Por Opinião
Em 29/12/2017

Sustentabilidade: o primeiro passo para o Futuro - Alexandre Roberto Andrade Cavalcante*

Muitas pessoas são céticas quando se fala que a sustentabilidade ajudará o planeta a se recuperar dessa libertinagem que vivemos hoje. Acreditam que ela não é uma ruptura com a atual sociedade hiperconsumista. De fato! A economia sustentável é apenas uma nova configuração do mundo capitalista.

Vivemos em tempos de grande desperdício, e isso tem mostrado o quanto precisamos repensar nossa consciência. Sustentabilidade é consciência transformada. Continuar alimentando o comportamento capitalista de nossos dias é pedir a destruição da terra e da vida. Mudança de mentalidade e comportamento é o que estamos precisando hoje para uma melhor qualidade de vida.

O nosso planeta necessita de descanso assim como nós. O ano sabático criado por Jeová, e dado como mandamento ao povo hebreu é apenas uma expressão desse pensamento, do qual, a terra sem repouso não produz coisas boas. Por conta da produção acelerada do mundo atual, os bens de consumo estão se tornando obsoletos, ruins e descartáveis.

O ceticismo de muita gente em relação à economia sustentável reina nesse pensamento: mesmo sendo uma nova forma de economia, ela não será suficiente para acabar com o desperdício. O fato é que as pessoas que possuem dúvida quanto ao futuro dessa nova forma de mercado, está em acreditar que a reutilização, renovação, reciclagem e mudança de mente não são suficientes para conter a crescente onda de descartáveis. A solução dos nossos tempos está em regredir o sistema.

Sustentabilidade não é só consciência, é também regressão. E como acontece essa desaceleração? Diminuição na produção, consciência no consumo, aproveitamento dos materiais em desuso, mais justiça social e uma forte distribuição de riqueza. Mesmo as pessoas obtendo mais poder aquisitivo de compras, com a diminuição da produção dos bens de consumo, mais coisas serão reaproveitadas e reutilizadas. A economia sustentável é a imagem e semelhança desse freio que o mundo capitalista necessita. Ela não é a solução completa para os nossos problemas, porem é o primeiro passo para o futuro.

*Sociólogo
alexandreacrata@gmail.com


DIZ O GÊNIO PENSADOR QUE NADA DURA PARA SEMPRE - Dr. Francisco de Assis Campos Saraiva*

O ano está chegando ao fim e repassam em nossa mente as agruras e sofrimentos que ele nos impingiu, de forma torpe e desumana. Uma lembrança recente me vem de um cidadão, que quase passou pelas garras da morte e que Deus usou de sua Misericórdia, ouvindo as orações que foram feitas e deu-lhe o livramento. Já refeito, encontrei-me com o mesmo, por quem também orei, e sua postura, ao cumprimentar-me, foi deveras arrogante, grosseira e deselegante, como se ele próprio tenha dado o seu livramento. Que atitude infame e petulante. E fiquei sem graça durante o dia e entreguei a Jesus para a sua misericórdia ou a recompensa que lhe for devida.

O ano de 2017 foi sofrido demais para a gente humilde de meu País, vítima que foi de maus brasileiros e indignos compatriotas, que vêm solapando nossa amada Terra como podem. Uma roubalheira brutal por toda parte, de cidadãos com gravata e paletó em cargos importantes, se dizendo representante do povo e de nossa gente. São indivíduos audaciosos, que vivem vilipendiando a boa fé de nossos irmãos, gente humilde que padece com uma saúde pública grotesca, sem moradia condigna, sem segurança pública, marcada pelo desemprego e tudo mais que lhe falta para uma vida justa e saudável. Cidade e ruas abandonadas, com gente sem dinheiro para nada e a família sofrendo as agruras que lhe foram impostas, com o dinheiro que foi subtraído pelos ladinos vorazes, abastados que ficaram sem pejo e sem nenhuma comoção. Nossa gente pobre está vivendo a mercê da própria sorte. Desempregada e sem dinheiro para nada procura sobreviver como pode, porque a fome é grande e o desespero é maior ainda, sofrimento imposto por gente desumana não temente a Deus e que não tem sido punida pelos atos abomináveis praticados, o que é lastimável. Nos últimos tempos tenho procurado, com acuidade, alguém em quem possa confiar, o que não me foi possível até agora. Cidadãos de boa aparência e bem trajados vão ludibriando a boa fé dos incautos, que sofrem amarguradamente a devassa que lhe é imposta. E isso me fez lembrar a atitude do filósofo grego Diógenes, que em plena luz do dia e com uma lanterna acesa nas ruas de Atenas, procurava um homem digno e confiável. Apesar do esforço dispendido, não lhe foi possível encontrar o cidadão de bem que procurava.

O ano de 2017 foi drástico demais para a maioria dos brasileiros, que presencia a amada Pátria ser sucateada por águias humanas vorazes espalhadas em todos os recantos do País. E as cidades, com ausência de segurança pública, facultam aos larápios contumazes, que cometem crimes de toda natureza, exterminando vida de pessoas, às vezes de uma mesma família, sem que em nada se justifique tamanha crueldade. O trânsito virou outro cadinho destruidor de vidas humanas, com indivíduos dirigindo alcoolizados ou drogados, que ficam sem a lucidez de qualquer perigo a sua frente. Outras vezes, com o celular colado ao ouvido, perdem a noção do perigo e aí a tragédia acontece. E assim são exterminadas vidas inocentes e, que, na maioria dos casos, os criminosos ficam em liberdade, sem sofrer qualquer tipo de punição. As famílias choram a perda dos entes queridos que se foram para nunca mais voltar.

A juventude não quer mais saber de estudo e nem de trabalho. Preferem ir à busca de ganho fácil, enveredando pelo caminho insidioso da criminalidade, assaltando à mão armada e arrombando bancos, casas comerciais e residências e assim vão se enchendo de dinheiro a custa dos atos nefandos praticados. Muitos perdem a vida e outros são mutilados em confronto com a polícia. E fica aí uma vida jovem inútil para toda a sua existência. As doenças estão dizimando vidas com frequência, porque a saúde publica está um caos. Os administradores públicos embolsam o dinheiro que recebem e a comunidade fica com a saúde entregue a própria sorte, com um serviço público desqualificado. Os desmandos são vistos e reclamados e sem qualquer providência que seja adotada. A escola pública é outra penúria e o caos bem visível aos olhos de todos. Salas de aula com carteiras velhas e quebradas, prédios sem pintura e o calor abrasador martirizando a comunidade escolar, porque central de ar inexiste no ambiente. Os setores de saúde empresarial, que prestam serviço ao público, como postos de saúde, cirurgiões-dentistas, postos de enfermagem, laboratório de análises clínicas e outros, estão sofrendo com a escassez de clientes, porque, sem ônus para custear essas despesas, vão fazer gratuito nos Órgãos do Governo e Prefeitura que, em Boa Vista, prestam esse tipo de serviço. E o empresário arca com as despesas gerais e os impostos correspondentes por conta própria. E os que não dispõem de recurso, vão à falência inevitavelmente como ora vem ocorrendo.

Nesse momento de reflexão doída, achei melhor me valer das sábias palavras de Charles Spencer Chaplin, que nos deixou para sempre aos 88 anos. “Nada é para sempre neste mundo, nem mesmo os nossos problemas. Eu gosto de andar na chuva, porque ninguém pode ver minhas lágrimas. O dia mais desperdiçado da vida é o dia em que não rimos. Os seis melhores médicos do mundo são: Luz do sol. Descanso. Exercícios. Dieta. Autoestima e Amigos. Se você ver a lua, verá a beleza de Deus. Se você ver o sol, verá o poder de Deus. Se você ver o espelho, verá a melhor Criação de Deus. Acredita Nele. Somos todos turistas. Deus é o nosso Agente de Viagens que já fixou as nossas rotas, reservas e destinos. Confie Nele e desfrute da Viagem Chamada Vida. A vida é apenas uma viagem.” Aproveito o ensejo para fazer uma homenagem “in memorian” a dois diletos amigos que nos deixaram para sempre no dia 17 do mês corrente. Francisco Almeida Alves e Francisco Assis Quezado Araújo, com o preito da imensa saudade que ficará para sempre. Diletos e amáveis companheiros de jornada. Um ano novo está bem próximo de nós. Que o ano de 2017, apesar de tirano como foi, nos sirva apenas de lição e de arrefecimento de nossa fé em nosso Deus Pai Criador, porque somos conhecedores de Sua Santa Palavra, que procuramos obedecer sempre no transcorrer da vida que prossegue. Não podemos olvidar o que diz o sábio pensador: “Morre o homem e o espírito fica bem vivo em suas obras”. É de nossa viva fé de que o novo ano que se avizinha nos seja de prosperidade e a realização de grandes projetos, nos enchendo de sonhos e de bênçãos maravilhosas, como é da promessa de nosso Deus Onipresente. O nosso abraço fraternal a todos e que Deus nos abençoe e nos ilumine sempre.

*Oficial R1 do Exército, Escritor e Empresário, Membro da ALB e da ALLCHE
E-mail: ldalmada@hotmail.com


Nossa São Silvestre - Afonso Rodrigues de Oliveira*

“O que mede a vida não é o tempo, é o uso que fazemos dele.” (Fajardo).

Finalmente chegamos a mais um ponto de chegada. Chegamos. Mais um ano foi vencido, sobretudo pelos vencedores. Tomara que você tenha sido um deles. Se não foi, foi no momento em que chegou, independentemente de como você chegou. O que importa é que chegou. Mas chegamos onde? Observou que em todos os fins de ano ficamos rezando para que o novo ano seja melhor do que o que passou? É isso que você quer? Então não pare na chegada. O encerramento de mais um ano não é mais do que um degrau sendo escalado. Encare-o com otimismo, perseverança, coragem e muita, mas muita mesmo, força de vontade.

Renove-se. Encare o novo ano como você quer que ele seja pra você. Cheio de graça. Não se iluda porque ele será pra você o que você for pra ele. Nem mais nem menos.

Se você quiser realmente ter um bom dois mil e dezoito, construa-o no modelo que for ideal pra você. E para isso você só tem que acreditar nisso. Ninguém, além de você, tem a capacidade, nem poder, de fazer isso por você. No momento em que você descobrir seu potencial, começará a construir o mundo que você deseja dentro do ano que vai nascer. Não se esqueça de que o nascimento do novo ano não é mais do que uma comemoração. Porque, na verdade, você está comemorando o fim do ano que se finda. É mais uma ilusão das infindas que devemos abolir da nossa mente para que possamos viver a realidade da vida. Controle seu entusiasmo sem perder o entusiasmo pela vida.

Se quiser mesmo um ano melhor no ano que vem, esqueça o que não foi melhor no ano que passou. Não leve, em hipótese nenhuma, lembranças desagradáveis para o novo ano. Faça isso e você terá um ano novo cheio de tudo que você deseja e quer. Porque enquanto você ficar perdendo tempo com coisas e momentos desagradáveis do ano que passou, você permanecerá nele e não passará. Continuará marcando passo sobre o mesmo terreno.

Puxa vida, se você conseguiu chegar até aqui, nessa leitura chata, parabéns. Você está preparado ou preparada, não importa, para enfrentar os percalços que poderão surgir, já nos próximos dias. Mas mais importante é que não se esqueça de que se eles vierem você terá sido o único responsável pela vinda deles. Tudo vai depender de como você será capaz de dirigir seus pensamentos para o novo ano. Logo, não pense em problemas e eles não virão. Faça isso, e tenha um ano de dois mil e dezoito, pleno de felicidades e muita harmonia. Mas, acredite: tudo vai depender única e somente de você. A felicidade deve ser plena e permanente. E você pode conseguir isso. Pense nisso.

*Articulista
afonso_rr@hotmail.com
99121-1460

Opinião
fale@folhabv.com.br
Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!
Últimas de
Opiniao
+ Ler mais artigos de Opiniao