CULINÁRIA
Projeto gastronômico mostrará diversidade cultural em torno do churrasco
Projeto mostrará a transformação do prato da forma rústica de preparo até a alta gastronomia
Por Raisa Carvalho
Em 02/02/2018 às 00:27
Maestranza significa ‘as pessoas ao redor que ajudam’ (Fotos Natasha Sarah)

O projeto Maestranza criado pelo chef churrasqueiro Eden Picão tem como proposta retratar a diversidade cultural em volta de um dos pratos mais conhecidos em volta do globo, o churrasco. O prato baseia-se simplesmente na carne assada em brasas, mas tem muito mais história do que se possa imaginar. 

De acordo com o churrasqueiro, grande fã da culinária sulista, o jovem resolveu a se aventurar e começar a aprender a arte de preparar um bom churrasco e oferecer para os amigos. Ele começou a pesquisar a história e transformação do prato ao longo dos anos, desde a forma rústica de preparo no campo até a alta gastronomia.

“A cultura dos assados tem muitas influências dos nossos povos, dos cortes de cordeiro típicos da fronteira ao galeto da serra gaúcha, presume-se que a partir do domínio do fogo na pré-história, o homem passou a assar a carne de caça quando percebeu que o processo a deixava mais macia. Assim percebe-se, que além do alimento, o ato de assar a carne se transformou em um hábito social” explicou Eden.

Segundo ele, o mercado das carnes amadureceu e se sofisticou, não se resume mais à discussão de se é no espeto ou na grelha. Os churrasqueiros assumiram um novo lugar no cenário gastronômico e com isso surgiu a ideia do Maestranza, uma expressão espanhola que significa ‘as pessoas ao redor que ajudam’.

“A ideia começou como qualquer churrasco entre amigos, você se reúne, que fazem as cotas, e um dos amigos é o churrasqueiro, então a partir daí comecei a ter ideia de criar um projeto que possa oferecer tudo isso de forma profissional, em seguida a ideia é criar um restaurante, onde as pessoas tenham acesso a todos os tipos de churrasco no mundo”, contou.

“É importante valorizar os costumes e tradições, dar valor ao que é passado de geração em geração. Dentro da gastronomia estamos em constante adaptação e transformação, mas do que nos motivar a cozinhar, como eu sou muito tímido, ficar na churrasqueira acabou virando uma forma de socializar”, contou.

Eden explica que para fazer um bom churrasco é necessário escolher uma boa carne. Muitas vezes é preciso escolher o animal ainda vivo para o abate. “Para mim é algo natural, porque eu cresci na roça, tive muito contato com essa cultura de fazenda.”, explicou.

Quem quiser conhecer o projeto do Eden pode seguir a página oficial no facebook: Maestranza - Fogo De Chão e @maestranzafogodechao no instagram. “A ideia do projeto não é nem lucrar, é trabalhar mesmo com o que se ama, meu maior desafio hoje é criar uma e apresentar essa forma tão rústica de fazer a carne”, relatou.

Origem do churrasco

A palavra “churrasco” é tida para alguns especialistas, como proveniente da palavra basca “Sukarra”: su (fogo) e karra (chama). Essa palavra é mais antiga do que os povos românicos e sofreu várias mudanças até chegar ao nosso conhecido churrasco.

Diz-se que, no Brasil, o churrasco surge na época dos tropeiros, no século XVII. Os tropeiros eram viajantes que iam para o Sul do Brasil para o comércio de diversos produtos.

O gado era usado, incialmente, para o transporte, mas com o tempo percebeu-se que poderiam ser uma fonte fácil e rápida de alimento, sendo necessário apenas o corte do animal e a preparação do fogo. Dessa forma surge o churrasco, um alimento ambulante que estaria sempre fresco e era temperado com o sal grosso – alimento que fazia parte da dieta do próprio animal.

***
Gostou?
0
0
Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!