DANÇA DAS CADEIRAS
Paulo Linhares confirma saída da Sesau
Odontologista deseja se candidatar ao cargo de deputado federal nas próximas eleições e pediu o afastamento do governo
Por Paola Carvalho
Em 18/01/2018 às 01:05
Depois de 20 anos no PP, Paulo Linhares mudou de partido (Foto: Divulgação)

O cirurgião dentista e ex-vereador de Boa Vista Paulo Linhares se despede hoje, 18, da Secretaria Estadual de Saúde (Sesau). Ele pediu exoneração do cargo, pois deseja disputar uma vaga na Câmara dos Deputados nas eleições deste ano. O anúncio foi feito pelo próprio Paulo Linhares em entrevista exclusiva à Folha na tarde de ontem, 17.

O titular da Sesau informou que a medida foi tomada após a governadora Suely Campos (Progressista) determinar que os secretários de Estado, diretores de instituições e autarquias entregassem os cargos caso desejassem participar do processo eleitoral como candidatos.

Durante os primeiros dias de janeiro, a governadora procurou um substituto para a Sesau, até definir o oftalmologista e também ex-vereador de Boa Vista Marcelo Batista como titular. A publicação com a nomeação e exoneração está prevista para ser publicada no Diário Oficial do Estado (DOE) de hoje.

Linhares avalia período à frente da saúde estadual

Paulo Linhares teve dois mandatos como vereador de Boa Vista até se licenciar para assumir o cargo de secretário-adjunto da Sesau em 2015. Posteriormente, foi oficializado como titular após a saída do médico César Penna, em setembro do ano passado.

Há três anos trabalhando na cúpula da Sesau, o odontologista fez um balanço das atividades realizadas à frente da pasta e disse que a atual gestão encontrou uma secretaria sucateada, com nenhuma perspectiva de melhoria, mas que, mesmo diante da crise, conseguiu aos poucos inaugurações importantes, construções e revitalizações de unidades hospitalares e recuperação de convênios. “Um grande exemplo é o Hospital das Clínicas, que possui um projeto super antigo e já está 99% completo, nos ajustes finais e deve ser inaugurado em breve, certamente, no próximo mês”, anunciou.

Outras melhorias apontadas por Linhares são a inauguração do Centro de Atenção Psicossocial (CAPS III), voltado para atender pacientes com transtornos mentais, do Laboratório de Anatomia e Patologia de Roraima (Laper) e da Unidade de Acolhimento Maria da Consolação Inácio de Matos, a revitalização do Hospital Coronel Mota, do Hospital de Caracaraí e o aumento de 30% no número de cirurgias eletivas, diminuição do número de custos com Tratamento Fora do Domicílio (TFD) e a convocação de 1.400 concursados para solucionar o déficit de pessoal nas unidades de saúde.

Obras que estão em andamento também foram citadas, como em unidades hospitalares em Santa Maria do Boiaçu, Caroebe e o anexo do Hospital Geral de Roraima (HGR). “Já deram início às obras do Centro Especializado de Reabilitação. É o primeiro do Estado, que vai tratar das pessoas portadoras de deficiência física, auditiva, intelectual e visual”, citou.

Um dos focos da saúde estadual também foi o cuidado com a população feminina, segundo Linhares, com a inauguração do Centro de Referência da Saúde da Mulher, da Casa da Gestante vinculada ao Hospital Materno-Infantil Nossa Senhora de Nazareth e a Carreta da Saúde da Mulher.

“A gente não tinha outro método de prevenção de câncer de mama, só um aparelho de mamografia e hoje nós temos duas carretas móveis, com todos os exames preventivos que a mulher precisa e que pode fazer atendimento nos municípios, que vão aonde as mulheres estão”, explicou. “A gente sabe que, a partir dos 45 anos, a mulher precisa fazer ao menos uma consulta por ano e não estavam fazendo por falta de acesso ao serviço público”, acrescentou.

Com a realização de todas as ações listadas, Linhares finalizou o balanço da gestão dando o mérito aos servidores das unidades de saúde. “Não tenho dúvidas de que se não houvesse uma equipe competente nas unidades e na parte administrativa, a gente não conseguiria. Temos uma equipe muito dedicada, com muita vontade de prestar um bom serviço”, avaliou.

Falta de investimento e crise migratória dificultaram gestão

Para o secretário, a principal dificuldade enfrentada foi a falta de financiamento, algo que acontece em todo o Brasil, em especial, ao Serviço Único de Saúde (SUS), que deve atender tanto brasileiros quanto estrangeiros, sem distinção. Com a grave crise que assolou a Venezuela e o crescimento súbito do número de imigrantes em Roraima, o número de atendimentos da saúde estadual teve aumento de cerca de 500%.

Linhares também mencionou que o imigrante, em especial o venezuelano, que vive um momento de crise, muitas vezes morando na rua, sem condições de higiene adequadas e alimentação irregular, é um paciente muito mais complicado para tratar tendo em vista as diferentes necessidades, diferente de um brasileiro.

“A gente tem que prestar um serviço de qualidade para toda a população e tivemos uma dificuldade, pois recebemos um número de imigrantes muito maior do que a gente estava acostumado a atender, o que gerou dificuldade no atendimento e fez com que a gente passasse alguns períodos desabastecidos”, pontuou.

Linhares quer aumento de investimento para estados da fronteira

A falta de financiamento encontrada pelos gestores da saúde estadual foi um dos motivos que fez com que Paulo Linhares pensasse na possibilidade de disputar o cargo de deputado federal, com o objetivo de lutar por mais recursos para a saúde em Brasília, em especial, paraos estados que fazem fronteira com outros países.

O odontologista acredita que estados como Roraima, Rio Grande do Sul e Pará passam por mais dificuldades neste quesito e recebem o mesmo financiamento que as demais unidades federativas. “Meu foco vai ser que se tenha uma diferenciação com relação aos recursos em comparação com os estados que não fazem fronteira com os outros países. O Distrito Federal, o Rio de Janeiro não fazem fronteira com nenhum país. Por que eles têm a mesma proporção de recurso que a nossa, já que a gente tem um fluxo migratório grande e faz fronteira com dois países?”, questionou.

Falta de garantia para candidatura motivou mudança de partido

Após 20 anos filiado ao Progressistas, Paulo Linhares oficializou a sua saída do partido. A justificativa é que não há garantia que o atual presidente regional do Progressistas, deputado Hiran Gonçalves, conceda a vaga para que Linhares dispute a posição de deputado federal.

Com o desligamento da antiga sigla, Paulo Linhares se filiou no dia 11 de janeiro ao Partido Renovador Trabalhista Brasileiro (PRTB), que tem como presidente regional o deputado Coronel Chagas. “Eu sou aliado politicamente da governadora Suely, que tem meu apoio para as próximas eleições, mas não sou aliado do presidente do PP [Hiran Gonçalves] e não tenho segurança que o presidente vá me dar a vaga para disputar”, frisou.

Após esse momento de mudanças e afastamento da Sesau, os próximos planos de Linhares são tirar férias e depois retomar suas atividades como médico efetivo do Estado e do Município. (P.C)

Katia RR disse: Em 18/01/2018 às 13:35:34

" Assumiu a gestão dando continuidade e celeridade às ações e obras importantes, a exemplo a Obra e implantação do Hospital das Clínicas, ja em fase de conclusão é Carreta de Saúde da Mulher, que tem levado atendimento especializado de saúde em todo o Estado."

Mohammed Pataxó disse: Em 18/01/2018 às 19:42:27

"Oportunista, péssimo gestor, a saúde que já não era lá essas coisas ficou pior com esse cidadão. Contratos obscuros com empresas nefastas."

mostradanos disse: Em 19/01/2018 às 08:33:53

"quanto voce recebe de comissao?"

Almeida disse: Em 18/01/2018 às 11:02:38

"Já vai tarde...Sempre dificultou a liberação dos TFDs ."

José Carlos Pacheco de Oliveira disse: Em 18/01/2018 às 09:59:24

"Já vai tarde e espero que não ganhe nessas eleições!"

Rpd disse: Em 18/01/2018 às 09:15:52

"Parece macaco, vive pulando de galho em galho e nunca termina o mandato, não tem meu voto."

mostradanos disse: Em 18/01/2018 às 09:03:44

"já foi tarde. Se o povo lembrar de como esse cidadão prejudicou o interesse publico em favor do seu próprio interesse, não se elegerá nem como presidente de associação de bairro."