NA CADEIA PÚBLICA
Integrante de facção é morto com cerca de 200 perfurações
Crime ocorreu na Ala 8 da Cadeia Pública de Boa Vista, onde Jeferson Alves Lima, conhecido como “Loirinho”, estava preso por homicídio
Por João Barros
Em 03/02/2018 às 00:25
“Loirinho” foi morto na tarde de ontem, dentro da Cadeia Pública de Boa Vista, no São Vicente (Foto: Hione Nunes)

O detento Jeferson Alves Lima, de 25 anos, vulgo “Loirinho”, foi morto na tarde de ontem, dia 2, dentro da Cadeia Pública de Boa Vista, localizada no bairro São Vicente, com aproximadamente 200 perfurações espalhadas pelo corpo. As estocadas foram causadas por armas improvisadas a partir de vergalhões. O fato ocorreu durante uma briga generalizada, por volta das 15h, na Ala 8, também conhecida como Ala da igreja.

Além do homicídio, houve um preso ferido que teve que ser levado ao Hospital Geral de Roraima (HGR) às pressas. Toda a ação dos presos que investiram contra os dois detentos aconteceu durante o banho de sol.

Muitos policiais militares da Força Tática e do Batalhão de Choque, que integram o Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope), entraram na unidade prisional para conter os ânimos dos detentos. Ao fim das ações policiais, viaturas da perícia criminalística e da Delegacia-Geral de Homicídios (DGH) entraram na Cadeia para realizar os procedimentos técnicos.

Todos os suspeitos foram separados e conduzidos por uma van do Departamento do Sistema Penitenciário (Desipe) até a sede do 5º DP, para prestar depoimento à autoridade policial, a fim de que as investigações sejam iniciadas e os autores indiciados pelo crime de homicídio. Eles serão recolhidos novamente à unidade e sofrerão as sanções previstas na Lei de Execuções Penais (LEP).

O coronel Lindolfo Bessa esclareceu que a Polícia Militar foi acionada por conta da denúncia do homicídio e de um ferido. “O problema todo foi o homicídio, mas não houve tumulto. Os suspeitos já foram apontados”, acrescentou.

Muitos familiares aflitos começaram a se aglomerar em frente ao prédio para obter informações sobre a identidade do morto. Somente ao fim do procedimento da perícia, o nome e a idade do preso assassinado foram revelados. O corpo foi removido pelo rabecão do Instituto de Medicina Legal (IML) para exame cadavérico e, posteriormente, será liberado à família para sepultamento.

MUDANÇA – De acordo com informações apuradas pela Folha, a motivação do crime dentro da Cadeia Pública seria o fato de Jeferson ter decidido pela mudança de facção, declarando-se membro do Comando Vermelho e não mais do Primeiro Comando da Capital (PCC), exatamente por isso foi transferido para a Cadeia Pública de Boa Vista.

ANTECEDENTES – Na ficha criminal de Jeferson há passagem por crime de receptação e por ter sido apontado pela investigação da Polícia Civil como autor dos disparos de arma de fogo que mataram o motorista e proprietário de van, Clodomir Miranda da Silva, de 35 anos, conhecido como 'Codó'. O fato ocorreu no dia 7 de outubro de 2015, no conjunto Pérola, bairro Airton Rocha.

A vítima fazia a rota Rorainópolis/Boa Vista/Rorainópolis diariamente. Jeferson foi identificado por testemunhas como o autor dos disparos no mesmo dia do crime. Loirinho foi preso em Rorainópolis e apresentado na DGH para ser interrogado, mas não confessou o crime. Depois de ser ouvido na delegacia, o acusado foi submetido a exame de integridade física no Instituto de Medicina Legal (IML) e encaminhado à Penitenciária Agrícola de Monte Cristo (Pamc).

SEJUC – De acordo com a Sejuc (Secretaria Estadual de Justiça e Cidadania) houve uma briga generalizada, em que dois presos ficaram feridos. Os agentes de plantão foram ao local e constataram que um dos presos estava morto, com perfurações pelo corpo. O outro foi encaminhado ao Hospital Geral de Roraima (HGR). “A direção da unidade já está investigando a situação para identificar os detentos envolvidos no caso”, assegurou. (J.B)

***
Gostou?
0
0
Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!