MIGRANTES
Abrigo destinado aos venezuelanos terá inspeção de segurança em RR
Dentre os assuntos, existe a possibilidade de emitir uma Carteira de Identificação do Abrigado
Por Folha Web
Em 22/01/2018 às 20:00
(Foto: Secom-RR)

Autoridades da segurança pública do Estado se reuniram na manhã desta segunda-feira, dia 22, para traçar um plano de segurança e inspeção no abrigo destinado aos venezuelanos no bairro Tancredo Neves. O encontro ocorreu no Comando Geral do Corpo de Bombeiros Militar de Roraima.

Reunião teve como pauta redobrar as medidas de segurança no Centro de Referencia ao Imigrante (CRI), visto que muitos venezuelanos usam os abrigos como casa de passagem ou apenas para dormir no período da noite, o que tem possibilitado um crescente aumento na relação conflituosa entre os abrigados, além de exigir uma atuação mais pontual dos órgãos de segurança pública para evitar ocorrênciaS de atos que possam configurar contravenções penais ou crimes.

Para o comandante Geral do CBMRR, coronel Doriedson Ribeiro, ao firmar parceria com a Sesp, Delegacia Geral de Polícia Civil e PM, as ações de segurança vão ser mais efetivas visando inibir atitudes delituosas por parte dos imigrantes dentro e fora dos abrigos.

“Vamos viabilizar a possibilidade de uma revista semanal dentro do abrigo a fim de averiguar a idoneidade dos abrigados e se os pertences não são provenientes de furtos e outros atos infracionais, além de manter uma condição de ordem mais rigorosa para aqueles que usufruem dos abrigos e para inibir ações semelhantes para os imigrantes que não estão abrigados”, pontuou coronel Doriedson.

PRIMEIRO PASSO – A ação conjunta vai iniciar primeiramente no abrigo do Tancredo Neves, visto que há uma rotatividade muito grande de abrigados, uma vez que para permanecer no abrigo o imigrante tem que ser voluntário e atender uma série de normas de convivência como horário das refeições, horário para dormir, respeitar as prioridades referentes ao uso de banheiros, dentre outras particularidades de quem vive em razão da coletividade.

Um dos pontos principais abordados na reunião foi a possibilidade de produzir uma Carteira de Identificação do Abrigado, que após realizar uma triagem será identificado quem realmente está alojado e cumprindo as normas do abrigo e aqueles que fazem apenas o uso das instalações para pernoitar ou como refúgio por outras circunstâncias que possam configurar em contravenções penais ou atitudes delituosas.

A delegada Geral, Edinéia Chagas, enfatizou a importância da carteira de identificação para poder diferenciar o abrigado caso este venha a se envolver em alguma atitude delituosa, para que sejam adotadas as medidas cabíveis e inibir ações criminosas sobre o risco desse imigrante perder o direito de permanecer no abrigo.

O CBMRR está focado no planejamento das ações de Proteção e Defesa Civil para que seja efetivo o envolvimento dos órgãos de Segurança Pública em melhor atender o fluxo migratório que foi intensificado nos últimos dias.

“Nesse sentido também estamos aguardando a manifestação do Governo Federal para possibilitar e intensificar as ações com recurso federal na tentativa de solucionar os efeitos negativos do crescente fluxo migratório ocasionado com a crise na Venezuela”, destacou o coronel Doriedson, ao enfatizar que todos os organismos de segurança, Proteção e Defesa Civil do Estado estão em alerta e atuando como primeira resposta, mas que é necessário o suporte do Governo Federal.

Participaram das discussões o comandante-geral do CBM, coronel Doriedson Ribeiro, a Delegada Geral de Polícia Civil, Ednéia Chagas, do secretário Adjunto da Secretaria Estadual de Segurança Pública, Nivaldo Matias e o comandante do Policiamento da Capital da Polícia Militar de Roraima, coronel Lindolfo Bessa.

#secom-rr

***
Gostou?
67
41
rnuj disse: Em 22/01/2018 às 20:58:02

"NA HORA DE FALAR EM RELIGIÃO TODOS ACEITAM QUE É MELHOR ENSINAR A PESCAR DO QUE DAR O PEIXE. MAS NA HORA DE TRABALHAR NINGUÉM ACEITA. PASSOU DA HORA DE ENVIAR ESSA GENTE PARA TRABALHAR NAS ZONAS RURAIS DO ESTADO!!! "