não haja eclipse solar em 2018 e que o próximo deverá ocorrer em julho de 2019. A possibilidade de maior abrangência no Brasil e seu trajeto de escuridão será na América do Sul.

Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!