REDE ESTADUAL
Período de novas matrículas inicia nesta terça-feira, 02
Prazo para matricula de novos alunos vai até 5 de janeiro. O mesmo vale para transferências. Renovação é automática e não é preciso ir unidade de ensino
Por Folha Web
Em 02/01/2018 às 12:00
O período de matrículas para as 59 escolas da capital vai de 2 a 5 de janeiro

Pais e responsáveis devem ficar atentos ao calendário escolar 2018 que já está definido. As datas foram publicadas pela Secretaria da Educação no Diário Oficial dia 21 de dezembro de 2017. O período de matrículas para as 59 escolas da capital vai de 2 a 5 de janeiro. As aulas iniciam no dia 5 de fevereiro.

Atualmente a Rede Estadual de Ensino tem 40.752 mil alunos. Para o ensino fundamental serão ofertadas sete mil vagas para o 6º ano, somente na capital. Após o encerramento das matrículas, será iniciado o trabalho da Central de Matrículas, de 15 a 19 de janeiro, para os pais que por algum motivo não encontrem vaga na escola desejada.

A diretora do Departamento de Educação Básica da Seed, Graciela Ziebert, informou que nesse primeiro momento, o período de matrículas é para alunos novos.

“Temos uma lei aprovada para que os pais não precisem ir às escolas renovar a matrícula. A unidade faz a renovação automaticamente. Se quiserem transferir, os pais têm que solicitar. É uma comodidade para evitar filas nesse período”, disse.

Para o ano letivo de 2018 serão ofertadas mais de sete mil vagas a alunos do 6° ano. “Essas vagas foram levantadas com a perspectiva de atender os alunos que saem da rede municipal de ensino para a estadual. Além disso, um levantamento é feito para inserir esses alunos em escolas mais próximas”, explicou.

As escolas que funcionarão em período integral e as unidades de ensino militarizadas estão encaixadas no calendário. Os documentos necessários para a realização da matrícula são RG, CPF e documento de transferência com histórico escolar ou declaração para situar a série que o aluno estava estudando.

“Nós queremos tranquilizar os pais informando que teremos vagas suficientes para atender a demanda da capital. Por conta da capacidade de cada escola e da quantidade de alunos em determinados bairros, nem sempre as vagas serão suficientes. Caso os pais não consigam vaga na escola que deseja, a Central de Matrículas fará um mapeamento para inserir esse aluno em uma escola mais próxima”, esclareceu.

 

***
Gostou?
0
0
Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!