CARNAVAL
Ação conjunta vai garantir segurança
Já estão definidas as estruturas de apoio e segurança do evento que se estenderá por cinco dias
Por Ana Gabriela Gomes
Em 05/02/2018 às 02:10
A expectativa é que diariamente 20 mil pessoas participem do carnaval de rua em BV (Foto: Arquivo)

Inicia nesta sexta-feira, 9, a programação do Carnaval de Boa Vista 2018. Este ano, a festa se estende até o dia 13 de fevereiro, na Praça Fábio Marques Paracat, na Avenida Ene Garcez. Com a expectativa de 20 mil pessoas por dia, a segurança dos cinco dias de festa será garantida por meio de uma ação conjunta.

O esquema vai contar com aproximadamente 60 agentes da Guarda Municipal, 100 da Polícia Militar do Estado de Roraima (PMRR), 25 da Polícia Civil, 10 do Corpo de Bombeiros, 32 seguranças privados e oito viaturas do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). Como reforço do aparato humano estará funcionando o serviço de monitoramento com 24 câmeras de vigilância privada, contratado para acompanhar o evento em tempo real.

Para dar segurança aos foliões será interditado o trecho que vai da Avenida Major Williams até a Praça Fábio Paracat. Serão montados camarotes; tenda de apoio, de 30x15 metros, para serviços como fraldário, Guarda Municipal, vigilância e monitoramento; 15 barracas para alimentação e parque infantil no estacionamento da Praça. Além disso, 90 ambulantes credenciados estarão em barracas na avenida, sentido Centro.

Quanto aos ambulantes, o superintendente de Cultura da Fetec, Enos Almeida, contou que o evento procura manter pessoas credenciadas. No entanto, pela questão financeira, tendem a não ser inflexíveis. Ou seja, outros ambulantes podem vender, desde que não estejam em áreas de grande circulação.

Para evitar qualquer problema, cerca de 30 agentes da Emhur vão fiscalizar o local. Em relação aos credenciados, é fornecida somente a estrutura. As barracas e demais materiais são de responsabilidade do ambulante. “Fazemos a ligação de luz e água. O resto é por conta deles”, finalizou.

INTERDIÇÃO – Não haverá bloqueio permanente da avenida durante os cinco dias de programação. A interdição ocorrerá a partir das 16h e será retirada ao final da festa. “Para não prejudicar o tráfego no dia seguinte”, disse o superintendente de Cultura da Fetec, Enos Almeida.

RECURSOS – Para toda a estrutura do evento, o município contou com recurso próprio de aproximadamente R$ 580 mil. Além disso, conta com parceiros que prestam serviços, como a Guarda Civil e a PMRR, que não são pagos pelo município. No caso dos blocos, apenas o trio elétrico é fornecido.

Blocos desfilam a partir de sábado

Dos 19 blocos que se inscreveram para participar do Carnaval, 12 foram selecionados para se apresentar. A partir de sábado, dia 10. Os circuitos começam com três blocos por noite nos dois trios disponíveis.

Por meio de um edital, o bloco que se inscreve apresenta um portfólio, contendo os serviços que realiza no âmbito de apoio à comunidade, projetos ambientais e sociais.

A partir daí, o projeto passa por avaliação onde cada item tem uma pontuação. Ao fim, são escolhidos os blocos que detiverem as melhores pontuações.

Há quatro anos o Carnaval de Boa Vista vem trabalhando com blocos. Para os selecionados, é disponibilizado apenas o trio elétrico.

“Não há apoio financeiro para os blocos. O objetivo é que eles tenham autonomia e comecem a desenvolver os próprios meios, seja por parceiros ou patrocínio”, disse o superintendente da Fetec, Enos Almeida.

Na sexta-feira, 9, durante a abertura do Carnaval, haverá um circuito com vários blocos menores. Para esses, serão disponibilizados o trio elétrico e a banda da Prefeitura Municipal (PMBV). No sábado, 10, e na segunda-feira, 12, é a vez do Baile Infantil e no domingo, 11, acontece o Baile da Terceira Idade. (A.G.G)

Bloco do Mujica aposta na saída independente

Criado em 2014, o Bloco do Mujica reúne artistas e brincantes que simpatizam com o ex-presidente do Uruguai, Pepe Mujica. Apostando em uma rota alternativa, o bloco realizou neste domingo, 4, o último ensaio antes da apresentação na avenida.

Para ajudar na estrutura e som, eram cobrados R$10,00 para assistir ao ensaio, que chegou a reunir mais de 200 pessoas no Espaço Paricarana, em frente a um shopping no bairro Cauamé.

Ano passado, o bloco desfilou na Avenida Ville Roy, em frente à antiga Casa do Neuber, reunindo mais de três mil pessoas. Este ano, vai realizar o mesmo circuito no dia 12 de fevereiro, segunda-feira de Carnaval.

A banda é composta por artistas regionais, como George Farias, Jamrock, Neuber Uchôa e Leka Denz. No trio elétrico, várias músicas regionais irão ganhar ritmo carnavalesco.

O Mujica conta com a participação de escritores, artistas plásticos, atletas, professores, jornalistas. Regidos pelo mestre de bateria Amaury Gomes, o próprio público faz parte da bateria.

A proposta é criar um movimento de descontração e revitalização do carnaval de rua boa-vistense. Para participar do bloco é só vestir a fantasia e pular.

PEPE MUJICA - Pepe presidiu o Uruguai durante os anos de 2010 a 2015, Ficou conhecido por ser um governo progressista e pela simplicidade que resolveu adotar durante seu mandato.

Mujica rejeitou as mordomias da presidência e recusou a viver no Palácio Presidencial ou ter um “cortejo motorizado”. Atualmente ele vive em uma casa de apenas um quarto na fazenda de sua esposa e dirige um fusca de 1978. (A.G.G)

***
Gostou?
0
1
Jesus está voltando! disse: Em 05/02/2018 às 09:34:46

"Para muitos brasileiros o ano só começa depois do carnaval, é exatamente o que o diabo quer, fazer o povo abrir a boca e cantar seus hits carnavalescos, assim ele pode agir da maneira que o hit do momento manda, seja no Brasil ou em outros países. Todo ano ele inventa uma música para ser o hit do carnaval, e suas letras sempre vem acompanhadas das desgraças que ele quer que aconteça durante aquele ano e o povo solta a voz, nem se dão conta que estão dando liberdade para ele agir, amaldiçoando todo ano com as letras dessas músicas amaldiçoadas. E não são apenas brasileiros que caem nessa armadilha do diabo não, o carnaval é a festa que reúne mais turistas em todo mundo. Veja: Em 2015, a música do Carnaval foi Lepo Lepo (não tenho carro, não tenho teto) e o Brasil entrou na crise. Em 2016, a música foi a Muriçoca, e o resultado? Dengue, Zica e Chikungunya. Em 2017, o hit foi Metralhadora (Trá Trá Trá), resultado, terror no sistema penitenciário brasileiro, atentado em um colégio de Goiânia, maior massacre dos EUA, (foi o ano com mais mortos em atentados a tiros da história dos EUA, diz estudo), sem contar os rumores de guerra entre EUA e Coreia do Norte. A violência ultrapassando todos os limites. Satanás gostou tanto das tragédias que ocorreram em 2017, que já soltou seu novo hit: ?Que tiro foi esse?, com certeza ele quer repetir a doze no ano de 2018, e você? REFLITA. O meu povo está sendo arruinado porque lhe falta conhecimento da Palavra. (Oséias 4:6) "