HIV/AIDS
Cresce número de adolescentes e de adultos de 50 a 59 anos com Aids
No contexto geral, o número de casos da doença diminuiu no Estado
Por Minervaldo Lopes
Em 02/12/2017 às 01:34
Uso do preservativo é a única forma de prevenir a transmissão do HIV (Foto: Hione Nunes)

Dados do Sistema de Informação de Agravos de Notificação (SINAN Net), usados pelo Ministério da Saúde (MS) para monitorar as notificações de doenças e agravos no país, apontam que houve queda no número de casos de Aids sob investigação em Roraima. De acordo com o levantamento obtido pela Folha, de janeiro a novembro deste ano, foram notificados 315 casos suspeitos da doença no Estado, 86 registros a menos que no mesmo período de 2016.

As reduções mais significativas, segundo o SINAN Net, ocorreram na população de 20 a 29 anos, que neste ano registrou 114 casos, 48 a menos que em 2016; e entre as pessoas com idade entre 30 e 39 anos, com 84 casos este ano contra 106 do ano anterior.

Apesar dos dados satisfatórios, houve crescimento de registros da doença na população de 15 a 19 anos, com 38 notificações, oito a mais que no ano anterior; e entre pessoas da faixa etária de 50 até 59 anos, com 36 casos em 2017 contra 28 no ano de 2016.

Em relação à investigação da doença por gênero, o SINAN Net apontou que a redução dos casos foi maior na população masculina. No ano passado houve 306 notificações, enquanto que neste ano são 231 registros, uma redução de 75 casos. Já entre a população feminina, o número de notificações caiu de 95 casos para 84, 11 casos a menos.

Outro dado estatístico revelado ontem, dia 1º, pela Secretaria Estadual de Saúde (Sesau) confirmou que 54% das pessoas infectadas no Estado por HIV/Aids são heterossexuais. Em seguida aparecem os homossexuais, com 25%; e bissexuais, com 8%. Os outros 13% do levantamento não informaram a orientação sexual.

Além da Capital, o Município de Pacaraima, localizado no Norte do Estado apresentou elevação no número de casos. O fluxo migratório é apontado como uma das causas prováveis para esse aumento.

PREVENÇÃO - Para conscientizar a população sobre os riscos de doenças sexualmente transmissíveis e promover debates sobre a importância da prevenção, a Associação de Bem com a Vida, em parceria com o Fundo PositHIVo e a Universidade Federal de Roraima (UFRR), promoveu durante dois dias as atividades do II Seminário IST/HIV/AIDS e Hepatites Virais.

Alusiva ao Dia Mundial de Combate à Aids, celebrada ontem, dia 1º, a iniciativa promoveu uma série de atividades, desde palestras a exposições de estudos epidemiológicos. Tanto as autoridades do Estado quanto de Boa Vista foram convidadas a explanar sobre o que tem sido feito para combater as doenças no Estado.

“Além de trazer a Aids e as problemáticas que os portadores enfrentam e as entidades de ajuda para a discussão, o principal foco do seminário é esclarecer sobre as prevenções combinadas, que é uma estratégia que está sendo implementada pelo Ministério da Saúde (MS). Esse novo mecanismo une uma série de ações de prevenção, fazendo com que elas atuem juntas, desde a formas de tratamento para pessoas que convivem com o HIV ao uso das novas tecnologias de prevenção”, destaca a psicóloga da ALV e uma das organizadoras do evento, Bruna Azevedo.

Outra finalidade da ação foi apresentar os primeiros resultados do projeto “Venha Mulheres!”, desenvolvido há seis meses pela associação e que tem como foco a prevenção de HIV/Aids e Hepatites Virais junto ao público feminino de 13 a 60 anos.

“O projeto discute com esse público os mais variados assuntos, desde a questão de gênero, autonomia, buscando que a mulher tenha mais espaço para falar sobre sexualidade, para receber informações a cerca da prevenção.

Todos esses esclarecimentos são levados de forma itinerante na Capital e em Pacaraima, respeitando o contexto onde vivem essas mulheres, para que elas se sintam a vontade para desmistificar os tabus que existem acerca desse assunto”, pontuou. (M.L)

Igor disse: Em 02/12/2017 às 10:43:32

"Aids ou Hiv? "