ESTADO E MUNICÍPIO
Calendário escolar está definido
O ano letivo para os alunos da rede estadual será de 203 dias, enquanto na rede municipal de 205 dias
Por Minervaldo Lopes
Em 31/12/2017 às 01:25
A rede de ensino municipal começará o ano letivo de 2018 em 29 de janeiro (Foto: Diego Dantas/Semuc PMBV)

Pais de alunos matriculados na rede pública de ensino já podem se preparar para o próximo ano letivo. Tanto o Estado quanto o Município de Boa Vista já definiram o calendário escolar para 2018. 

Conforme a Secretaria Estadual de Educação e Desportos (Seed), o próximo ano letivo terá 203 dias, somando 820 horas/aula. O período de matrículas inicia na próxima terça-feira, 2, se estendendo até sexta-feira, dia 5.

Após o encerramento das matrículas, a Seed abrirá, no período de 15 a 19 de janeiro, os trabalhos da Central de Matrículas. A iniciativa é voltada para os pais que por algum motivo não encontrem vaga na escola desejada. Atualmente a rede estadual tem 40.752 mil alunos somente na capital.

Segundo a Secretaria, o primeiro bimestre da rede estadual começará em 5 de fevereiro, indo até o dia 20 de abril, totalizando 50 dias de aula. O segundo semestre do dia 23 de abril até 6 de julho, encerrando com 52 dias letivos.

O terceiro bimestre vai de 24 de julho, a 28 de outubro, somando 50 dias; e do quarto e último semestre de 1º de novembro a 18 de dezembro, somando 51 dias aulas.

Na rede municipal, o ano letivo terá 205 dias em 2018, com início das aulas previsto para o dia 29 de janeiro e término no dia 14 de dezembro. O calendário vale para a educação infantil, o ensino fundamental e a Educação de Jovens e Adultos (EJA).

Informações de servidores da Secretaria Municipal de Educação e Cultura (Smec) noticiam que o primeiro semestre do calendário escolar terá início dia 29 de janeiro a 28 de junho, enquanto o segundo semestre será no período de 16 de julho a 14 de dezembro.

Em relação ao período de matrículas, os pedidos devem ser feitos exclusivamente pelo Call Center da Smec, pelo número 0800 280 3536. O serviço funciona de segunda a sexta-feira, das 7h às 19h.

Os pedidos de transferência para educação infantil, ensino fundamental e novas matrículas para as escolas indígenas e do campo já se encerraram. Novas matrículas poderão ser feitas no período de 2 a 21 de janeiro.

Para alunos da EJA, o prazo de matrículas no semestre 2018.1 vai do dia 2 ao dia 30 de janeiro, enquanto o segundo semestre do dia 2 até o dia 17 de julho.

MATERIAL – Com o início das matrículas, os pais começam a procura pelo material escolar. Mas, os consumidores devem ser cautelosos para evitar que as compras não pesem no orçamento familiar.

Para auxiliar, a Folha fez um levantamento com itens indispensáveis às atividades estudantis. O caderno infantil pode ser encontrado com preços que variam de R$ 4,00 e R$ 10,00. Caderno com 5 matérias pelo preço de R$ 12,00 a R$ 47,00. O de 10 matérias de R$ 17,00 a R$ 50,00; o de 15 matérias entre R$ 26,00 a R$ 52,00; e o de 20 matérias de R$ 34,00 a R$ 57,00.

As esferográficas tem preços variáveis de R$ 0,90 a R$ 4,50. Os lápis comuns ficam entre R$ 1,00 a R$ 1,80; grafites estão custando entre R$ 3,00 a R$ 11,00.

Para crianças do infantil e fundamental, caixas de lápis de cor com 12 unidades podem ser encontradas com variação de preço entre R$ 4,60 a R$ 14,00; giz de cera de R$ 5,40 a R$ 12,00. O item de preço mais elevado é a mochila. Elas podem custar de R$ 100,00 a R$ 282,00.

Para adolescentes, um enxoval contendo um caderno de 15 matérias, um esferográfica, um lápis comum e uma mochila, os pais gastam R$ 127,90 pelo material mais barato e R$ 340,30 pelos itens mais caros.

Para crianças, o consumidor desembolsaria no mínimo R$ 115,00 e no máximo R$ 319,80, para adquirir um caderno, um lápis comum, uma caixa de lápis de cor, uma caixa de giz de cera e uma mochila.

***
Gostou?
1
1
Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!