POR FALTA DE COMIDA
Preso é morto durante rebelião na Pamc
Em uma semana, este é o terceiro preso morto dentro de uma unidade prisional em Roraima
Por João Barros
Em 15/12/2017 às 00:42
O corpo do preso foi removido na tarde de ontem, mas a identidade não foi revelada (Foto:Nilzete Franco)

Na manhã de ontem, dia 14, mais um preso da Penitenciária Agrícola de Monte Cristo (Pamc), localizada na zona Rural de Boa Vista, foi morto. O crime foi causado por material perfuro-cortante. A identidade do preso assassinado não foi revelada pela Secretaria de Justiça e Cidadania (Sejuc). A motivação do crime teria sido para chamar a atenção das autoridades quanto à insatisfação dos presos que não recebiam alimentação há dois dias (ver matéria na página 5A).

Os detentos iniciaram um motim ainda na noite da quarta-feira, dia 13, depois de serem comunicados que não teriam o que comer. Durante toda a noite e madrugada houve muita confusão nas alas do regime fechado. Na manhã de ontem, o café da manhã não foi servido e os presos deram continuidade à rebelião que se estendeu até meio-dia.

Depois que o Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) da Polícia Militar e homens da Força Nacional de Segurança (FNS) entraram na Pamc, os ânimos se acalmaram e o corpo de um detento foi encontrado, com sinais de violência. Agentes da Delegacia-Geral de Homicídios (DGH) chegaram ao presídio junto com peritos. O cadáver estava na Ala 14.

Os suspeitos de terem praticado o crime ainda não foram identificados pela polícia, no entanto, um procedimento interno será realizado pela direção da unidade prisional para apurar o caso e responsabilizar os que praticaram o crime. Até o fim da tarde de ontem, ninguém tinha sido levado para a delegacia para prestar depoimento.

O corpo foi removido pelo rabecão do Instituto de Medicina Legal (IML), para que seja submetido à necropsia, a fim de que o laudo da causa da morte seja emitido pelo médico legista. A Polícia Rodoviária Federal (PRF) isolou a entrada da penitenciária e impediu que a imprensa ou qualquer pessoa não-credenciada trafegasse pela estrada que dá acesso à área prisional.

GOVERNO - Em relação ao caso, a Sejuc (Secretaria de Justiça e Cidadania) confirmou, por meio de nota, que o não fornecimento das refeições motivou um princípio de motim durante a madrugada, quando os presos saíram das alas e tentaram chegar até o portão. Com a chegada de policiais do Bope e da Força Nacional para conter os presos e normalizar a situação, foi necessário o uso de armamento não letal. A Sejuc confirmou também a morte de um detento, que foi localizado na Ala 14.

OUTRAS MORTES – Em uma semana, este é o terceiro preso morto dentro de uma unidade prisional em Roraima. No dia 7, um detento foi encontrado por agentes penitenciários, suspenso em uma corda na Penitenciária Agrícola. No dia 11, um preso foi estrangulado e morto dentro da Cadeia Pública de Boa Vista. (J.B)

***
Gostou?
1
1
Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!