ZONA OESTE
Polícia prende venezuelano com dinheiro e objetos sem procedência
O fato ocorreu após rapaz ser abordado próximo a uma distribuidora do bairro Piscicultura
Por Folha Web
Em 25/02/2018 às 10:34
Além de farta quantidade de moedas e cédulas de Real e Bolívar, a Polícia também encontrou objetos sem procedência legal (Foto: Divulgação)

Um venezuelano que não teve a idade revelada foi levado para prestar esclarecimentos na delegacia após policiais militares do 2º Batalhão de Polícia Comunitária (2º BPC) encontrar em sua residência farta quantidade de moedas e cédulas de real e bolívar, além de objetos sem a devida procedência.

De acordo com informações obtidas pela FolhaWeb, a ação que resultou no encaminhamento do rapaz a delegacia ocorreu durante uma atividade de abordagem próximo a uma distribuidora da avenida Piscicultura, na zona Oeste da capital. Ele conduzia uma motoneta Honda Biz vermelha, placa NAP 9007.

Ao ser questionado sobre os documentos do veículo, o rapaz não soube informar a procedência. Durante uma revista pessoal, os policiais encontrar com ele R$ 1.300. A reação de nervosismos na ação acabou chamando a atenção dos PMs.

Questionado novamente sobre a documentação do veículo e sua permissão de estadia no Brasil, o venezuelano disse que havia esquecido ambos os documentos em seu apartamento, localizado também no Piscicultura, sendo levado até o local pela equipe.

Lá, os policiais encontraram pouco mais de R$ 23 mil em dinheiro (cédulas e moedas), quase B$ 840 mil bolívares, 35 cartelas de Carbamazepina, medicamento utilizado para tratamento de pacientes com epilepsia e doença bipolar, 15 relógios de pulso, além de outros objetos.   

Constatada a posse dos objetos sem procedência, o rapaz foi levado a Central de Flagrantes do 5º Distrito Policial (5º DP) para a adoção das medidas cabíveis.

iracundo disse: Em 27/02/2018 às 21:23:04

"Senhores policiais, nao precisa prender não, aplique-lhe o tratamento reciproco, ou seja, façam com ele o mesmo que a policia venezuelana faz com os brasileiros que eles prendem por lá, cortem as mãos desse cidadão. "