Por Shirley Rodrigues
Em 04/11/2017

Com Nada 
* E o que já era horrível, piorou. Assim está a situação da Venezuela, que atravessa uma crise humanitária sem precedentes, marcada pela violência e pela escassez de produtos básicos, como alimentos e remédios. Agora, dados divulgados essa semana, pela Econométrica, revelaram o país vizinho com uma inflação de 50,6%, o que demonstra hiperinflação ao superar uma alta de preços acima de 50% em um único mês. Um verdadeiro desastre que levará anos pra ser sanado.

Com Tudo 
* Imperdível o outlet da Papel Jornal que começou ontem e vai até terça feira. Produtos com descontos de até 60%. Os quadros e os baús de personagens estão lindos. Aliás a Papel Jornal é conhecida pela variedade, produtos diferentes e lindos. E suas promoções são descontos de verdade.

Carol Ayres e Fernando Mendes: Halloween Naipe Rock Music em alta

Warao
* Desde ontem, no Centro de Atendimento ao Turista da Orla Taumanan, Boa Vista conta com um espaço permanente para exposição e venda de artesanato do povo indígena Warao.
* Colares, pulseiras, redes de fibra de buriti e cestarias feitas principalmente por mulheres desta etnia poderão ser vistos e comprados no prédio da Intendência da Orla, um dos pontos turísticos mais frequentados da nossa Capital de Roraima.

Warao II
* A inauguração do espaço foi celebrada pela exposição “Warao – Gente da Água, Em Movimento”, que reúne fotografias, desenhos e grafismos, que ficará em exibição até o dia 3 de dezembro.
* Esta iniciativa é uma parceria da Universidade Federal de Roraima (UFRR), por meio da Rede Acolher e do Centro de Capoeira, com as agências das Nações Unidas ACNUR, OIM e UNFPA, a organização não governamental Fraternidade – Federação Humanitária Internacional e a Prefeitura de Boa Vista.

 Regis Mathias e Tony Souza, em clic exclusivo para a Coluna

Tiê
* A Usina da Arte vai trazer dia 11 de novembro para Boa Vista a cantora Tiê. Um dos grandes nomes da nova música popular brasileira ela já lançou três discos e inclusive uma de suas músicas já foi tema de novela.
* O evento acontecerá no Pátio Roraima Shopping. Informações: 98116-1310

Nathalia Veras e Camila Asano, no Halloween da Naipe

#Rápidas
* Inaugurando idade nova neste sábado o querido Irley Almeida (Departamento Financeiro do Grupo Folha), a quem dedicamos a página de hoje.
* Também trocando de data hoje Carlos Padilha, Robert Almeida, Jorci Mendes e a maravilhosa Adriana Padilha.
* Amanhã quem troca de data é a juíza Graciete Sotto Maior e o coronel Hélcio Barroncas.
* O clima é de preparativos para a festa beneficente do lançamento da nova música de Neuber Uchoa #Somostodoshermanos, com participação da banda Jamrock. Será dia 16, às 19h.

Perfil

Dayana Auler: “O êxito das missões depende do empenho do profissional, seja homem ou mulher, e exige compromisso e dedicação”

Dayana Auler é de Humaitá, no Amazonas, e chegou a Roraima em 1987. Por aqui estudou na antiga Escola Técnica Federal de Roraima, hoje IFRR, onde fez o curso técnico em Educação Física, quando passou a dar aulas de educação física em escola pública. Em 2002, prestou concurso público e foi aprovada para soldado da Polícia Militar de Roraima. Dentro da corporação participou e obteve êxito no seletivo interno para sargento, pertencendo ao quadro de oficiais da PMRR. Em 2005, concluiu o curso superior em Segurança Pública e, atualmente, estuda o sétimo semestre de Direito. Nesses 15 anos dedicados à instituição e ao Estado, ela assumiu, como 1ª-tenente, comandante do 6º Pelotão de Alto Alegre, comandando 29 policiais militares homens e duas policiais militares.

*Por que você veio para Roraima?
Cheguei a Roraima com meus pais que almejavam novas conquistas neste Estado novo e lindo. Sempre fui dinâmica e um pouco ligada no 220 volts.

*Já estava em seus planos cursar educação física?
Sim, pois cursando Educação Física eu achei que poderia unir a fascinação pelos estudos com o amor pelo esporte.

*Como se deu o interesse de fazer o concurso para soldado da Polícia Militar de Roraima?
Era um sonho que eu tinha desde muito novinha. Queria ser policial militar, por existir em meu coração aquilo que eu definia como vocação. Eu acredito que a gente não se torna policial militar, a gente simplesmente nasce com o sangue na cor azul petróleo.

*Após assumir sua vaga no concurso público, em algum momento pensou em desistir?
Nunca pensei em desistir desse sonho, pois sempre gostei de desafios. E como era um sonho, uma vocação que tinha desde muito cedo, então resolvi me dedicar e encarar com responsabilidade e compromisso essa profissão que acho incrível e ao mesmo tempo desafiadora.

*Em sua opinião, existe preconceito dentro da corporação contra a policial militar?
Faço parte de uma instituição que não discrimina a mulher enquanto profissional. Fica claro e notório que a instituição valoriza o profissional independente de ser homem ou mulher.

*Qual avaliação você faz da segurança pública no Estado de Roraima?
Em nível estatístico, temos em Roraima a polícia mais honesta do País. A segurança é uma deficiência no Brasil, mas se falarmos de ranking, em 2016 o Estado de Roraima ocupou o terceiro lugar com boas colocações em déficit carcerário, atuação do sistema de justiça criminal, mortes no trânsito e segurança patrimonial.

*Como você avalia o fato de as mulheres estarem assumindo funções antes ocupadas somente por homens?
Nós, mulheres, somos tão capazes quanto eles. Eu já assumi grandes missões que alguns homens se negaram a assumir por conta da complexidade. Hoje nossos superiores confiam em nossa capacidade e demonstram isso nos colocando em missões antes ocupadas apenas por homens e conseguimos provar que somos capazes de desenrolar qualquer missão com excelência. O êxito das missões depende do empenho do profissional, seja homem ou mulher, e exige compromisso e dedicação. O diferencial está nestes adjetivos, e não no gênero.

*Como é ser a primeira mulher de Roraima a assumir o comando de um pelotão?
É uma honra fazer parte desta tão renomada instituição, neste Estado maravilhoso. É um orgulho ser mulher, vestir uma farda e comandar profissionais qualificados e compromissados com nossa atividade-fim, mas o respeito que você tem dos profissionais que trabalham com você, independente do gênero, você não impõe, você conquista.

*E a tarefa de liderar um grupo com 29 policiais militares homens e apenas duas policiais militares nessa equipe?
Comando com orgulho 31 policiais em um município muito bom de trabalhar em nível de Segurança Pública. Ser mulher e estar à frente de um Pelotão é assumir a responsabilidade em dizer que a competência independe do gênero, mas depende sim do entusiasmo, do compromisso que você assumiu com a sociedade, de servir e proteger com excelência.

*Qual seu maior desafio à frente deste cargo?
Não encontro dificuldades em trabalhar hoje em uma função de comando por ter profissionais dedicados, compromissados, disciplinados e com um nível de instrução e qualificações necessárias para que nosso trabalho seja realizado com sucesso.

*Deixe uma mensagem para as mulheres roraimenses:
Gosto muito de usar uma frase de William Shakespeare: “Ser flexível não significa ser fraco”. Talvez seja este um ponto diferente entre homens e mulheres em função de comando. A mulher é mais flexível em determinadas situações, isso não significa ser fraca, não existe esse "negócio" de sexo frágil. Existem dentro de uma farda, com costura e forma masculina, mulheres fortes, ousadas, dominadas por uma vontade de querer ver tudo dar certo. Eu me orgulho em ser mulher e carregar dentro da minha bagagem esses adjetivos.

Shirley Rodrigues
shirleyfolha@hotmail.com
Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!
Últimas de
Social
+ Ler mais artigos de Social