PUBLICIDADE
BAIRRO OLÍMPICO
Homem é suspeito de matar a própria mãe de 71 anos
Morte foi causada por um traumatismo craniano. Um dos policiais que atendeu a ocorrência disse que o filho alega que a mãe caiu. Caso está Sendo investigado
Por João Barros
Em 11/02/2019 às 00:20
Diante dos indícios de que o filho era o suspeito do crime, polícia o conduziu até a Central de Flagrantes do 5º DP (Foto: Divulgação)

O suposto homicídio de uma mulher de 71 anos, identificada como Alcina Ribeiro Pardim, na madrugada de ontem, chocou moradores da Rua Josefa Leite de Souza, no bairro Olímpico, principalmente porque o principal suspeito é o próprio filho da idosa.

Policiais militares relataram que foram acionados por volta das 9h30 para atender uma ocorrência de violência doméstica com possível homicídio e, quando chegaram ao local, conversaram com testemunhas que disseram ter ouvido gritos e pedidos de socorro durante a madrugada. Um dos vizinhos disse que foi até a casa para saber o que estava acontecendo e encontrou a vítima nos braços do filho pedindo socorro novamente, afirmando que ele estava batendo nela.

O vizinho disse que conversou com o filho da vítima e o acalmou, mas cerca de 20 minutos depois ouviu novamente um barulho na parede que vinha de dentro do mesmo apartamento onde moravam mãe e filho, como se alguém estivesse batendo alguma coisa. O vizinho voltou ao local e dessa vez viu a idosa dentro da rede, como se estivesse dormindo, inclusive emitia um som como se roncasse.

Mais uma vez a testemunha declarou que conversou e acalmou o suspeito. O filho da vítima pediu o telefone da idosa para ligar para o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). Depois da ligação, o vizinho contou que voltou para seu apartamento porque precisava dormir. Já pela manhã, por volta das 9h30, a testemunha retornou à casa da vítima e ao chegar perto da rede percebeu que ela estava morta, por isso ligou para a Polícia Militar.

Os policiais chegaram ao endereço, isolaram a área e acionaram o Samu. O médico socorrista foi quem atestou o óbito. A Perícia Criminal também compareceu ao local e ao fim dos procedimentos técnicos o corpo foi levado para o Instituto de Medicina Legal (IML). Vizinhos contaram que também ouviram gritos, mas não intervieram porque ficaram amedrontados.

Diante dos indícios de que o filho era o suspeito do crime, a polícia o conduziu até a Central de Flagrantes do 5º DP. A reportagem da Folha conversou com uma filha da vítima e irmã do suspeito. Ela disse que estava triste, mas não pôde acompanhar o desenrolar do caso porque está com a perna quebrada e não conseguiu sair de casa. Quando questionada se o irmão era usuário de drogas, disse que não sabia confirmar. Nem mesmo a motivação do crime foi confirmada por ela.

Segundo as informações colhidas no IML, a morte foi causada por um traumatismo craniano. Um dos policiais que atendeu a ocorrência disse que o filho alega que a mãe caiu. O caso está sendo investigado. (J.B)

***
Gostou?
0
2
PUBLICIDADE
rnuj disse: Em 11/02/2019 às 05:48:41

"O Brasil precisa de pena de morte! "