Por Francisco Cândido
Em 30/11/2016

RUA CAUBI BRASIL MAGALHÃES - no Bairro Senador Hélio Campos

Caubi Brasil Magalhães era neto do fundador da cidade de Boa Vista, o capitão Inácio Lopes de Magalhães. Na vida profissional, Caubi Magalhães foi Chefe de Polícia em Manaus, no Amazonas e, posteriormente, Chefe de Polícia da Divisão de Segurança e Guarda do Território Federal do Rio Branco (o equivalente hoje a Secretário de Estado da Segurança).

Caubi Brasil Magalhães nasceu no dia 23/05/ 1902, na localidade do Bem-querer, perto da sede do Município de Caracaraí. Era filho de Carlos Mardel de Magalhães e de Eliza Brasil Magalhães. Após a morte dos seus pais, Caubi foi morar em Manaus com a família do capitão Bento Ferreira Marques Brasil (Bento Brasil), que a época possuía uma Gráfica e um barco com o nome de “Ajuricaba”. Este barco/lancha fazia o transporte de pessoas e mercadorias no trecho Manaus-Boa Vista- Manaus, e o Caubi Magalhães passou a ser o piloto/comandante do barco.

Mas, foi em Boa Vista que o Caubi Magalhães casou. A esposa (Militina Level Magalhães) era filha de Quintino Level Gutierre e de Evangelista Ribeiro Gutierre. O casal Caubi e Militina foi morar na região do alto rio Tacutu, onde estava a Fazenda Janicurú, que pertencia ao sogro Quintino Level. O casal passou a criar Militina Level Magalhães. A esposa Militina era uma excelente artesã e costureira. Ficou famosa pelos seus trabalhos manuais e pelas belíssimas redes que fazia.

Passado algum tempo, a fazenda apresentou problemas e em 1936 o Caubi Magalhães retornou para boa Vista com a família e passou a morar num casa ao lado do “Moura Bar” (onde hoje está a Lanchonete Aracati, na esquina da Avenida Jaime Brasil com a Rua Bento Brasil, Centro). E, em 1937 o Caubi arrendou o “Moura Bar”, que pertencia ao senhor Antonio Luitigards Moura.

Em 1938 o Caubi foi trabalhar como gerente da padaria do senhor Felipe Xaud. (situada à época na Avenida Jaime Brasil). Depois montou a sua própria Padaria, no prédio onde hoje funciona um órgão federal, em frente à Escola Ayrton Senna, na Rua Floriano Peixoto, Centro.

O casal Caubi e Militina, teve os seguintes filhos: Délio Level Magalhães; Ceci Brasil (não é a Cecy Lya Brasil – filha de Adolpho Brasil); Iaci Brasil, Défino Carlos Magalhães, Damir Level Magalhães; Délcio Level Magalhães, José Dilson Magalhães; Carlos Mardel Magalhães neto; e Caubi Brasil Magalhães filho.

Na época, a cidade de Boa Vista ainda pertencia ao Estado do Amazonas (e, só se tornou independente com a criação do Território Federal do Rio Branco, no dia 13/09/1943). Por indicação do capitão Bento Brasil, que tinha influência junto às autoridades em Manaus, o Caubi Magalhães foi nomeado em Boa Vista para o cargo de Chefe de Polícia, e passou a ser também o representante do Amazonas, quando à questão envolvia segurança pública.

Em 1945, o Caubi Brasil foi nomeado Delegado de Polícia do Interior, indo para a região do Surumú, onde foi o seu primeiro Delegado. Passados dois anos, voltou à Boa Vista e foi nomeado Diretor da “Divisão de Segurança e Guarda”-DSG, o equivalente hoje a Secretário de Estado da Segurança.     E, foi nessa função que se aposentou aos 56 anos de idade, devido a problemas de saúde.

Como estava sempre doente e precisava constantemente se deslocar para hospitais de Manaus, Caubi comprou uma casa na Avenida 7 de Setembro em Manaus e foi morar naquela cidade. Mas, sempre que melhorava de saúde vinha a Boa Vista, visitar os filhos e a esposa.

Com o tempo, a dona Militina, que havia ficado em Boa Vista, trabalhando como costureira para o sustento dos filhos, resolveu ir prá Manaus cuidar da saúde do marido. Mas como ele não melhorava, passado algum tempo, o casal voltou à Boa Vista.

Com os problemas de saúde agravando, Caubi Brasil Magalhães não resistiu. No dia 22/01/1984, aos 82 anos de idade, vítima de parada cardiorrespiratória e infarto do miocárdio, faleceu. O Atestado de Óbito foi assinado pelo médico Alceste Madeira de Almeida.

Praticamente, dois anos após a morte de Caubi, faleceu a sua esposa Militina Level Magalhães, no dia 15/12/1986, aos 80 anos de idade, devido a problemas cardíacos.

A Câmara Municipal de Boa Vista, por iniciativa do à época vereador Otoniel Ferreira de Souza, aprovou um Projeto de Lei (Projeto nº 029, de 25/04/2003) redenominando a antiga Rua N-23, no Bairro Senador Hélio Campos, com um novo nome: “RUA CAUBI BRASIL MAGALHÃES, conforme Lei nº 680/03, datada de 11/07/2003.

Em sua justificativa, para a aprovação do Projeto de Lei, o vereador Otoniel Ferreira de Souza, destacou: “É uma justa homenagem a um homem que dedicou sua vida á família e à segurança da sociedade roraimense, além de haver contribuído com o desenvolvimento comercial de Boa Vista”.

Francisco Cândido
franciscocandido992@gmail.com
Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!
Últimas de
Minha Rua Fala
+ Ler mais artigos de Minha Rua Fala