GATUXI
O projeto existe há dois anos e já recolheu mais de cem animais das ruas
Gatuxi é um grupo de apoio que trabalha em prol de gatos abandonados
Por Raisa Carvalho
Em 05/01/2018 às 00:07
A ONG recolhe animais das ruas e procura por novos donos (Foto Arquivo pessoal)

Se você se sensibilizou com um bichinho abandonado na rua, mas não sabe o que fazer, saiba que existem diversas maneiras de ajudá-lo. É o caso da Gatuxi, um grupo de apoio que atua recebendo e acolhendo gatos abandonados nas ruas e trabalhando com a prevenção dos maus-tratos.

A sede da Gatuxi está localizada na Rua Abrelina Pena, bairro Jardim Floresta há dois anos, e funciona ainda sem uma estrutura adequada. O seu mentor Michael Alba, conta que no início sequer gostava de gatos, mas que os animais tocaram seu coração.

“O objetivo é defender os animais de qualquer tipo de exploração a que são submetidos. Mas ainda existe muita dificuldade de cuidar dos felinos que são animais que sofrem preconceito, muitos dizem que não são carinhosos e interesseiros, o que é mentira. Quem procura adotar animal busca pelos filhotes e os adultos acabam ficando sem lar” comentou.

No momento, existem cerca de trinta gatos castrados na sede que sobrevivem com doações de rações feitas pela população e com o apoio de consultórios veterinários, mas ainda é pouco. Segundo ele, cerca de 70% das despesas são pagas pelos próprios membros. Outro problema é a falta de voluntários para ajudar no recolhimento dos animais, alimentação e banho. Apesar disso, o projeto recolhe os animais na rua e os envia para a adoção. Mas nem todos ganham um novo dono.

Michael estimula as pessoas a terem coragem de adotar um bicho. “Caso tenha se sensibilizado com um animal abandonado, tenha certeza de que isso não foi por acaso, pois é uma oportunidade de fazer o bem, de fazer por ele o que gostaria que fizessem por você em situação semelhante. No meu caso, eu só perdi meu preconceito tendo que cuidar de um”, relata.

Adoção responsável

Michael explica que antes de adquirir um animal é preciso tomar algumas atitudes. É necessário considerar que seu tempo médio de vida é de 12 anos. Pergunte à família se todos estão de acordo, se há recursos necessários para mantê-lo e verifique quem cuidará dele nas férias ou em feriados prolongados. “Adote animais de abrigos públicos e privados (vacinados e castrados), em vez de comprar por impulso. Zele pela saúde psicológica do animal. Dê atenção, carinho e ambiente adequado a ele”, relatou.

Como ajudar?

Quem quiser ajudar a Gatuxi pode contribuir com ração ou valor em dinheiro. Ou então doar uma quantia nos consultórios veterinários que atendem os animais. "A Gatuxi criou uma conta e com isso os animais são atendidos, e durante o ano vamos arrecadando doações para pagar a conta", explicou. Outra forma de ajudar seria adotando um animal. Quem quiser entrar em contato basta ligar para o número: 99167-6088.

Caso tenha encontrado algum animal na rua que precise de ajuda, Nina Rosa, fundadora e presidente do INR, dá algumas dicas. “Se for um animal desconhecido, chegue próximo a ele com mansidão e calma, agache para ficar na altura dele, fale baixinho avisando que vai ajudá-lo. Deixe-o cheirar o dorso de sua mão para sentir a sua energia e, se possível, ofereça água, ou algo para comer, sem forçar. Com isso, ele perceberá que você só quer ajudar”, lembra a presidente da ONG.

***
Gostou?
1
0
Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!