GUERRA DE FACÇÕES
Criminosos jogam cabeça de adolescente em parque aquático
Homicidas gravaram vídeo antes e durante a morte da vítima, que foi decapitada
Por João Barros
Em 29/12/2017 às 00:35
Parque aquático onde a cabeça do adolescente morto foi encontrada está completamente pichado (Foto: Hione Nunes)

Um adolescente, identificado pela polícia e pelo Instituto de Medicina Legal (IML) como E. B. da S. J. de 17 anos, foi executado na noite de quarta-feira, dia 27, e somente a cabeça foi jogada no parque aquático que fica no bairro Jardim Primavera, zona Oeste de Boa Vista, localizado no cruzamento da Rua das Acácias com a Rua Sagitário.

A guarnição da Polícia Militar fez o isolamento da área até a chegada dos peritos, que realizaram os procedimentos técnicos e, em seguida, o rabecão do Instituto de Medicina Legal (IML), que fez a remoção da cabeça, a fim de ser submetida a exame cadavérico.

Muitos populares cercaram o local, inclusive testemunharam o momento em que policiais do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) prenderam dois elementos que usavam entorpecentes nas dependências do parque aquático, que está abandonado. Nas paredes do prédio e muros em torno do parque há muitas pichações que fazem referência ao Primeiro Comando da Capital (PCC), como “Primeirão”, “Quinzão”, “15/3/3”.

Apesar de suspeitar que o caso se tratasse de guerra entre as organizações criminosas que atuam dentro e fora do Estado, a Polícia Civil só confirmou o fato a partir da divulgação de dois vídeos nas redes sociais, nos quais o adolescente aparece sendo torturado, tendo armas apontadas para seu rosto antes de morrer e depois aparece morto, sendo decapitado e esquartejado. Até o momento, o corpo não foi localizado.

Na manhã de ontem, familiares da vítima procuraram o IML. Os peritos realizaram o exame a partir da arcada dentária para fazer a identificação do adolescente. O caso está sob a investigação da Delegacia-Geral de Homicídios (DGH) que busca saber quem foram os autores do crime.

VINGANÇA - O jovem foi sequestrado, teve as mãos amarradas, e após a tortura foi assassinado. O crime ocorreu em local isolado, nas redondezas da Capital, e foi fotografado e filmado pelos próprios homicidas, que são integrantes da facção criminosa Comando Vermelho (CV). A vítima, segundo narram os próprios executores, pertencia ao Primeiro Comando da Capital.

No primeiro vídeo, os criminosos aproximam-se do jovem, ainda vivo, com mãos e pernas amarradas e dizem que aquele momento servirá como vingança. “Ei vagabundo, aqui é o seguinte. Nós vamos vingar a morte do nosso irmão que vocês mataram na covardia, que o moleque não tinha nada a ver com o crime, tá ligado? Aqui é a cobrança pelo irmão do 'Kiko louco', tá ligado? Irmão que vocês mataram não fazia parte do crime, não. Aqui é pelo irmão do “G3” também e por todos os nossos irmãos que se foram, que vocês mataram na covardia. Aqui é a tropa do 'Nandinho', bonde do V.L., tá na pista e tá aberta a caçada. O PCC que se cuide, que vocês pulem esse muro agora pra bater de frente com o crime, bate de frente com nós”, afrontou o criminoso.

Os autores do crime estavam armados com revólveres e um facão. Enquanto um filmava a execução, o outro utilizava a arma branca para cortar a cabeça do menor. O indivíduo fez ameaças à organização rival. “Aí ó pra todo o PCC do Estado de Roraima, está aberta a caçada ao PCC. Pula o muro agora, quem manda aqui [xingamentos] é o CV, é o trem bala, aqui é tudo do bonde do 'Nandinho' nas pistas”, disse um dos suspeitos, enquanto cortava a cabeça do menino.

O criminoso ainda mencionou o nome de Waldeneys de Alencar Souza, o “Diney”, ex-líder do Comando Vermelho em Roraima, morto após disputa entre o crime organizado na Penitenciária Agrícola de Monte Cristo (Pamc), em outubro do ano passado. “Os que dizem ser PCC trata de rasgar a camisa, porque se não rasgar, vamos pegar um de cada vez. Aqui é o bonde do “Diney”, que se foi, mas nós tá dando continuidade. Se matar um do CV, nós mata 10 do PCC”, declarou.

As imagens e vídeos foram divulgados pela Polícia Civil na manhã de ontem, 28, na tentativa de buscar pistas que possam ajudar a identificar os criminosos. As provas do homicídio teriam sido enviadas para dentro da Penitenciária Agrícola, onde estaria preso o líder do PCC em Roraima. (J.B)

rnuj disse: Em 29/12/2017 às 07:41:32

"TORCENDO MUITO PARA QUE TODOS SE MATEM, ANTES DO CARNAVAL!!! "