SAÚDE
Abuso de álcool e drogas aumenta o risco de depressão e esquizofrenia
Uso exagerado de bebida alcoólica pode aumentar a probabilidade de enfrentar o transtorno
Por Raisa Carvalho
Em 19/02/2018 às 00:10
De acordo com o psiquiatra Alberto Iglesias, nesses casos é plausível também que a paciente com predisposição à esquizofrenia ou à depressão seja mais suscetível às drogas (Fotos: Divulgação)

Não é de hoje que os cientistas debatem sobre a relação entre o abuso de drogas e transtornos psiquiátricos. Em uma pesquisa realizada pela Universidade de Copenhague, na Dinamarca, trouxe mais luz a esse debate. Os pesquisadores usaram dados de mais de três milhões de pessoas nascidas entre 1955 e 1999. Durante a pesquisa, cerca de 200 mil casos de abuso de substâncias entorpecentes e 21 mil diagnósticos entre esquizofrenia e depressão foram encontrados.

Ao cruzarem essas informações, os cientistas chegaram até a estabelecer em qual proporção o exagero de cada item contribui para o maior risco de desenvolver as doenças.

Segundo a pesquisa, jovens que utilizaram maconha tem 5,2 % mais chances de desenvolver os transtornos. Enquanto o álcool apresenta uma porcentagem de 3,4 vezes mais. Drogas alucinógenas, sedativos, anfetaminas e outras substâncias também apresentaram altos índices.

Apesar da descoberta, os autores são cautelosos. Segundo eles, ainda é impossível dizer se o abuso causou o transtorno psiquiátrico ou vice-versa.

De acordo com o psiquiatra Alberto Iglesias, nesses casos é plausível também que a paciente com predisposição à esquizofrenia ou à depressão seja mais suscetível às drogas.

“Além disso, alguns indivíduos podem ser mais propensos a desenvolver os dois problemas – a esquizofrenia e o abuso de entorpecentes. Não é incomum observarmos pessoas que fazem uso crônico de álcool e outras drogas e instintivamente fazermos afirmações de que esses indivíduos devem ter experimentado um profundo desgosto em algum momento de suas vidas”, relata.

Como resultado, o sofrimento da família e do paciente aumenta e o tratamento torna-se cada vez mais difícil, pois exige muitas vezes a administração de medicação e outras formas de terapia, como a internação, por exemplo.

“Existe uma estreita relação entre a depressão e uso de drogas, sendo que o vício leva ao quadro depressivo, ao mesmo tempo em que a depressão leva ao abuso de substâncias. Forma-se, assim, um ciclo perigoso em que o quadro de vício e depressão se agrava mutuamente”, disse.

Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!