ACORDA JOSÉ
Sete homens são presos por estupro e violência doméstica
Por João Barros
Em 09/03/2018 às 00:35
As delegadas Edinéia Chagas, Catherine Aires Saraiva e Verlânia Assis deram detalhes da Operação (Foto: Hione Nunes)

Sete mandados de prisão foram cumpridos na manhã de ontem, dia 8, contra homens que praticaram crimes de violência doméstica e estupro. A operação foi batizada como “Acorda José” e deve ser desenvolvida pelas polícias judiciárias de todo o país durante todo o mês de março, em alusão ao Dia Internacional da Mulher. Os investigados foram presos em suas residências. Todas as ações ocorreram no perímetro urbano de Boa Vista.

As informações acerca das prisões foram dadas em coletiva de imprensa, realizada na Cidade da Polícia, na tarde dessa quinta-feira. As prisões aconteceram nos bairros Santa Tereza; no bairro Jardim Primavera; Senador Hélio Campos; no Conjunto Pérola, bairro Airton Rocha; e no Pintolândia.

“A gente encontrou uma maneira de comemorar o Dia Internacional da Mulher com mais trabalho. Então, diante dos muitos mandados de prisão preventiva ainda em aberto fizemos um mutirão para darmos cumprimento a esses mandados”, disse a delegada-geral, Edinéia Chagas.

Cerca de 20 policiais civis e cinco delegadas participaram das diligências que deram cumprimento aos mandados. Os agentes são da Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam), Polícia Interestadual (Polinter), Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) e do 2o Distrito Policial.

Dos crimes, seis são decorrentes de violência doméstica e um deles de estupro. As investigações duraram seis meses, no entanto, o que é um tempo razoavelmente curto, segundo as delegadas. Parte dos homens foi presa por descumprimento da medida protetiva, ato que se converteu em mandado de prisão.

“A Operação Acorda José teve as prisões concretizadas hoje às 5h, mas há algum tempo estamos fazendo os levantamentos. Os crimes eram praticados no âmbito da violência doméstica e familiar, por companheiros, que faziam ameaças, que eram responsáveis por lesões corporais e estupro”, ressaltou a delegada titular da Deam, Catherine Aires Saraiva.

Das ocorrências, o crime de estupro foi o que mais chamou a atenção das delegadas, pela forma com o companheiro agiu para ferir a integridade física da vítima. “Todo crime de estupro nos traz repugnância. No Dia Internacional da Mulher, quando se comemoram todas essas vitórias conquistadas, prender um cidadão que tenha praticado esse crime é muito bom. A mulher tem direito de viver com quem quiser, inclusive tem direito de se separar. Ela não pode ter sua vida, privacidade e tranquilidade invadida por alguém que não aceita a separação. Nos traz uma satisfação muito grande cumprir esses mandados”, enfatizou a delegada titular do DHPP, Verlânia Assis.

Durante todo o mês de março, as diligências serão intensificadas, a fim de dar cumprimento a outros mandados de prisão. As delegadas não quiseram dar detalhes das próximas ações. A operação nacional foi batizada como “Acorda José” porque os investigados foram presos nas primeiras horas do dia, quando ainda estavam acordando, ou quando estavam saindo para o trabalho, na porta de suas respectivas residências. Não houve qualquer resistência à prisão.

Os presos por violência doméstica foram encaminhados para o Centro de Progressão Penitenciária (CPP), enquanto o preventivado por estupro foi recolhido às dependências da Penitenciária Agrícola de Monte Cristo (Pamc), na zona Rural de Boa Vista, onde ficarão à disposição da Justiça. (J.B)

Luciano de Paiva disse: Em 09/03/2018 às 06:15:43

"Achei muito estranho o fato de a Folha não citar o nome de nenhum dos acusados que foram presos numa operação policial de monta. O público quer saber quem são os estupradores presos."