VENEZUELANOS EM RR
Procuradora denuncia violações de direitos humanos
Impedir a entrada dos venezuelanos no Brasil contraria a Constituição, destacou a procuradora
Por Folha Web
Em 27/02/2018 às 19:00
(Foto: Pesquisa por imagem)

Trabalho análogo ao de escravo, discriminação salarial em função da origem, mendicância de crianças em semáforos, relatos de abuso sexual de mulheres contratadas para trabalhar como domésticas e prostituição. Essas violações de direitos humanos são apenas alguns dos problemas pelos quais os venezuelanos estão passando em Roraima.

O relato foi feito hoje (27) pela procuradora do Trabalho da 11ª Região no Estado de Roraima, Priscila Moreto, em uma audiência pública na Comissão de Direitos Humanos do Senado.

A procuradora defendeu a busca por soluções para a crise migratória em Roraima e destacou que impedir a entrada dos venezuelanos no Brasil contraria a Constituição.

"É impossível o fechamento de fronteira. É constatado que o ingresso desses migrantes não traz só prejuízos, mas méritos à economia local, com o acréscimo de mão de obra. Mais de 70% dos migrantes vivem em casas alugadas, essas pessoas consomem alimentos e pagam seus aluguéis", ponderou.

Sobre a interiorização dos venezuelanos anunciada pelo governo, com a transferência de Roraima para outros estados, a procuradora afirmou que a medida precisa ser planejada, porque as pessoas não podem ser levadas a outros locais de "qualquer forma".

Durante o debate na comissão, o oficial de meios de vida do Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (Acnur) no Brasil, Paulo Sérgio Almeida, defendeu a interiorização dos venezuelanos como uma estratégia de atendimento a essas pessoas. Ele destacou que hoje 600 pessoas estão na Praça Simon Bolívar, em Boa Vista, sem abrigo, entre elas mais de 70 crianças.

Esperança disse: Em 28/02/2018 às 00:03:50

"Sem comentários!! Decepcionado com esses pensamentos. Será que ninguém vê que o Brasil não está cuidando nem dos seus próprios filhos , imagina de outros países,?e achar que a economia está ótimo em Roraima, essa foi demais, empresas estão é fechando as portas e se endividando, tá muito longe desse pensamento Sra Procuradora. Se disser que houve crescimento de forma desorganizada , violências , economia parada, entraves, burocracia, aí sim acredito, já vi que estamos perdidos, o que há é exatamente, o que a procuradora do trabalho relatou, e o que está fazendo os governantes e mp e conselhos, nada. Enquanto isso, aqueles que ocupam cargos para desempenhar tarefas em defesa do nosso país se omitem e fazem vista grossa quanto a fronteiras abertas, armas e drogas entrando, sem controle nenhum. Os filhos desse estado estão sem apoio mesmo. Parabéns "

Holanda disse: Em 27/02/2018 às 21:31:16

"A procuradora poderia tirar 50% do salário dela e subsídios e ajudar os venezuelanos... Ela ganha muito bem pra isso. Viajou legal nas más ideias. "

iracundo disse: Em 27/02/2018 às 21:19:50

"Senhora procuradora, defenda com a mesma dedicação os direitos do trabalhadores brasileiros que realmente precisam ser defendidos. Pare de gastar o seu tempo, que nós pagamos, defendendo quem não rende nada aos cofres públicos, aliás, rende sim, PREJUIZO! Cada venezuelano esta custando ao bolso de cada brasileiro milhoes de reais. Dinheiro que poderia esta sendo investido em nossa segurança, por exemplo."

iracundo disse: Em 27/02/2018 às 21:14:21

"Não entendo a preocupação do MT com os trabalhos de venezuelanos, se a senhora procuradora se empenhasse em defender os direitos do trabalhadores brasileiro como mesmo afinco talvez, os trabalhadores brasileiros teriam perdido menos direitos. Alguem avise a essa servidora publica que quem paga o salario dela somos nós brasileiros e não esse escorias de venezuelanos. Que o que ja sabemos é, que a criminalidade em RR desenfreou graças ao milhares de criminosos venezuelanos que tem cruzado a fronteira, graças a pessoas como essa Promotora que ganha as nossas custas e defende a pessoa errada. É cada uma nessa droga de país! "

Rildo Lopes disse: Em 27/02/2018 às 20:44:46

"Oi? Méritos a economia? Alô, alguém avisa a essa procuradora que o Estado depende do contracheque.... Ninguém merece.... Ninguém culpa o presidente dá Venezuela"

Rio Branco disse: Em 27/02/2018 às 19:46:43

"Procuradora, leve os venezuelanos para sua casa. Nós contribuinte pagamos o seu salario, como de todo judiciario e dos politicos. O povo não é obrigado a pagar estadia e alimentação a pessoas que vem de outros paises já que temos pessoas nas mesmas condições no nordeste e nunca os direitos humanos nada fez. Por que não inclui no seu relatorio nos narcotraficantes, assaltantes, estupradores, prostitutas e foragidos da justiça oriundo da Venezuela e que estão por ai aprontando? O seu relatorio tendencioso os aponta como coitadinho vitimas da xenofobia."