CALOR EXCESSIVO
Pais de alunos reclamam da qualidade estrutural de escola em Rorainópolis
Estudantes estão alojados temporariamente no prédio da Uerr no município e questionam o funcionamento de ares-condicionados e ventiladores
Por Paola Carvalho
Em 03/03/2018 às 01:46
A diretora da escola José de Alencar, Erisneide Costa, enviou registros de estudantes em sala de aula, com equipamentos em funcionamento (Fotos: Divulgação/Arquivo Pessoal)

Pais de alunos da Escola Estadual José de Alencar, localizada no município de Rorainópolis, reclamaram da situação enfrentada pelos alunos desde o início deste ano. Com a escola em reforma, os estudantes estão acomodados temporariamente no prédio da Universidade Estadual de Roraima (Uerr), mas questionam a qualidade estrutural oferecida.

Segundo a denúncia, as salas da universidade não têm suporte necessário para atender todos os alunos. "Até o alojamento da universidade está funcionando como sala de aula. O alojamento suporta no máximo 15 alunos e se encontra com quase 50 alunos. As salas sem ar-condicionado ou ventiladores", diz a reclamação.

Os denunciantes relatam ainda que as salas estão superlotadas devido à junção das turmas para poder iniciar o ano letivo mesmo sem condições nenhuma. "A minha preocupação como pai em fazer essa denúncia é em proteger a integridade dos alunos, porque quase todos os dias alunos desmaiam devido ao forte calor. Gostaria que providências fossem tomadas, pois temo que o pior pode acontecer, devido aos constantes desmaios de alunos”, disse.

OUTRO LADO – A Folha entrou em contato com a gestão da escola José de Alencar. A diretora da instituição, Erisneide Costa, defende que a informação não procede da forma como está sendo apresentada. A diretora afirma que os equipamentos estão em pleno funcionamento e só deixam de operar em caso de falta de energia.

"Nós estamos em prédio gentilmente cedido pela Uerr, dando o nosso máximo e atuando da melhor forma possível desde o dia 19 de fevereiro. As salas, não todas, têm ar-condicionado, mas têm. As salas têm ventiladores, mas o nosso estado é muito quente, principalmente em uma sala com um grande quantitativo de alunos", afirmou a diretora. "Claro que, nós sabemos que a energia de Roraima é inconstante mesmo. A energia vai e a energia volta. No interior, é dessa forma. O problema de energia não é só nosso, é em todo o Estado", completou Erisneide.

A gestora disse ainda que a reforma da escola está praticamente concluída e já tem data para inaugurar. A informação é que a entrega do prédio seja feita a partir da próxima semana, no dia 9 de março, no máximo, até dia 15 do mesmo mês. "A empresa que licitou a obra não está em atraso. Muito pelo contrário. Ela já está com 99% completa. Eu acho desnecessária a pessoa que fez essa denúncia, sendo que nós estamos na Uerr há cerca de duas semanas com os alunos e devemos sair em breve. Acredito que a reclamação seja de cunho político, com o objetivo de desestabilizar o poder estadual. Essa denúncia não procede", ressaltou mais uma vez a diretora. (P.C.)

Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!