“ACORDA JOSÉ”
Operação prende 7 por violência doméstica e estupro
A Polícia civil realizou a prisão preventiva de sete investigados por crimes de violência contra a mulher
Por Folha Web
Em 08/03/2018 às 20:00
A operação que recebeu o nome de “ACORDA JOSÉ” foi divulgada nessa quinta-feira (08) (Foto: Divulgação)

A Polícia civil realizou a prisão preventiva de sete investigados por crimes de violência contra a mulher, entre eles, seis de violência doméstica e um de estupro. A operação que recebeu o nome de “ACORDA JOSÉ” foi divulgada nessa quinta-feira (08) em alusão ao dia internacional da mulher. A prisões ocorreram todas em perímetro urbano de Boa Vista.

T.S.S, de 32 anos, foi preso no bairro Santa Tereza, acusado pela Justiça de estupro; A.M., de 47 anos, foi preso no bairro Jardim Primavera; M. da S.P., foi preso no bairro Senador Hélio Campos; F.L.R., de 24 anos, foi localizado no Conjunto Pérola, bairro Airton Rocha, sendo condenado a 01 ano, 04 meses e 15 dias de reclusão; V.P. da C., também teve mandado cumprido contra ele no Senador Hélio Campos; M.M.B., de 34 anos, foi condenado a 09 anos e quatro meses de prisão, além de pagamento de 420 dias multa.

Os acusados foram encaminhados para o Centro de Progressão Penitenciária (CPP), enquanto o preventivado por estupro foi recolhido às dependências da Penitenciária Agrícola de Monte Cristo (Pamc).

De acordo com a delegada-geral, Edinéia Chagas da Polícia Civil, a mulher ainda sofre uma grande dificuldade de denunciar os crimes por uma série de fatores.


"Muitas mulheres que sofrem violência doméstica nunca procuraram a polícia".Ela afirma que, apesar dos avanços da Lei Maria da Penha, "ainda é preciso melhorar a efetividade dela" para que o processo seja menos traumático e resulte em punições concretas.

"Geralmente mulheres só registram a denúncia feitas por companheiros só em casos extremos, e isso que estamos lutan mudar, essa é uma meta para ser alcançada. Para isso, várias ações estarão sendo realizadas durante o mês de março para dar continuidade as investigações que iniciaram durante março. Além disso, a Delegacia da Mulher está funciona das 7h30 da manhã até as 7h30 da noite para dar um suporte a essas vítimas" reforçou a delegada.

 

Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!