POLÍCIA CIVIL
Delegada-geral vai priorizar concurso e revitalização
Por Paola Carvalho
Em 04/12/2017 às 01:31
A delegada Edinéia Chagas diz que vai focar em concursos públicos e investimentos para combater a criminalidade (Fotos: Diane Sampaio)

A titular da Delegacia Geral da Polícia Civil, Edinéia Chagas, falou sobre os planos de gestão para a categoria no próximo ano. Entre os principais estão a realização de concurso público, aquisição de equipamentos, criação de novas unidades e uma novidade, priorizar o combate aos crimes cometidos na internet.

Em entrevista ao programa Agenda da Semana, na Rádio Folha 1020, no domingo, 03, a delegada informou que o concurso público é uma necessidade para a segurança da população, dos próprios policiais e a realização de um trabalho mais eficaz.

“Hoje em dia são 66 delegados, com um quantitativo geral de 400 agentes, quando o ideal pela lei é de mil agentes. O quantitativo de delegados na Polícia Civil hoje em dia é pequeno, todos direcionadosa atividade, operacional, por isso o concurso é necessário. O crime aumentou em Roraima, e a Polícia Civil não cresceu. Nossa meta é torná-la mais eficaz com o aumento do efetivo no ano que vem”, informou.

A delegada também informou que ela e sua equipe analisam a elaboração de um projeto de lei para criar o corpo técnico da polícia civil. “Eu preciso de dois estatísticos, um administrador, um contador. Preciso psicólogo e assistente social para melhor atender a vítima vulnerável a partir das delegacias. Como esse corpo técnico não foi criado, hoje a gente percebe o quanto é necessário”, frisou.

INFRAESTRUTURA – Com relação à criação de novas unidades e revitalização de outras, a delegada frisou que ao longo da última década, só havia uma unidade da Polícia Civil nos padrões exigidos a uma delegacia cidadã, a sede do 5º Distrito Policial (DP) e Central de Flagrantes. “Foi possível concluir este ano o 3º DP, que estava em condições precárias e não tinha mais condições de funcionar onde estava. Agora, migramos para uma estrutura melhor, tanto para o policial, quanto o cidadão”.

Sobre as obras em andamento e as paralisadas, como a Delegacia da Mulher e o 1º DP, a delegada informou que esteve em Brasília, em reunião com o ministro Gilmar Mendes, para impedir que as obras fossem suspensas. “De fevereiro para cá, estamos lidando com a burocracia que envolve um processo de licitação para ver se a gente volta a construir as unidades”, explicou Edinéia.

“Infelizmente, a Polícia Civil é só beneficiária, ela não faz a gestão do processo da construção. Acredito que com o empenho da atual gestão da Secretaria de Segurança e da Secretaria de Infraestrutura, a Delegacia da Mulher deverá ser concluída nos próximos dois anos e o 1º DP também. Tenho fé que até o primeiro semestre de 2019 a Delegacia da Mulher vai inaugurar”, completou.

Sobre o interior do Estado, a delegada acrescentou que o município de Caracaraí também vai receber uma delegacia cidadã, tal qual o 5º DP. “Recentemente foi licitada a obra, já tem um vencedor e está na fase de recursos. Acredito que dessas três, a delegacia de Caracaraí sairá mais rapidamente”, pontuou.

PRIORIDADES - A delegada informou que a gestão vai investir no combate aos crimes de internet. “Precisamos adquirir uma plataforma de investigação de crimes cibernéticos, para enfrentar as quadrilhas de estelionatários e pedofilia. Para ano que vem nós queremos trabalhar na aquisição de softwares para reprimir esses crimes”, pontuou.

A ideia da gestão é implementar plataformas digitais, a implantar inquéritos eletrônicos para dar rapidez às investigações. Também, implantar um laboratório de DNA; aquisição de viaturas e armas. “Vamos pedir um aumento orçamentário para implementar essas ações, algo em torno de R$ 5 milhões. Trabalhamos dentro da contingência e mesmo assim, conseguimos alguns avanços, apesardo orçamento limitado. É o que queremos para os próximos anos, saber onde investir para dar melhor resposta à população roraimense”, concluiu. (P.C.)

***
Gostou?
20
16
Manuel disse: Em 31/12/2017 às 16:40:45

"A desculpem. Entendi. Estão privatizando a policia. Do tipo Pedágio das estradas. Pagamos para fazerem as estradas. É feita... depois ficamos pagando aluguel das estradas... hum... muito legal isto."

Manuel disse: Em 31/12/2017 às 16:40:14

"A desculpem. Entendi. Estão privatizando a policia. Do tipo Pedágio das estradas. Pagamos para fazerem as estradas. É feita... depois ficamos pagando aluguel das estradas... hum... muito legal isto."