NA ASSEMBLEIA
“Legislativo quer união e trabalho”, garante Jalser
Presidente da Casa Legislativa afirmou que o ano eleitoral não deve prejudicar o andamento das sessões
Por Folha Web
Em 21/02/2018 às 01:29
Presidente da Assembleia, Jalser Renier: “A política não pode ser maior que as pessoas e temos que ter a responsabilidade de colocar o Estado no caminho que deve ter” (Foto: Jader Souza/SupCom-ALE)

O tom do discurso do presidente da Assembleia Legislativa, deputado Jalser Renier (SD), foi de união e harmonia entre os poderes. “Queremos garantir que vamos continuar tendo uma relação civilizada, educada e respeitosa com o Poder Executivo e Poder Judiciário. Isso é o mais importante. Não podemos apagar o fogo com fogo na mão. Entendo que esse é o melhor caminho para o futuro. O Estado é maior que as brigas”, destacou.

Jalser aproveitou para fazer uma breve prestação de contas sobre as ações do Poder Legislativo no ano passado. “Estamos aqui para fiscalizar e desenvolver leis que contribuam com o desenvolvimento do nosso Estado. Neste sentido, apenas no ano passado, analisamos e aprovamos quase 900 proposições, entre indicações parlamentares, decretos legislativos, projetos de lei e de resoluções, e ainda emendas à Constituição Estadual. Estamos trabalhando para despertar nas pessoas a consciência de que as transformações sócio-políticas são resultado de leis e ações emanadas do Poder Legislativo”, apontou.

Em entrevista à imprensa, Jalser disse que as expectativas são as melhores possíveis para 2018. “A política não pode ser maior que as pessoas e temos que ter a responsabilidade de colocar o Estado no caminho que deve ter.

Minha preocupação será que o ano eleitoral não prejudique o andamento das sessões na Assembleia Legislativa. Já conversamos com os deputados e vamos trabalhar de forma que não faltem às sessões. As faltas não podem ser compreendidas, pois somos parlamentares até dezembro”.

Sobre a mensagem governamental de Suely Campos apontando Roraima como um estado em crescimento, o presidente da Assembleia declarou que “essa é a realidade ao ver dela e cabe à população avaliar se a realidade apresentada no plenário é a existente no Estado”.

Ainda falando de questões polêmicas, o presidente da Assembleia falou sobre a decisão do ministro Alexandre de Moraes de que a Assembleia não pode votar impeachment da governadora. “Decisão judicial não se discute, se cumpre. Eu já tinha resistência em aceitar o impeachment e acho que quem tem que tirar o governo é o povo”. O presidente concluiu a entrevista afirmando que os vetos parlamentares serão prioridades na votação e disse que a votação do empréstimo pedido pelo Governo de Roraima não é prioridade.

Anônima disse: Em 21/02/2018 às 13:01:01

"Realmente você tem toda a razão, e fora os crimes que aumentaram, furto, prostituição..."

Christhian Rodolfo Torres Dominguez disse: Em 21/02/2018 às 11:50:12

" Pó esse povo esta querendo ROUBAR......desculpe ...Trabalhar e ficam se atrapalhando.......poxa assim fica ruim"