ELEIÇÕES 2018
Quartiero anuncia pré-candidatura ao Senado em discurso de renúncia
Ex-vice-governador reforçou os motivos que o levaram ao pedido de renúncia do cargo e seu apoio ao presidenciável Jair Bolsonaro
Por Paola Carvalho
Em 27/01/2018 às 01:47
Quartiero permanece sem filiação partidária e explicou que se unirá à sigla indicada por Bolsonaro (Fotos: Nilzete Franco)

Em sessão extraordinária realizada na manhã de ontem, 26, na Assembleia Legislativa de Roraima (ALE-RR), o empresário Paulo César Quartiero (Sem Partido) renunciou oficialmente ao cargo de vice-governador e aproveitou o momento para anunciar a sua pré-candidatura ao Senado, com apoio do presidenciável Jair Bolsonaro (PSL).

A sessão foi presidida pelo deputado Chico Mozart (PRP), na ausência da presidência da Casa Legislativa e foi acompanhado por 15 parlamentares, além da população e imprensa. Cartazes de apoio à Quartiero foram levados classificando o ex-vice-governador como “herói roraimense”.

Após a abertura da sessão, Paulo César iniciou seu discurso apresentando sua história pessoal até o momento da coligação com o ex-governador Neudo Campos e em seguida com a atual governadora Suely Campos (PP); as suas motivações para renúncia e o lançamento da pré-candidatura.

Informou que é amigo de longa data de Bolsonaro, desde época em que eram colegas na Câmara dos Deputados e que, a seu pedido pessoal, decidiu não mais desistir da vida política, e ser o nome de representação do candidato à Presidência no Norte do país. “Jair encarnou a resistência, a honestidade, a firmeza em defender algo que é a base da sociedade: família e pátria. Eu coloco meu nome à disposição para representar no Senado Federal a ideia do nacionalismo e da autoridade. De termos orgulho do nosso governo e das nossas instituições”, acrescentou.

Quartiero completou que, no momento, permanece sem partido, mas está incorporado na missão de eleger Bolsonaro e seus ideais. “Eu vou me filiar ao partido que o meu líder Bolsonaro indicar. Faço parte do grupo dele e vamos combinar juntos qual a melhor solução”, disse.

MOTIVAÇÃO – Quartiero reforçou as motivações que o fizeram pedir a renúncia ao cargo, entre elas, as falta de empenho do poder executivo junto ao Governo Federal na questão da demarcação das terras indígenas, da crise migratória e na defesa ambiental.

“Para mim, a gota d´água foi a governadora [Suely Campos] concordar com as políticas ambientais que estão dizimando e impedindo que o Estado venha a se desenvolver, governando Roraima para o fracasso. A recusa dela em defender as terras do Estado e os agricultores que estão perdendo as terras por demarcações ilegais feitas a pedido do Ministério Público Federal e determinados pela Justiça Federal, se recusando a atender o seu agricultor que está perdendo as suas áreas e toda a sua vida profissional e atividade financeira”, frisou.

SESSÃO EXTRAORDINÁRIA – Ainda durante a manhã de sexta, a Mesa Diretora da ALE-RR informou o recebimento do comunicado da vacância do cargo de Conselheiro do Tribunal de Contas do Estado de Roraima (TRE-RR), em função do falecimento de Essen Pinheiro Filho.

A Superintendência Legislativa declarou que a Assembleia irá publicar um edital de inscrições e depois a Comissão de Constituição, Justiça e Redação Fina (CCJ) deverá, em reunião, formalizar o processo de escolha do novo conselheiro do TCE.

Governadora diz que nada muda com saída de vice-governador

Em coletiva de imprensa que tratava sobre visita às obras do Hospital Geral de Roraima (HGR), a governadora Suely Campos (PP) comentou a renúncia de Paulo César Quartiero e afirmou que o ex-vice-governador já havia deixado o seu trabalho desde que iniciaram o governo.

“Ele não vivencia o nosso cotidiano aqui no nosso Estado. Ele está fora desde o início. Nada muda com a sua saída”, avaliou Suely. “O nosso entendimento é que vamos continuar com as nossas políticas públicas, vamos firmemente continuar o nosso trabalho. Eu nunca tive vice-governador e vou continuar trabalhando do mesmo jeito”, reforçou.

A governadora disse ainda que, após as divergências com o ex-vice no início da gestão, chegou a oferecer a titularidade da Secretaria de Agricultura do Estado (Seapa) para que Quartiero administrasse o setor agrícola de Roraima, porém, teve a sua oferta declinada.

Suely deixou claro que acredita em uma movimentação política por trás da renúncia do ex-vice. “Ele se aliou aos meus adversários que destruíram o Estado e agora renuncia. É preciso perguntar o que está por trás? Qual o motivo? Quem se interessa? A população precisa saber o que ele fazia na Assembleia juntamente com o senador [Romero] Jucá nas vésperas da renúncia dele”, lembrou.

Deputados avaliam renúncia de Quartiero

De lados opostos, o líder do governo na Assembleia, deputado Brito Bezerra (PP), e o líder do grupo independente na Casa, deputado George Melo (PSDC) avaliaram a renúncia de Quartiero.

Para George Melo, a decisão de Quartiero faz jus ao momento “caótico que o Estado está passando” com a instalação da crise financeira e, a seu ver, política. “O Paulo César, como político que é, sentiu que era a hora de dizer ‘chega’ porque o povo de Roraima não pode mais sofrer como está sofrendo. Eu vejo como um ato político maduro de um homem que ama Roraima”, frisou.

Já para Brito Bezerra, as queixas do ex-vice-governador falam mais da esfera federal e da antiga gestão, do que do governo Suely Campos. “As críticas que o ex-vice-governador fez foram destinadas ao Governo Federal. Ele deixou muito claro que nós temos problemas com a questão indigenista que é do Governo Federal, da expulsão dos garimpeiros que é do Governo Federal, fez críticas ao governo anterior. Na verdade, ele culpou. Não ouvi críticas contundentes ao Governo do Estado”, disse Brito. (P.C)

***
Gostou?
0
0
Manuel disse: Em 28/01/2018 às 07:52:05

"Esta solta a cachorrada... agora é um mordendo o rabo do outro a torto e a direito... k k k"

disse: Em 27/01/2018 às 02:51:40

"Eu achava que nem existia vice-governador nesse estado, não ouvia nem falar. Mas agora no ano milagroso começam aparecer. Espero que muitos não percam a oportunidade, que estamos tendo de mudar a situação do nosso estado e país neste ano. Rumo à mudança para melhor."