ESTELIONATO
Homem carbonizado no Anel Viário caiu em golpe na internet
Vítima teria negociado um carro por R$ 3 mil e, quando foi até a casa da suposta vendedora, foi morto
Por João Barros
Em 23/02/2018 às 00:38

Luiz Eduardo Peixoto Araújo, de 34 anos, é o nome da vítima cujo corpo foi queimado no Anel Viário, no fim da tarde da quarta-feira, dia 21. A reportagem da Folha obteve novas informações sobre o crime a partir de relatos da polícia e de alguns amigos da família que estavam no Instituto de Medicina Legal (IML). O caso tem relação direta com a compra e venda de um veículo.

De acordo com um familiar, que não quis ser identificado, Luiz Eduardo estava negociando um veículo, que custava R$ 3 mil, no aplicativo OLX há alguns dias e inclusive disse à esposa que compraria o automóvel. “Não sabemos de muita coisa, mas posso confirmar que ele fez a compra do veículo por R$ 3 mil, que ele tinha depositado, mas não teve retorno. Por causa disso, ele foi atrás dessa residência no Sílvio Botelho [Zona Oeste de Boa Vista], e foi executado nessa casa. Pegaram o corpo e levaram para o Anel Viário”, detalhou.

A família disse ainda que, Luiz Eduardo desapareceu na manhã da quarta-feira, depois que saiu de casa para resolver a pendência que tinha com a suposta dona do automóvel negociado e não foi mais visto, nem mesmo atendeu aos telefonemas que iam todos para a caixa postal. “Nós acreditamos que ele realmente tenha sido vítima do golpe. Desligaram todos os telefones que estavam disponíveis no site. A esposa dele tinha contato apenas com uma mulher que ligava sempre para falar do carro, uma tal ‘Maria’ ”, afirmou.

O corpo deu entrada no IML na noite da quarta-feira e ontem, dia 22, pela manhã, foi examinado pelo médico-legista e liberado. “A família só descobriu pela manhã porque um funcionário do IML é parente também e falou que o corpo era de um homem que usava aparelho”, acrescentou. Um ferimento na testa pode indicar a causa da morte, que será confirmada com o laudo da perícia.

Conforme o familiar, Luiz Eduardo não tinha envolvimento com o crime. “Nós sempre acreditamos que ele era uma pessoa boa, confiávamos nele, tínhamos uma boa relação. Nunca soubemos que ele teve envolvimento com coisa estranha”, ressaltou.

O corpo foi liberado na manhã de ontem, dia 22, após a família apresentar um raio-x da arcada dentária, que foi comparada com a dentição do cadáver, sendo então confirmada a identidade pelo odonto-perito.

A vítima era membro de uma igreja evangélica, onde desempenhava o cargo de diácono, era casado e pai de um menino de dois anos. A Delegacia-Geral de Homicídios (DGH) investiga o caso, mas disse que não poderia adiantar qualquer detalhe porque as investigações estão bastante avançadas e não podem ser interrompidas.

ALERTA – A polícia salientou que é preciso ter rigor e redobrar a atenção durante negociações de compra e venda de veículos pela internet e nunca fazer depósitos antecipados aos vendedores para não correr o risco de cair num golpe. (J.B)

Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!