REDE ESTADUAL
Pais acampam em frente a escolas para garantir matrícula dos filhos
O período de matrículas na rede estadual de ensino começa na próxima terça-feira, dia 2 de janeiro
Por Erik Mota
Em 29/12/2017 às 01:33
Pais utilizam cadeiras como garantia para recebimento de fichas de matrícula escolar (Foto: Nilzete Franco)

O período de matrículas na rede estadual de ensino começa no dia 2 de janeiro e encerra no dia 5. Com a aproximação da data, muitos pais acampam ou guardam lugar com cadeiras em frente a escolas a fim de garantir uma vaga para os filhos. 

Até ontem, 28, dezenas de pais e centenas de cadeiras estavam em frente à Escola Estadual Professora Wanda David de Aguiar, localizada na Avenida Estrela D’alva, no bairro Raiar do Sol. Sempre às vésperas do início do ano letivo a situação se repete.

Pedindo para não ter o nome revelado, uma dona de casa mãe de um menino de dez anos espera a matrícula do filho no 6° ano. Ela está acampada desde quarta-feira, 27. “Eu resolvi vir porque nós moramos perto da escola e ele estudando aqui se torna mais fácil”, disse. “A informação repassada para os pais é que serão abertas 150 vagas para os alunos do sexto ano e, para não perder uma dessas vagas, eu optei por acampar aqui”, relatou a dona de casa.

A falta de um sistema que facilite a matrícula dos alunos é a principal reclamação dos pais entrevistados pela Folha. “Se existisse outra forma de realizar a matrícula, seria bem mais fácil e não seria necessário passar por essa situação. Como você pode ver, já tem muitas pessoas aqui e cadeiras que, com certeza, ultrapassa a quantidade de fichas que serão distribuídas no dia”, comentou uma dona de casa, que não quis ser identificada.

Em entrevista à Folha, a diretora do Departamento e Educação Básica da Secretaria Estadual de Educação, Graciela Ziebert, afirmou que para o ano letivo de 2018 serão ofertadas mais de 7 mil vagas a alunos do 6° ano. “Essas vagas foram levantadas com a perspectiva de atender os alunos que saem da rede municipal de ensino para a estadual, além disso, um levantamento é feito para inserir esses alunos em escolas mais próximas”, explicou.

“Nós queremos tranquilizar os pais informando que teremos vagas suficientes para atender a demanda da Capital. Por conta da capacidade de cada escola e da quantidade de alunos em determinados bairros, nem sempre as vagas serão suficientes”, informou. “Caso os pais não consigam vaga na escola que deseja, a central de matrículas fará um mapeamento para inserir esse aluno em uma escola mais próxima”, esclareceu.

SISTEMA – Um sistema para facilitar a matrícula dos alunos está sendo projetado pela Secretaria Estadual de Educação. A previsão para implantação da ferramenta online é para o ano letivo de 2019. “Essa ferramenta será fundamental nesse processo de matrículas, evitando filas e transtorno”, finalizou a diretora. (E.M)

***
Gostou?
0
15
Paulo Carneiro disse: Em 29/12/2017 às 04:50:16

"Em mogi gucu esta fechando uma escola, enquanto outras escolas tem salas lotadas d aluno , e isto q o governo que quanto mais pessoas enguinorantes menos cobram o seus direitos bom eq o governo não conseguio roubar muito nesta escola paga30 reais em um frango com 30 reais eu compro 2"