CENTRO SOCIOEDUCATIVO
Internos fazem quinto motim em menos de um mês
Dessa vez, os menores teriam quebrado os cadeados das celas e causaram tumulto no prédio, depredando salas administrativas
Por Folha Web
Em 13/11/2017 às 10:00
Alguns internos ainda teriam tentado fugir, mas foram contidos pela Polícia Militar (PM) (Foto: Divulgação)

O clima de tensão no Centro Socioeducativo (CSE), localizado na zona Rural de Boa Vista, tem aumentado a cada dia. Na noite de ontem, 12, por volta das 18h30, mais um motim promovido pelos internos foi registrado na unidade, o 4º em menos de um mês.

Dessa vez, os menores teriam quebrado os cadeados das celas e causaram tumulto no prédio, depredando salas administrativas e objetos pertencentes aos agentes socioeducadores. Ninguém se feriu.

Alguns internos ainda teriam tentado fugir, mas foram contidos pela Polícia Militar (PM). Moradores da área de interesse social Pedra Pintada, que fica ao lado do CSE, relataram que a Polícia teria utilizado bombas de efeito moral para conter os menores.

Ao menos 10 adolescentes apontados como líderes dos conflitos que estão ocorrendo na unidade foram levados para o Plantão Central do 5º Distrito Policial.

CASOS- O primeiro caso da série de ocorrências no CSE em menos de um mês ocorreu no dia 18 de outubro, quando adolescentes iniciaram uma confusão com o objetivo de fugir do local.

Uma nova tentativa de fuga foi registrada no dia 2 de novembro. NA ocasião, a Polícia Militar (PM) foi chamada para conter um princípio de rebelião no Centro Sócio Educativo. No dia seguinte, 3, os internos foram levados para a delegacia após atearem fogo em colchões na unidade.

O caso mais grave ocorreu na tarde do dia 6 de novembro, quando os adolescentes teriam quebrado a entrada de um dos blocos, destruído os cadeados, e feito dois agentes sócio-orientadores de reféns. 

Familiares de alguns internos chegaram a procurar a Folha, em meios aos conflitos, para denunciar que os adolescentes estariam sendo vítimas de tortura no local, o que foi negado pelo Governo.

GOVERNO- Em nota, a Setrabes (Secretaria do Trabalho e Bem-Estar Social) informou que o CSE (Centro Socioeducativo Homero de Souza Cruz Filho) passa por uma mudança na gestão da unidade, onde repetidamente internos maiores de 18 anos, que ainda permanecem no Centro por força de lei, têm tumultuado a rotina do local, como ocorreu no final da tarde deste domingo (12), quando houve um princípio de conflito envolvendo os internos maiores de 18 anos.

"A situação foi prontamente controlada pela Polícia Militar, que permanecerá na unidade para reforçar a segurança. Os procedimentos administrativos serão adotados", afirmou.

***
Gostou?
6
8
rnuj disse: Em 13/11/2017 às 17:08:02

"nao criaram direito... "