CONTRA O SARAMPO
Venezuelana diz que foi impedida de se vacinar por não possuir CPF
O caso ocorreu no posto de saúde do Pricumã, zona Oeste da cidade
Por Folha Web
Em 07/03/2018 às 15:30
Funcionários teriam exigido documentos de venezuelana para vacinação (Foto: Arquivo pessoal)

A jovem Ellis Carolina é Venezuelana e está em Boa Vista há 35 dias. Ela procurou a Folha de Boa Vista para denunciar que foi até ao Posto de Saúde do Pricumã, zona Oeste de Boa Vista, na tentativa de se vacinar contra o sarampo, porém foi impedida por não possuir RG e CPF brasileiros.

Segundo ela, ao chegar ao local, uma funcionária do posto solicitou uma lista de documentos, além de um comprovante de residência. porém até o momento ela só possui a Carteira de Registro Nacional Migratório, emitida pela Polícia Federal e por isso não conseguiu se vacinar.

“Tive a sorte de chegar em Roraima e já conseguir um emprego como diarista, mas sei que muitos estão dormindo nas ruas e também não possuem todos esses documentos, será que todos eles ficarão sem vacina?” disse.

A jovem relatou que já está em busca dos documentos necessários, mas teme que durante esse período fique sem a vacinação. “Na Venezuela não tem vacina para Sarampo, então essa é a minha preocupação, já passamos por tantas dificuldades e ainda existe essa possiblidade de uma epidemia que nos assusta” contou.

Prefeitura – Por meio de nota, a Prefeitura informou que ninguém deixará de ser vacinado por falta de documento ou cartão do SUS, em especial a população migrante. "As equipes já foram orientadas em relação aos procedimentos e o foco é imunizar toda a população que não possui o registro da vacina contra o sarampo".

Rodrigo Colares da Costa disse: Em 10/03/2018 às 23:33:34

"A questão é de saúde pública, se houver documento, ótimo, mas se não houver, vacina-se também, a propagação da doença não espera controle burocrático, quanto mais se vacinar melhor. Claro, para todas as demais questões, solicita-se documentos, o que estou mais preocupado é com a rápida infestação do sarampo, e nesse contexto, dá para ser mais leniente quando se trata de documentação. "

Josy disse: Em 07/03/2018 às 22:36:16

"Eita, mais ta demais esses coitadinhos estão se achando muito merecidos mesmo é estao ganhando é força! Onde já se viu? Se ao ir se vacinar nem documentos o povo pede, somente faz as perguntas. "

Castro disse: Em 07/03/2018 às 21:09:45

"Agora eu vi porque essa gente Venezuelana não vai até o presidente maduro exigir suas melhoras que botar moral nos brasileiros e os alienados baixa a cabeça tá difícil Brasil te defender "

Rildo Lopes disse: Em 07/03/2018 às 20:45:26

"Estranho vir do país de origem lutar por direitos em outro país.... Enfim!"

Rodrigo Colares da Costa disse: Em 07/03/2018 às 19:49:23

"BuRRocracia estúpida, agora resta perguntar para os insetos ´haemagogus sabethes´ (vertor silvestre) ou o ´aedes aegypt´ (vetor urbano), se precisam do CPF antes de infectar o paciente. Cada uma, aliás, a título de informação, macacos não transmitem febre amarela, assim como os seres humanos, são vítimas da doença, que também pode matá-los, e não efetivos causadores, como muitos podem erroneamente pensar. Não há como vacinar os macacos que vivem em áreas de mata, contrariamente ao que ocorre com os humanos, que podem se vacinar. Na verdade, no ciclo silvestre da febre amarela, os macacos são os principais hospedeiros do vírus, mas os vetores, ou seja, aqueles que carregam o vírus e o transmite, SÃO OS MOSQUITOS com hábitos estritamente silvestres, que vivem nas matas. Importante a dica para evitar a matança inconsequente dos primatas."

NANA disse: Em 07/03/2018 às 17:32:05

"Nao se trata de xenofobia, mas na hora de brigar por seus direitos na terra deles, ninguém vai, ficam acuados, mas aqui querem questionar tudo. "