Por Parabólica
Em 14/12/2018

Bom dia,

Comerciantes e prestadores de serviços demonstram bastante euforia com a perspectiva de um final de ano um pouco melhor. O anúncio de que na próxima semana chegam R$ 225 milhões transferidos da União Federal para o governo de Roraima, sob intervenção federal, destinados ao pagamento de servidores públicos estaduais trouxe um clima de euforia para grandes, pequenos e micros empresários. Tomara que essa euforia se transforme realmente em balcões cheios de clientes. Todos só temos a ganhar.

É preciso, no entanto, que todos estejam conscientes que isso não resolverá os problemas candentes que se abatem sobre a situação orçamentária e financeira do governo estadual. Elas são estruturais e começam com uma política de pessoal absolutamente insustentável face à capacidade do estado aumentar suas receitas próprias. Elas dependem muito mais do crescimento real da economia roraimense, do que da eficiência na arrecadação dos tributos estaduais.

POLEMIZAR

Mesmo depois de eleito, o futuro presidente Jair Bolsonaro (PSL) tem mostrado um enorme talento para se manter no centro das atenções, especialmente no âmbito interno. E ele faz isso abordando temas polêmicos, sem qualquer preocupação com reações vindas especialmente da esquerda tupiniquim. A última do presidente eleito foi declarar que a relação entre patrões e empregados no Brasil deve ser aproximar mais da informalidade. A reação foi imediata vinda de parlamentares de esquerda, sindicalistas e de parte da imprensa, flagrantemente de má vontade para com o novo governo. E vem mais protesto por aí.

DESNACIONALIZANDO

O presidente Michel Temer (MDB), que deveria estar limpando as gavetas, continua tomando decisões que afetam profundamente a vida nacional até mesmo para uma visão de longo prazo. Ontem, ele assinou uma Medida Provisória autorizando o controle acionário total das empresas aéreas brasileiras. A medida poderá em curto prazo deixar os brasileiros e as brasileiras totalmente dependentes das multinacionais do setor. Essas medidas que afetam estruturalmente a vida nacional envolvem poderosos interesses econômicos e, na prática dos últimos governos, quase sempre tem algo de podre por trás.

GRANA?

É difícil de acreditar, mas fontes fidedignas garantem à Parabólica, que além do jogo bruto de que já falamos daqui, começam a surgir rumores de muita grana rolando para convencer os deputados estaduais a se posicionarem sobre a votação que vai eleger a futura Mesa Diretora da Assembleia Legislativa do Estado (ALE) que vai ocorrer na manhã do primeiro dia do próximo ano. Ainda esta semana veio da Inglaterra uma lição de como se faz em democracias de verdade. A primeira-ministra Thereza May balançou no cargo, e aí apareceram dois colegas dela do partido Conservador querendo o lugar. O partido reuniu todos seus parlamentares, juntou os três (a primeira-ministra e os dois pretendentes), ouviu cada um e decidiu manter May. Sem grana por trás.

SEM CONTROLE

Moradores de Pacaraima, cidade fronteiriça do Brasil com a Venezuela, têm utilizado as redes sociais para reclamar da falta de controle na entrada de venezuelanos, rumo a Boa Vista. “Os brasileiros não podem adentrar em território venezuelano porque a estrada está interditada por protestos de comunidades indígenas daquele país. Agora em direção ao Brasil centenas de venezuelanos atravessam a fronteira sem qualquer controle de sanidade, de revista para ver o que estão trazendo e sem atesta de conduta. Estamos abandonados pelas autoridades e eu não descarto outras escaramuças por aqui”, disse um leitor da Parabólica, que sustentou suas informações mandando um vídeo através do Whats.

LOUCO

Ainda sobre a Venezuela. O presidente venezuelano Nicolás Maduro fez um pronunciamento desde o Palácio Miraflores, sede do governo daquele país, para dizer que o povo brasileiro e os militares brasileiros querem paz e amizade com os venezuelanos, mas que foi eleito um general para vice-presidente da República com cara de louco. Maduro se referia ao general Hamilton Mourão, vice-presidente eleito com Jair Bolsonaro, a quem acusou de tramar um golpe para derrubá-lo da presidência da Venezuela. Maduro costuma alimentar esse tipo de acusação para aparecer como vítima perante a sofrida e miserável população venezuelana.

A MAIOR

Segundo dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) ontem, quinta-feira (13.12), Roraima teve a maior queda percentual das vendas internas no último trimestre no Brasil. Ainda não é possível falar sobre as causas do tombo, mas seguramente esses atrasos de pagamento de salários dos servidores do estado, de terceirizadas - que não pagam seus trabalhadores- e fornecedores têm importante influência sobre o número. Além do mais, tudo isso leva a um clima de incerteza que faz muita gente puxar o freio na hora de gastar alguma coisa.

DIPLOMAÇÃO

“A sessão solene de diplomação dos candidatos eleitos nas Eleições Gerais de 2018 será realizada nesta sexta-feira (14), a partir das 17 horas, no CAF (Centro Amazônico de Fronteira), localizado no campus Paricarana da Universidade Federal de Roraima. Este é o último ato do processo eleitoral e torna os candidatos aptos a tomarem posse nos respectivos cargos aos quais foram eleitos. No total, serão expedidos 36 diplomas, sendo dois para o governador eleito e seu vice, dois para senadores, oito para deputados federais e 24 para deputados estaduais”. O texto é do Tribunal Regional Eleitoral de Roraima (TRE-RR), mas pelo menos um dos deputados estaduais eleitos não vai comparecer à solenidade.

Parabólica
parabolica@folhabv.com.br
Walter Ferreira disse: Em 14/12/2018 às 08:50:01

"DESNACIONALIZANDO - Mas conforme divulgado na mídia nacional, a MP foi editada sob as bênções do presidente eleito Jair Bolsonaro."

pimpolho disse: Em 14/12/2018 às 07:06:35

"E ainda pode dar ter mais baixas na diplomação com a operação hj da federal"

Últimas de
Parabólica
+ Ler mais artigos de Parabólica